Cup of China de Patinação Artística - Dia 2


Dia de grandes apresentações no encerramento da Cup of China de Patinação Artística, quarta etapa do Grand Prix de Patinação Artística, disputada na cidade de Chongqing. Apresentações bonitas dominaram, com as vitórias da russa Anna Shcherbakova (ao centro na foto, com o coreógrafo Daniil Gleichengauz) no individual feminino, dos chineses Wenjing Sui e Cong Han nos Pares, de Victoria Sinitsina e Nikita Katsalapov da Rússia na Dança no Gelo e uma inédita dobradinha chinesa no individual masculino, com vitória de Boyang Jin.


Dança no Gelo:

Os russos Victoria Sinitsina e Nikita Katsalapov fizeram uma boa performance, mas acabaram o dia da Dança Livre em segundo lugar. Mesmo assim, a boa vantagem de cinco pontos obtida na Dança Rítmica do dia anterior foi suficiente para garantir a medalha de ouro, a primrira da dupla em etapas do Grand Prix, por 209.90 pontos. 

A prata ficou com Madison Chock e Evan Bates dos EUA, que lideraram o placar no dia, empolgaram a plateia e somaram um total de 208.55 pontos. O resultado ainda não garante a presença de Chock e Bates nas finais do Grand Prix, mas os deixa com excelentes chances de classificação. 

Laurence Fournier Beaudry e Nikolaj Sorensen, do Canadá fizeram mais uma performance sólida e com a soma de 190.74 pontos conquistaram outra medalha de bronze, a segunda da dupla em etapas do Grand Prix. Sorensen revelou que a dupla teve problemas na preparação bem nos dias que antecederam a etapa, e quase tiveram que abandonar a competição: "Eu machuquei meu joelho na ultima semana e tive que ficar a semana inteira fora do gelo. Estamos realmente felizes por ter terminado em terceiro lugar e com uma boa apresentação."


Feminino:

Com saltos quádruplos liberados no Programa Livre feminino, a russa Anna Shcherbakova não deu chances para as outras: garantiu a vitória por uma margem expressiva, acumulou 226.04 pontos, 15 a mais que a segunda colocada, a japonesa Satoko Miyahara. 

O programa de Shcherbakova não foi limpo,com um erro de subrotação em uma combinação de saltos quádruplo Lutz-triplo toeloop, mas compensou eventuais falhas com um excelente trabalho de piruetas, transições e uma coreografia forte qye impressionou a plateia—realçada pelo efeito de troca de cor do traje no meio do programa.

O segundo lugar de Satoko Miyahara foi bastante comemorado como um êxito da artisticidade: a japonesa não conta com um triplo Axel ou saltos quádruplos no repertório e ainda está em fase de ajustes na parte técnica, buscando a correção de falhas constantes de subrrotação em saida de saltos. Contando com passos e piruetas como armas técnicas principais, Miyahara apostou tudo na interpretação e na execução de uma coreografia intensa e sensível da trilha sonora de "A Lista de Schindler". Com um novo vestido, sem as alças polêmicas em forma de estrela de Davi que mostrou no US International Classics, a japonesa ganhou o público e com o maior placar de componentes artísticos e de habilidade do dia—impressionantes 72.36 pontos—assegurou a medalha de prata. Miyahara volta à competir na próxima semana, na Rostelecom Cup da Rússia e comentou que a proximidade das duas etapas do Grand Prix é para ela uma novidade e uma preocupação: "Estou animada com isso, mas também preciso cuidar de meu corpo". A japonesa, quarta colocada nas Olimpíadas de PyeongCheng-2018 ainda sofre com algumas sequelas de osteopenia precoce, doença que a manteve afastada de competições na temporada de 2016.

O bronze ficou com a russa Elizaveta Tuktamysheva, que buscou a redenção da performance fraca da véspera com um programa animado e tecnicamente forte: dois saltos triplos Axel executados sem falhas, outros quatro saltos triplos e uma única falha na saída de um salto triplo Lutz. O programa longo de Tuktamysheva ficou em segundo no placar do dia, e a soma das notas a levou para o pódio. Com dois terceiros lugares, as chances da russa treinada por Alexei Mishin de ir para as finais são escassas, mas ela já faz planos para as próximas competições: "Talvez eu vá para o evento da Challenger Series em Zagreb. Vou procurar patinar bem e me preparar para o Campeonato Nacional."


Masculino:

Com um programa forte tanto artisticamente quanto tecnicamente—dois saltos quádruplos e dois triplos Axel, mais três piruetas em nivel máximo—Boyang Jin, da China conquistou a medalha de ouro, sua primeira em uma etapa do Grand Prix. A apresentação, emocionalmente carregada e sem erros graves—a maior falha foi a redução de um salto quádruplo toeloop para duplo, mas sem desequilíbrio ou queda—valeu 176.10 e o patinador obteve 261.53 pontos na somatória final.

O compatriota de Jin, Han Yan, que liderou o Programa Curto fez outra bela apresentação, a de melhor avaliação de componentes artísticos e de habilidade no dia, mas com valor de base de elementos técnicos mais modesto, acabou sendo ultrapassado na soma final. Han Yan conquistou a medalha de prata com 249.45 pontos, quase 7.5 pontos à frente do terceiro colocado, o italiano Matteo Rizzo. O resultado é a primeira dobradinha chinesa no individual masculino em uma etapa do Grand Prix.

Único dos sete primeiros colocados a não realizar um salto quádruplo sequer, Han Yan se declarou grato à chance dada de competir novamente em uma grande prova internacional após ter atividades reduzidas por dois anos, com um de afastamento absoluto por motivos de saúde. E admirado por chegar tão longe: "Minha performance foi normal, mas eu não tinha o mais alto grau de dificuldade. Estou um pouco surpreso que pude estar no pódio com apenas saltos triplos. Vim para esta prova basicamente como um novato", disse. Com duas etapas do Grand Prix ainda para serem disputadas, Han Yan passa a ser um candidato forte para a eventual substituição de algum dos nomes convocados caso seja necessário.


Pares:

Os medalhistas de prata das Olimpíadas de PyeongCheng-2019 e bicampeões mundiais Wenjing Sui e Cong Han, da China fizeram uma apresentação de altíssimo nível e ampliaram ainda mais a vantagem expressiva obtida no Programa Curto. Sui e Han conquistaram a medalha de ouro com 228.37 pontos, quade 30 à frente dos segundos colocados, os tambem chineses Cheng Peng e Yang Jin. O bronze ficou com a dupla do Canadá Liubov Ilyushechkina e Charlie Bilodeau.

A performance de Sui e Han foi extremamente ousada, de alto valor artístico e quase totalmente limpa: Han, que vem de tratamento de uma lesão lombar de média gravidade, perdeu uma volta no salto Salchow lado a lado. O patinador, no entanto atribuiu o erro mais a uma momentânea falta de foco. Han declarou que o trabalho da dupla continua, visando aprimorar os programas: "Temos pouco mais de uma semana antes do nosso próximo evento, NHK Trophy, e acho que é importante organizarmos nossos treinos nesse tempo. Nossa coreógrafa, Lori Nichol vai estar com a gente, e vamos trabalhar sobretudo o programa curto."

O segundo lugar também foi muito comemorado. Com uma vitória no Skate America e agora a medalha de prata na Cup of China, Cheng Peng e Yang Jin se classificaram para as finais do Grand Prix. Yang Jin disse em entrevista que a dupla deve reforçar o treino de elementos de alto valor: "Tivemos alguns problemas no Skate America e na Cup of China em nossos programas com saltos solo e lançamentos, a qualidade não foi tão boa. Também precisamos de mais velocidade na segunda metade, então queremos trabalhar essas coisas antes da final."


Todas as tabelas com resultados, agenda de apresentações em horário local e súmulas detalhadas de julgamentos da Cup of China de 2019 estão disponíveis aqui, no site oficial de resultados do evento.


Foto: Twitter

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes