Quero sediar os Jogos de 2020 - Istambul








É a quinta vez que a maior cidade da Turquia (Constantinopla durante o período romano e bizantino), é candidata a sediar os Jogos Olímpicos. Nesta ocasião, Istambul chegou a uma final, algo histórico e apresenta um projeto muito ambicioso, que tem também os pontos desfavoráveis, sobretudo por conta de uma grave crise social que atingiu a Turquia há alguns meses atrás. De qualquer forma, a Turquia é uma aposta para organizar os primeiros jogos celebrados em dois continentes: Europa e Ásia; e também, impulsionar o país no cenário mundial.

Uma economia emergente a serviço dos Jogos

Nos últimos anos, a economia turca teve um crescimento estável, que refletiu em um aumento médio no PIB (Produto Interno Bruto) de 7,5% entre 2002 e 2005, o que significa uma das maiores taxas no mundo, comparado com a China e a Índia. Isto permitiu que a 'capital do Bósforo' se convertesse numa autêntica economia emergente, o que dá todas as garantias necessárias para a realização do evento multi-esportivo mais importante do mundo.

Por essa razão, a candidatura de Istambul surpreendeu os membros do COI, que promete gastar bastante nas obras relativas aos Jogos Olímpicos. Segundo as autoridades turcas, o orçamento oficial será um total de 19,2 bilhões de dólares, o que equivale a uma quantia quatro vezes maior do que a proposta de Tóquio e dez vezes maior do que Madrid.

O comitê de candidatura explicou que tal soma de dinheiro corresponde a muitos projetos conduzidos pelo governo nacional e pela prefeitura da cidade, para reformar todo o sistema de transportes, como o metrô, bonde, estradas e outras construções. De qualquer forma, os organizadores alertam que o dinheiro vai ser gasto, mesmo que a cidade não tenha o direito de sediar os jogos, porque há um projeto para a modernização da cidade estipulado para 2023.

Os protestos como um ponto fraco da candidatura

Como vimos, a candidatura de Istambul não apresenta problemas financeiros - muito pelo contrário. Mas a capital do Bósforo foi o mais criticado por especialistas por causa das manifestações que aconteceram nos últimos meses, contra o governo do primeiro ministro Recep Tayip Erdogan, que se mantém no poder desde 2002.

O movimento popular teve início no último 28 de maio, quando um grupo de ecologistas protestou contra a construção de um shopping center na emblemática Taksim Gezi Park. Os manifestantes foram reprimidos pela polícia com canhões de água e gás lacrimogêneo, o que gerou uma grande revolta nas redes sociais e concretada um movimento antigoverno, que durou três semanas, em um total de 79 cidades turcas. O saldo total desses dias era 4.900 pessoas presas e 4.000 feridos, o que expôs a ação violenta das forças de segurança locais.

Isso chamou a atenção do Comitê Olímpico Internacional, que de acordo com o jornal EL PAÍS, na última apresentação técnica das cidades-candidatas em Lausanne, fez 11 perguntas aos representantes de Istambul, dos quais 90% delas correspondem a questões de segurança, respeitar a recente eventos.

O governo do país disse "respeitar os direitos humanos, porque a violência não deve ser tolerada", embora disseram também que "a polícia às vezes comete erros." Finalmente, eles justificaram a espionagem nas redes sociais para "evitar que as organizações ilegais as utilizassem para se infiltrar nos protestos."

"A Turquia é uma democracia que está vivendo um processo de transformação profunda. Os protestos são pacíficos e têm que ser respeitados, porque é um direito humano universal. Eles não são desempregos ou pessoas com necessidades econômicas, eles são profissionais com formação e trabalho, são pessoas diferentes, com diferentes medos e esperanças, e têm o direito de expressá-las livremente. Vamos ouvi-los", prometeu Ali Babacan, Vice-Primeiro-Ministro da Economia. Por esta razão, a candidatura é a pior avaliada pelo COI, o que representa um grande desafio nas eleições de setembro.

Experiência organizacional e esportiva

A Turquia organizou diversas competições importantes esportivas internacionais nos últimos anos, o que denota o grau de exposição positiva que o país teve na última década. Eles já receberam o Mundial de Basquete de 2010, o WTA Championships 2011, o Mundial de Natação em Piscina Curta de 2012, Campeonato Mundial Indoor de Atletismo 2012, os Jogos do Mediterrâneo 2013 e a última Copa do Mundo Sub-20, em 2013. O país também é candidato a sediar a Eurocopa de 2020, mas, segundo o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, se Istambul obter o direito de sediar os Jogos Olímpicos de 2020, eles devem renunciar a intenção de sediar o torneio mais importante do futebol europeu, porque as regras do COI dizem que um país anfitrião de um Jogos Olímpicos não pode organizar um outro evento internacional no mesmo ano.

No entanto, no âmbito da experiência esportiva, a Turquia é o país com menor participação e medalhas conquistadas na história das três candidaturas para sediar os Jogos de 2020. A nação transcontinental  participou em 16 edições, de Berlim-1936 até Londres-2012, com exceções nos jogos de 1976 e 1980, e ganhou um total de 85 medalhas olímpicas, com 39 medalhas de ouro, 25 medalhas de prata e 22 medalhas de bronze.

Locais de competição

O projeto oficial de Istambul para os Jogos Olímpicos de 2020 é composto por quatro áreas distrubuídas ao longo da cidade, dois deles às margens do Mar de Mármara.









1 - Zona Olímpica - Localizada na região ocidental da cidade, é a mais importante área do plano, aonde existe uma excelente infra-estrutura de transporte existente. Ela será o principal centro de ação durante os jogos, pois estarão localizados por lá o Estádio Olímpico, o Complexo de Tênis, o Centro Aquático, o Complexo de Hóquei, a Vila Olímpica, entre outras instalações. Ali serão realizados os eventos de atletismo, pentatlo moderno, ginástica, boxe, Judô, luta olímpica, badminton, tênis de mesa, hóquei, tênis, natação, nado sincronizado, natação, polo aquático, hipismo, basquete e golfe.


2 - Zona da Mata - Situado no norte de Istambul, no Parque Belgrad, é considerado o "pulmão verde" da cidade, onde está sendo realizado um trabalho de revitalização e aonde o governo está criando novos espaços verdes para os moradores da região. Lá serão realizado os eventos do futebol, ciclismo BMX, ciclismo mountain bike, tiro e canoagem slalom.


3 - Zona Costeira - Nas margens do Mar de Mármara, que é um site de regeneração da cidade de Istambul, acima de todos os edifícios mais emblemáticos. Os jogos irão contribuir para a construção de novos espaços públicos e parques. Nesta zona, serão disputados o basquete, esgrima, taekwondo, ciclismo, iatismo, handebol, marcha atlética, ciclismo de rua, maratona aquática e triatlo. 



4 - Zona Bósforo - Localizada no centro da "antiga Istambul", está situada de forma que uma parte estará no lado europeu e outra no lado asiático, um marco na história dos Jogos Olímpicos. Os Jogos Olímpicos vão permitir a revitalização urbana e a preservação dos monumentos históricos. Uma novidade é a presença de um segundo "Estádio Olímpico", às margens do mar, onde a abertura e encerramento serão realizadas, e o encerramento da maratona. Aqui também terá lugar o halterofilismo, rugby, remo, canoagem, tiro com arco, vôlei de praia, vôlei e futebol. 

DESTAQUES

A candidatura de Istambul para sediar os Jogos Olímpicos de 2020 apresenta aspectos positivos que surpreenderam o Comitê Olímpico Internacional, através da comissão de avaliação.
Em primeiro lugar, a Turquia é uma autêntica economia emergente e possui todas as garantias necessárias de ser capaz de financiar o evento. É também o maior orçamento estipulado. Ele também representa uma infra-estrutura e segurança para o transporte do COI, porque a cidade está vivendo um processo de remodelação graças a muitos acordos com construtoras, prometendo não atrasar as obras se a cidade ganhar o direito de sediar os jogos.
Finalizando, o país aposta em organizar os primeiros Jogos em dois continentes, permitindo uma diversidade cultural em um país muçulmano, uma proposta importante para os membros do COI. E nós não temos que esquecer que a candidatura é a única com a maioria da população a favor, porque os números oficiais indicam que 83% da população espera as Olimpíadas na cidade. 

Fontes: El País, 20minutos.es, Site Oficial da organização de Istambul-2020 

0 Comentários