SurtoLista : 13 filmes LGBTQI+ sobre esporte olímpico - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

SurtoLista : 13 filmes LGBTQI+ sobre esporte olímpico

Compartilhe

28 de junho é o Dia do Orgulho LGBTQI+, em lembrança à revolta de Stonewall, que aconteceu m 1969. Naquele dia, vários frequentadores do bar Stonewall Inn, um local frequentado por vários gays, lésbicas, trans e drag queens, finalmente reagiram a uma batida policial que acontecia com frequência nos bares queers da região. O levante levou primeira parada LGBTI no ano seguido. 

Hoje em dia, apesar do Brasil ser o país que organiza a maior Parada do Orgulho LGBTI do mundo, em média com 3 milhões de frequentadores (4.5 em 2012, um recorde), é o país que mais mata pessoas trans em todo o mundo: em 2019 foram 124 e em 2018 foram 163. Em mais de 70 países e territórios a homossexualidade é criminalizada.

O esporte ainda é espaço para discriminação, mas cada vez mais atletas gays, lésbicas e bissexuais estão se assumindo e mostrando que a diversidade sexual e o esporte podem sim conviverem em harmonia. No cinema, esta relação em geral fica restrita a documentários sobre atletas LGBT e ainda é pouco explorada. 

Assim, surgiu esta lista, de filmes de ficcão que ganharam prêmios e fizeram sucesso, seja por parte da crítica ou mesmo nas bilheterias – ou causaram polêmica. Entre comédias e dramas, passando por filmes mais experimentais, a relação mostra que existe muita diversidade também no cinema que trata da relação entre esportes e o mundo queer.

Tem três filmes do Brasil e mais da Alemanha, Argentina, Canadá, Coreia do Sul, EUA, Irlanda, França e Tailândia, além de filmes que tratam de personagens que praticam vários esportes e estão em várias partes do espectro LGTB. Boa leitura e boas sessões!

Depois nos conte se você gostou dos filmes e quais filmes vocês sentiram falta!


"Asa Branca: Um Sonho Brasileiro"
Direção: Djalma Limongi Batista (1981, Brasil, Futebol)

Asa Branca é revelado em um pequeno clube do interior de São Paulo e vai jogar na capital, onde aproveita amigos, festas e a nova fama, mas sofre os problemas típicos de uma grande metrópole: solidão, violência e jogo de poder. Após muitas brigas, um rico publicitário o descobre e o ajuda através de contatos. Assim, ele torna-se uma grande estrela, e tem a chance de jogar no Maracanã e na Copa do Mundo.

O filme, um pouco alegórico, mas com uma narrativa típica que muitos jogadores brasileiros trilham e aborda a homossexualidade por conveniência na busca do sucesso, tema recorrente no cinema brasileiro dos anos 1970 e 1980. Venceu vários prêmios, como Melhor Diretor e Ator nos Festivais de Brasília (1981) e Gramado (1982). Confira o filme aqui:




Onda Nova 
Direção: José Antonio Garcia, Ícaro Martins.
(1983, Brasil, Futebol)

A prática de futebol por mulheres foi proibida no Brasil até 1979 e a regulamentação da modalidade veio apenas em 1983. Foi neste ano que foi realizado este filme sobre um grupo de meninas que formam o time feminino Gayvotas F.C., com estreia no ano seguinte. O longa-metragem usa a luta das meninas como trampolim para falar de várias outras liberdades, com vários personagens LGBT com muitas cenas ousadas, em um perí,odo de luta pelas Diretas Já e fim do regime militar. Caetano Veloso e Regina Casé fazem participações especiais, assim como os jogadores Casagrande e Wladimir em cenas clássicas.


Confira a cena de abertura:



Uma cena com Casagrande:




Do Começo ao Fim 
Direção: Aluizio Abranches
(2009, Brasil, Natação)

Dois meio-irmãos desenvolvem uma relação muito estreita, enquanto crescem em uma família idílica e feliz. Quando eles se tornam jovens adultos seu relacionamento fica muito íntimo, romântico e sexual. O filme gerou muita polêmica em seu lançamento. O irmão mais velho é um atleta de natação e tem muitas cenas dele treinando. 

Para quem conhece o esporte, sabe que a inclusão da natação e do mote olímpico foi um pouco forçada, já que na trama, Francisco precisa ir para a Rússia para treinar e alcançar a seleção olímpica brasileira, o que não faz muito sentido.

Confira o filme no youtube:



As Damas de Ferro 
Direção: Yongyoot Thongkonthoon
(Iron Ladies, 2001, Tailândia, Vôlei)

Baseado na verdadeira história do time de voleibol do Distrito de Lampang, que venceu o campeonato tailandês em 1996, conta a história de Mong e Jung, talentosos jogadores que são descriminados por serem homossexuais. Ao serem selecionados para um time e ver vários jogadores abandonarem a equipe eles precisam da ajuda de vários amigos gays e transsexuais e viram o time favorito da torcida. O filme foi um sucesso na Tailândia em 2000 e teve uma continuação.


O filme está disponível no Youtube mas sem legenda:




Ausente 
Direção: Marco Berger
(2011, Argentina, Natação)

Martin é um jovem estudante que se apaixona pelo seu treinador de natação e tenta se aproximar do professor, que tem uma namorada, até que uma reviravolta muda a trama. Vencedor de vários prêmios, como o Melhor Filme LGBT do Festival Internacional de Cinema de Berlim, pelo "um roteiro original, com uma estética inovadora e uma abordagem sofisticada, que cria dinamismo. Uma combinação única de desejo homoerótico, suspense e tensão dramática". Confira o trailer:





Os Camarões Brilhantes
Direção: Cédric Le Gallo e Maxime Govare
(Les Crevettes Pailletées, 2017, Polo Aquático)

Um campeão olímpico de natação faz um comentário homofóbico na televisão e como punição pelo comitê nacional ele vira o técnico de um time de polo aquático gay que busca competir nos Jogos Gays (Gay Games). Confira o trailer original:




Tudo Pela Vitória - As Parceiras 
Direção: Robert Towne
(Personal Best, 1982, EUA, Atletismo)

Esta é a história de 4 anos da vida de duas atletas: Chris e Terry conhecem-se nos Jogos Pan-Americanos, em 1976 (sic). Tornam-se amigas, amantes e eventualmente adversárias enquanto seguem os treinamentos para tentar participar dos Jogos Olímpicos. Vários atletas reais participaram do filme: Jane Frederick, Jodi Anderson, Deby Laplante, Pam Spencer, Maren Seidler e Kenny Moore.


Confira o trailer em inglês:




Tempestade de Verão 
Direção: Marco Kreuzpaintner
(Sommersturm, 2004, Alemanha, Remo)

Tobi, um remador adolescente, vai para um acampamento de verão e nele começa a sentir ciúmes quando seu melhor amigo Achim começa a se relacionar com uma garota. Queerstrokes, um grupo gay chega de Berlim e confunde mais ainda a cabeça de Tobi. Drama alemão bem bonito e um filme jovem cheio de energia. Confira o trailer:






Morgan 
Direção: Michael D. Akers
(Morgan, 2012, EUA, Ciclismo)

O ciclista Morgan ficou paraplégico após um grave acidente de corrida. Ainda se acostumando ao uso da cadeira de rodas, ele conhece Dean numa quadra de basquete e a relação dos dois, inicialmente de amizade e depois romântica, o ajuda a se adaptar a nova vida. Confira o trailer:



Like a Virgin
Direção: Hae-jun Lee, Hae-Young Lee 
(Cheonhajangsa madonna, 2006, Coreia do Sul, Wrestling)

Oh Dong-ku é uma estudante trans ainda em transição. Fã de Madonna e gordinha, tem um pai alcoólatra e está juntando dinheiro para a cirurgia de mudança de sexo. Apesar de tentarem a apresentar para uma variação coreana do wrestling, o ssireum, ela resiste, até que um torneio pode lhe dar o dinheiro necessário. Pelo trailer, dá para ver que é um filme bem único:




1:54 
Direção: Yan England
(2016, Canadá, Atletismo)

Um jovem tímido de 16 anos sofre bullying por cinco anos e decide desafiar seu seu algoz e se qualificar para o time nacional dos 800 metros, precisando fazer o tempo de 1:54. Enquanto luta pela classificação, descobre sua sexualidade. Confira o trailer:


Confira trailer aqui:




Handsome Devil
Direção: John Butler
(2016, Irlanda, Rugby)

Comédia dramática sobre a inesperada amizade dos problemáticos Ned e Connor. Enquanto Ned é um nrd que não se sente incluso em uma escola em que todos veneram o rugby, Connor é um jogador que chega na escola depois de constante brigas. Tratando da homofobia nas escolas, o filme mostra como eles se aproximam ao dividir quarto, apear das muitas diferenças.

Confira o trailer:





De Repente, Califórnia 
Direção: Jonah Markowitz
(Shelter, 2007, EUA, Surfe)

Um jovem surfista apaixona-se pelo irmão mais velho de seu melhor amigo enquanto luta para reconciliar seus próprios desejos com as necessidades de sua família.

Confira o trailer:



Foto: Divulgação / Personal Best

Nenhum comentário:

Postar um comentário