Em coletiva após jogo, Nadal confirma pedido de afastamento de árbitro brasileiro


Na entrevista coletiva que deu após a vitória sobre Quentin Halys (FRA) por 3-0 na estreia pelo torneio de Roland Garros, o espanhol Rafael Nadal confirmou ter pedido afastamento do árbitro brasileiro Carlos Bernardes de seus jogos.

Nadal disse que: "Sim, fui eu que pedi para a ATP caso fosse possível. Foi fácil, não é ? Há muitos árbitros no circuito. Respeito muito Bernardes, considero ele um grande árbitro e boa pessoa, mas quando se tem problemas com o mesmo árbitro é mais fácil ficar longe, não é ? Essa é a realidade. Era melhor para nós dois se não dividíssemos a mesma quadra após o que aconteceu no Rio de Janeiro. É isso"

Além da polêmica sobre o árbitro, o tenista falou sobre a capitã da equipe espanhola da Copa Davis, Gala León, escolha que provocou muitas críticas, principalmente por parte de Nadal, mas ele preferiu atacar a Federação Espanhola de Tênis.

O espanhol falou que: "Não vou falar sobre Gala Leon pois é estúpido falar disso, temos diferentes tipos de visão sobre o caso e as pessoas tendem a focar em um tópico e não quero sair falando pois as pessoas podem interpretar mal".

"O ambiente está muito ruim. As pessoas disseram que sou machista, então vou dizer mais nada sobre o assunto."

"Estamos na segunda divisão e erros foram cometidos. Essas pessoas responsáveis pelos erros devem tomar suas responsabilidades. Estou falando do tênis espanhol e não Copa Davis. Outras federações como francesa, britânica, americana, ajudaram seus jovens a terem um grande futuro, mas a nossa não ajudou muitos jovens e nem os experientes. Cobrimos quase tudo nosso sem o suporte da federação. Podem dizer que seja pouco dinheiro, mas quando eu tinha 13, 14 anos me ofereceram para treinar em El Car, mas achei que meu lugar onde treinava era bom e não queria ficar longe da família, por isso fiquei em Mallorca. Ofereceram ao Tomas Carbonnel também, ele aceitou, fomos campeões mundiais e ele se tornou meu sparring e hoje trabalha na federação. Não tenho ressentimentos. Mas tomas era meu melhor amigo, deixou a academia e eles pagaram tudo pra ele e não me deixaram com nada, fiquei com o acordo ruim. Em Wimbledon juvenil tive que pagar hotel, viagem e quase tudo. Decidi ficar com meu técnico e tive que ficar com todas essas despesas e todos os jogadores que ficaram na que a Federação queria tiveram tudo pago. Esse processo não funcionou bem. A federação decidiu focar muito na Copa Davis, claro, é um dinheiro vital para o tênis espanhol, mas ela precisa de jogadores, devem ajudar os jovens".

"Daí o que acontece agora ? De fato não estamos tomando as decisões certas e não entendo porque eles mandam no futuro do tênis espanhol. Fomos unidos todos juntos nos últimos 15 anos, ganhamos cinco ou seis Copa Davis, isso não é ruim, as coisas mudaram e eles quiseram um confronto e são os responsáveis. A federação não tem impacto em mim no circuito, ela pode atingir os melhores objetivos e poderemos ter melhor relacionamento. Não gosto como as coisas estão sendo conduzidas, se nós estamos sendo considerados machistas, isso não é respeitoso", completou Nadal.


Foto: Reuters
Com informações de: Site Tênis News

0 Comentários