Últimas Notícias

Veja a análise dos confrontos e o caminho dos brasileiros em simples em Wimbledon

 Teremos quatro representantes em simples na edição de 2024 de Wimbledon, no feminino teremos apenas Bia Haddad Maia, no masculino são três representantes, Thiago Wild e Thiago Monteiro que conseguiram classificação via ranking, e Felipe Meligeni passando pelo qualificatório em 3 rodadas, sendo a última em melhor de cinco sets.

Bia Haddad Maia, Thiago Wild, Thiago Monteiro e Felipe Meligeni. Foto: Instagram dos atletas. Créditos: Fotomontagem Carlo Saleme.

Bia Haddad Maia

Assim como no último Grand Slam, a Bia continua em uma fase ruim, nos últimos dois torneios disputados, ambos na grama, foi eliminada na primeira rodada no WTA 500 de Berlim e na segunda rodada do WTA 500 de Bad Homburg

Ela vai estrear contra a polonesa Magdalena Frech #56 que também não vem de um bom ano, disputou 3 torneios preparatórios na grama, em Nottingham chegou nas quartas de final e nos outros dois perdeu na estreia. Bia lidera o confronto com duas vitórias, uma delas na grama de Birmingham em 2022 por 2 sets a 1 (6/1, 5/7 e 7/6³). Frech é uma jogadora perigosa, neste confronto em Birmingham levou muita dificuldade para a Bia. 

A grama pede um jogo agressivo e os melhores resultados e jogos da Bia foram quando jogou desta forma, para vencer jogos em sequência e retomar a confiança, precisará repetir esta fórmula.

2ª rodada: Camila Osorio #78 ou Lauren Davis #286;
3ª rodada: Daniele Collins #11, Clara Tauson #67, Mayar Sherif #76 ou Dalma Galfi #128.

Thiago Wild

O paranaense fez um torneio preparatório, jogou o ATP 250 de Eastbourne e perdeu na segunda rodada para Taylor Fritz em sets diretos. 

Ele vai jogar contra o britânico Paul Jubb de 24 anos, que recebeu convite para a chave principal. Britânicos na grama são sempre perigosos, pois é o piso natural deles e onde eles mais jogam e treinam ao longo do ano, já possuem uma adaptação natural. Wild tem um jogo bastante agressivo, o modelo ideal para um jogo na grama, conseguindo tirar o Jubb da zona de conforto, tem chances de classificar.

Na segunda rodada, em caso de classificação, Wild pode enfrentar Holger Rune #15, e numa terceira rodada Karen Khachanov #21.


Thiago Monteiro

O cearense não disputava uma chave principal de Grand Slam via ranking desde o Wimbledon do ano passado, no US Open perdeu no quali, no Australian Open ficou de fora por lesão e em Roland Garros desse ano se classificou pelo quali. 

Ele vai estrear contra o australiano Alexei Popyrin #47, na preparação para Wimbledon chegou nas oitavas de final do 250 de Hertogenbosch, depois ele furou o quali do ATP 500 de Queens vencendo dois jogos, e na chave principal perdeu para Andy Murray. É um confronto difícil em um piso onde o brasileiro não tem bons resultados, eles se enfrentaram apenas uma vez, e foi no piso duro, onde o Thiago perdeu por 2 x 1. 

Caso classifique, pode ter pela frente Tomas Etcheverry #31 ou Luca Nardi #73, e numa terceira rodada poderia ter um tão sonhado duelo frente a Novak Djokovic #2.

Felipe Meligeni Alves

Felipe que já furou o quali do US Open, Roland Garros e agora Wimbledon, só faltando participar da chave principal do Australian Open. No ano passado ele chegou na final do quali de Wimbledon, e perdeu, dessa vez não desperdiçou a oportunidade. 

O jogo de estreia será contra o croata Borna Coric #89, ele já foi campeão na grama, no 500 de Halle em 2018 em cima de nada mais, nada menos que Roger Federer. No entanto, ele vem de alternâncias de eliminações em primeiras ou segundas rodadas, e só jogou um torneio exibição na grama, Felipe vem de sequência graças ao quali e com confiança, se encaixar seu melhor jogo pode vencer. 

Na segunda rodada teria Frances Tiafoe #30 ou Matteo Arnaldi #35, e caso consiga chegar na terceira rodada teria Carlos Alcaraz #3, o atual campeão de Wimbledon.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar