Último ranking olímpico do Judô brasileiro em 2018, após o Masters de Guangzhou

No final de semana derradeiro, alguns judocas brasileiros subiram ao tatame para a disputa da última competição deste ano que distribuiu pontos para o ranking olímpico, visando Tóquio/2020: o Masters de Guangzhou (CHN). A lista de classificados vai se modificando conforme cada competição acontece, mas os classificados só serão definidos mesmo em 25 de maio de 2020. Até lá, os atletas precisam somar a maior quantidade de pontos possível.

Também neste mês, conforme noticiado pelo Surto Olímpico, a Confederação Brasileira de Judô promoveu a seletiva para preencher as vagas na seleção que buscará vaga olímpica.

Após a competição na China, o destaque fica por conta do bom desempenho de Eric Tabatake (-60kg), que ampliou a diferença na disputa interna pela vaga olímpica. Na categoria -66kg, o jovem Daniel Cargnin ficou em quinto no masters e deixou Charles Chibana mais distante na disputa, que antes estava bem estreita. Daniel e Eric são os melhores ranqueados entre os homens: ambos em 8º lugar.

Em Guangzhou os pesos pesados Rafael Silva e David Moura fizeram um excelente campeonato  e foram medalhistas. Com o resultado, puderam sair de uma condição desconfortável - em que não estariam sequer classificados para as olimpíadas - para figurarem entre os 20 primeiros na corrida olímpica.

Entre as mulheres, Rafaela Silva mantém a hegemonia na categoria -57kg no Brasil, não sendo, por enquanto, ameaçada por nenhuma outra judoca e se mantendo entre as melhores do mundo. No peso pesado (+78kg), a disputa que estava super acirrada agora conta com Maria Suelen Altherman, medalhista na China, com uma boa margem sobre Beatriz Souza.

Duas situações ligam o alerta para o Brasil. Em duas categorias masculinas o país contaria com a cota continental: -81kg (Victor Penalber) e -90kg (Rafael Macedo). Contudo, como é reservado apenas uma vaga por país dessa forma (por cotas), o Brasil apenas teria direito a uma das vagas. Entre as mulheres, embora em todos os pesos haja judocas entre as classificadas, chama atenção a situação do categoria -48kg. Nela, quem está no topo do ranking do Brasil na corrida olímpica é Gabriela Chibana, mas como a judoca não preencheu os requisitos exigidos pela CBJ, teve de participar da seletiva nacional e não conseguiu a vaga na seleção. Assim, embora ela ainda figure como classificada, sem participar de competições que atribuem maiores pontuações (Grand Prix, Grand Slam etc), é provável que perca posições. 

Após a seletiva, é possível que novos atletas entrem neste corrida olímpica e acirrem a disputa ponto a ponto, já que novos nomes receberam o direito de disputar a vaga olímpica, participando do tour mundial de judô. O Surto Olímpico continuará acompanhando toda a movimentação no Ranking Olímpico, com ênfase nos atletas brasileiros.

Vale a pena lembrar que um total de 386 atletas podem se classificar para a disputa do judô nos Jogos Olímpicos de Tókio/2020. Cada confederação poderá inscrever, no máximo, 14 judocas (um em cada divisão).

Vejamos como está a disputa após o final da temporada 2018: 

CATEGORIAS MASCULINAS 

(-60kg) 
Eric Tabatake (8º) 855 pontos (classificado diretamente) 
Phelipe Pelim (21º) 457 pontos (classificado diretamente) *
Felipe Kitadai (41º) 182 pontos (não classificado) 
Renan Torres (42º) 175 pontos (não classificado) 
Raphael Miaque (86º) 50 pontos (não classificado) 
Obs.: Nesse caso, estando Eric Tabatake e Phelipe Pelim classificados, a CBJ poderia decidir qual dos dois iria aos Jogos Olímpicos. Renan Torres e Raphael Miaque não se classificaram para a seleção de 2019.

(-66kg) 
Daniel Cargnin (8º) 866 pontos (classificado diretamente) 
Charles Chibana (19º) 487 pontos (classificado diretamente)* 
Michael Marcelino (39º) 245 pontos (não classificado) 
Diego Santos (97) 59 pontos (não classificado) 
Obs.: Nesse caso, estando Daniel Cargnin e Charles Chibana classificados, a CBJ poderia decidir qual dos dois iria aos Jogos Olímpicos. 

(-73kg) 
Eduardo Barbosa (25º) 388 pontos (classificado diretamente) 
Marcelo Contini (49º) 186 pontos (não classificado) 

(-81kg) 
Victor Penalber (28º) 368 pontos (classificado pela cota continental) 
Eduardo Yudy (33º) 260 pontos (não classificado) 
Guilherme Schimidt (73º) 91 pontos (não classificado) 
João Macedo (90º) 59 pontos (não classificado) 
Luanh Rodrigues (92º) 56 pontos (não classificado)
Obs.: João Macedo e Luanh Rodrigues não se classificaram para a seleção de 2019.

(-90kg) 
Rafael Macedo (25º) 368 pontos (não classificado)
Obs.: Rafael Macedo, em tese, poderia se classificar pela cota continental. Porém, como há o limite de uma vaga por país, Victor Penalber estaria, segundo a IJF, ocupando essa vaga.

(-100kg) 
Rafael Buzacarini (16º) 572 pontos (classificado diretamente) 
Leonardo Gonçalves (31º) 301 pontos (não classificado) 
Lucas Lima (69) 91 pontos (não classificado) 
Obs.: Lucas Lima não se classificou para a seleção 2019.

(+100kg) 
Rafael Silva (10º) 820 pontos (classificado diretamente)
David Moura (17º) 589 pontos (classificado diretamente)*
Ruan Isquierdo (32º) 217 pontos (não classificado) 
André Soares (71º) 56 pontos (não classificado) 
Obs.: Nesse caso, estando Rafael Silva e David Moura classificados diretamente, a CBJ poderia decidir qual dos dois iria aos Jogos Olímpicos. André Soares não se classificou para a seleção de 2019.

CATEGORIAS FEMININAS 

(-48kg) 
Gabriela Chibana (22º) 438 pontos (classificada diretamente) 
Sarah Menezes (36º) 185 pontos (não classificada) 
Laura Ferreira (51º) 91 pontos (não classificada) 
Nathália Brígida (80º) 45 pontos (não classificada)
Obs.: Situação peculiar: Gabriela Chibana, única atleta momentaneamente classificada no peso -48kg não conseguiu se classificar para a seleção de judô 2019. Laura (51º) também não se classificou.

(-52kg) 
Erika Miranda (19º) 503 pontos (aposentou-se) 
Jéssica Pereira (20º) 493 pontos (classificada diretamente) 
Eleudes Valentim (32º) 245 pontos (não classificada) 

(-57kg) 
Rafaela Silva (6º) 1216 pontos (classificada diretamente) 
Tamires Crude (73º) 56 pontos (não classificada) 
Kamila Silva (76º) 45 pontos(não classificada)
Obs.: Kamila SIlva não se classificou para a seleção 2019.

(-63kg) 
Alexia Castilhos (22º) 430 pontos (classificada diretamente) 
Ketleyn Quadros (33º) 252 pontos (não classificada) 
Yanka Pascoalina (56º) 98 pontos (não classificada) 
Ryanne Lima (69º) 56 pontos (não classificada) 
Obs.: Yanka Pascoalina e Ryanne Lima não se classificaram para a seleção 2019.

(-70kg) 
Maria Portela (17º) 642 pontos (classificada diretamente) 
Ellen Santana (46º) 132 pontos (não classificada) 
Amanda Oliveira (47º) 129 pontos (não classificada)
Obs.: Ellen Santana não se classificou para a seleção 2019.

(-78kg) 
Mayra Aguiar (12º) 741 pontos (classificada diretamente) 
Samanta Soares (20º) 525 pontos (classificada diretamente) 
Camila Ponce (41º) 126 pontos (não classificada) 
Nathália Parisoto (54º) 59 pontos (não classificada)
Obs.: Nesse caso, estando Mayra Aguiar e Samanta Soares classificadas diretamente, a CBJ poderia decidir qual das duas iria aos Jogos Olímpicos. Nathália Parisoto não se classificou para a seleção 2019.

(+78kg) 
Maria Suelen Altherman (7º) 1230 (classificada diretamente) 
Beatriz Souza (9º) 860 pontos (classificada diretamente)* 
Luíza Cruz (41º) 91 pontos (não classificada) 
Camila Yamakawa (87º) 3 pontos (não classificada) 

Obs.: Nesse caso, estando Maria Suelen Altherman e Beatriz Souza classificadas, a CBJ poderia decidir qual das duas iria aos Jogos Olímpicos.  Luíza Cruz não se classificou para a seleção 2019.

Entre os times, o IJF aponta que o Brasil estaria classificado, devido conter representantes nas categorias exigidas para disputa em equipes.

Foto: Divulgação


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes