Surto Entrevista: Ana Hissa





O Surto Entrevista de hoje traz a jornalista Ana Hissa, jornalista por formação, uma das idealizadoras do programa Sensei Sportv, do canal por assinatura Sportv, e também apresentadora do programa No Mundo da Luta, que é exibido na Rádio Beat 98, todos os domingos, de 20:00 às 22:00.

Fale um pouco da sua da sua vida e sua carreira no Jornalismo.

Sou formada pela PUC e desde que entrei na faculdade sabia que queria fazer jornalismo esportivo. Trabalhei no Diário Lance e em 2003 fui para o SporTV. Até 2008 trabalhei com esportes radicais, quando criei junto com o Mario Filho o Sensei SporTV.

O que te levou a trabalhar também com esportes olímpicos?

Sempre fui apaixonada pelo espírito olímpico, a dedicação dos atletas dessas modalidades me encanta. Desde que comecei a trabalhar com esportes eu caminhei nesse sentido.

Fale para os leitores sobre a emoção de estar em uma Olimpíada e vivenciar o momento histórico das medalhas no Boxe.

A emoção de cobrir uma Olimpíada é indescritível. A gente que passa o ciclo todo acompanhando o atleta, vendo o que acontece de perto durante aqueles quatro anos, envolvendo treinamento, dedicação, abdicações, dor, tristezas e alegrias. As Olimpíadas são o auge daqueles quatro anos, o momento para qual o atleta mais se preparou. Para mim, sempre foi um sonho fazer essa cobertura e pude realizá-lo esse ano, com fatos históricos, como a primeira medalha de ouro do judô feminino e as três medalhas do boxe.

Como foi entrevistar Yamaguchi e Esquiva Falcão após a conquista das medalhas olímpicas, já que você conhece a história de vida desses lutadores?

Um dos momentos mais emocionantes da minha carreira, certamente. Os irmãos Falcão representam muito o tipo brasileiro, eram muito pobres, mas muito guerreiros. Não desistiram das dificuldades da vida e chegaram, com condições muito duras, às medalhas olímpicas. foi muito especial.

Quais são as perspectivas das modalidades de Luta (Judô, Luta Olímpica, Boxe e Taekwondo) para o Rio 2016?

Tivemos um grande crescimento dos esportes de luta em 2012 e acredito que o trabalho será intensificado para 2016, com os Jogos sendo realizados em casa.

Na sua opinião, quais são as chances do MMA virar esporte olímpico? Existe realmente essa possibilidade?

Acho muito complicado, são vários fatores necessários para que um esporte vire olímpico, uma série de questões com relação a órgãos reguladores, regras, número de praticantes,  etc. Acho algo muito distante.

Deixe uma mensagem para leitores do blog e amantes da luta.

Pessoal, em 2013 continuem acompanhando sempre os esportes de luta. Será um ano especial com a inclusão do MMA feminino no UFC, com o apoio cada vez maior ao esporte olímpico, e, certamente, com muitas conquistas para nosso país.

Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem