Pan-Americano de Judô 2019 - Dia 01: Brasil 100% no pódio


O início do Pan-Americano de Judô foi promissor para o Brasil. O país, que neste primeiro dia, competiu com seis atletas - Nathália Brígida (48kg), Larissa Pimenta  e Sarah Menezes (52kg), Rafaela Silva (57kg), Eric Takabatake (60kg) e Daniel Cargnin (66kg) - subiu ao pódio com todos eles.

E não só. O Brasil chegou a 100% das finais do dia. Apenas Sarah Menezes, que enfrentou e perdeu para a também brasileira Larissa Pimenta, nas quartas, não chegou à disputa pelo topo do continente.

Das cinco finais, o país saiu com dois campeões continentais:Larissa Pimenta (-52kg) e Daniel Cargnin (-66kg).

Vejamos como foi o primeiro dia de competições:

CATEGORIAS FEMININAS

(-48kg) 

Nathália Brígida (-48kg) começou a competição vencendo a peruana Noemi Orneta. Nas quartas, enfrentou e venceu Luz Alvarez (COL), classificando-se para as semifinais. Tentando uma vaga na final, Brígida mediu forças com Edna Carrillo (MEX). Impondo maior volume de ataque, a brasileira forçou a desclassificação da adversária com três punições. 

Na final, a brasileira teve ninguém menos do que a campeã mundial de 2015 (Astana) e atual campeã olímpica (Rio/2016), a argentina Paula Pareto. A luta foi dura, mas a brasileira não resistiu a experiência e força da Pareto, sofrendo o revés e ficando com a medalha de prata.


As medalhistas de bronze foram Vanesa Godines (CUB) e a própria Edna Carrillo (MEX), derrotada por Brígida nas semifinais.

(-52kg)

Com duas brasileiras na disputa, o chaveamento não favoreceu nossas atletas. Sarah Menezes e Larissa Pimenta, caso avançassem, se enfrentariam logo nas quartas de finais. E não deu outra. Pimenta venceu a primeira luta contra Alaine Abuan (USA) e Sarah contra Oritia Gonzalez (ARG). Nas quartas, o embate das brasileiras resultou em vitória da jovem Larissa Pimenta, após um waza-ari. A temporada bastante regular, tem firmado a brasileira como a titular na categoria. 

Com a vitória, Larissa foi para a disputa das semifinais, medindo forças contra Kristine Jimenez (PAN), enquanto que Sarah foi direto para repescagem, enfrentando Ecaterna Guica (CAN). Ambas saíram vitoriosas dos seus confrontos e seguiram para a disputa das medalhas.

Sarah foi a primeira a subir ao tatame, tentando a medalha de bronze. Luz Olvera, do México, foi sua adversária, mas não foi páreo para a campeã olímpica em Londres/2012, que garantiu mais uma medalha para o país. 

Na final, Larissa Pimenta enfrentou a cabeça de chave nº 1 da categoria, a americana Angelica Delgado, nº 14 do mundo, e não tomou conhecimento da adversária. A judoca de 20 anos venceu por ippon, para conquistar seu primeiro título Pan-Americano, logo na estreia.

Quem completou o pódio, com a última medalha de bronze, foi conquistada por Brillith Carbajal (PER).

(-57kg)

Cabeça de chave nº 2, Rafaela Silva não teve problemas para ganhar suas duas primeiras lutas, contra Arnais Garcia (CUB) e Yadinys Amaris (COL), classificando-se para as semifinais.

Na busca pela final no Pan de Judô, Rafaela teve de enfrentar Ana Rosa (DOM), tendo vencido com certa tranquilidade.

Na final, porém, deu o óbvio: embate entre Rafaela e Chtista Deguchi (CAN), cabeça de chave nº 1, nº 4 no ranking mundial, atual medalhista mundial de bronze e campeã nos Grands Slam de Paris e Ecaterimburgo.

A luta de gigantes acabou melhor para a canadense, que aplicou a técnica de estrangulamento e fez a brasileira bater.


Ana Rosa (DOM), derrotada por Rafaela nas semifinais, ficou com a primeira medalha de bronze. A segunda foi para Anailys Dorvigny (CUB).

CATEGORIAS MASCULINAS

(-60kg)

Cabeça de chave nº 1, Eric Takabatake, campeão da competição em 2017, era favorito ao título.

Na sua primeira luta, não teve problemas para bater o argentino Carlos Maldonado. Nas quartas, foi a vez de Bernabe Vergara (PAN) ser derrotado pelo brasileiro, que se classificou às semifinais.

Roberto Almeranes (CUB) foi o adversário do brasileiro por uma vaga na final e, mais uma vez, Takabatake ficou com a vitória, garantindo uma medalha para o Brasil.

Lenin Preciado (ECU), campeão do Pan-Americano de Toronto, em 2015, surpreendeu o brasileiro e levou a medalha de ouro. Prata para o Brasil.


Roberto Almeranes e Steven Morocho (ECU) ficaram com as medalhas de bronze na categoria.

(-66kg)

A esperança do Brasil respondia pelo nome de Daniel Cargnin, vice-campeão nas duas últimas competições, cabeça de chave nº 1. Gerard Cadet (HAI) e Jorge Gonzalez (COL) foram os dois primeiros atletas derrotados pelo brasileiro, ambos por ippon, garantindo o judoca nas semifinais.

Jacob Valois (CAN), nº 71 do ranking mundial, não teve forças para superar o brasileiro e foi outro a ficar no caminho.

Na final, Juan Postigos (PER), atleta da casa, nº 31 do ranking mundial, também não foi páreo para Daniel. Segundo ouro para o Brasil.


Orlando Polanco (CUB) e Jacob Valois (CAN) ficaram com as medalhas de bronze da categoria.

QUADRO DE MEDALHAS

Brasil aparece na frente no quadro de medalhas, após o fim do primeiro dia de competições.


CALENDÁRIO DA COMPETIÇÃO

Amanhã sobem ao tatame: Alexia Castilhos (-63kg), Maria Portela (-70kg), Lincoln Neves (-73kg), David Lima (-73kg) e Eduardo Yudy (-81kg).

Fotos: CBJ

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes