Últimas Notícias

Trio brasileiro chega as quartas de final e Rio Pro de surfe termina nesta sexta-feira em Saquarema

 

Medina em aéreo. Crédito da Foto: @WSL / Daniel Smorigo

PRAIA DE ITAÚNA, Saquarema, Rio de Janeiro (Quinta-feira, 27 de junho) - O mar subiu na quinta-feira, as ondas ficaram mais desafiadoras com 6-10 pés na Praia de Itaúna, mas Gabriel Medina, Italo Ferreira e Yago Dora, avançaram para as quartas de final do Rio Pro em Saquarema. Italo usou seus aéreos para fazer os recordes da etapa brasileira do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) esse ano, Yago continua na busca do bicampeonato em Saquarema e o trio brasileiro segue batendo na porta de entrada dos top-5. Os títulos do Rio Pro 2024 serão decididos nesta sexta-feira, com as quartas de final iniciando as 7h30, ao vivo pelo Sportv e WorldSurfLeague.com.

As meninas serão as primeiras a disputar classificação para as semifinais do Rio Pro em Saquarema. Tatiana Weston-Webb também luta por uma vaga nas top-5 do ranking, grupo que vai disputar o título mundial da temporada no WSL Finals, em setembro na Califórnia. Ela vai enfrentar a costa-ricense Brisa Hennessy no segundo duelo da sexta-feira. No terceiro, entra Luana Silva com a atual campeã da etapa brasileira do CT e líder do ranking 2024, Caitlin Simmers, dos Estados Unidos.

Na sexta-feira de ondas difíceis de 6 a 10 pés de altura, apenas os homens competiram e Italo Ferreira usou os aéreos para registrar novos recordes no Rio Pro deste ano, nota 9,00 e 17,50 pontos. O campeão mundial de 2019 e primeiro medalha de ouro da história do surfe nas Olimpíadas, vai abrir as quartas de final com o japonês Connor O´Leary. O tricampeão mundial Gabriel Medina entra na segunda bateria com o californiano Griffin Colapinto. E na terceira, Yago Dora faz a reedição da final da etapa passada, em El Salvador, com o bicampeão mundial e atual líder do ranking, John John Florence.

“Diferente de ontem, hoje foi uma bateria que demorou pra passar e até olhei no relógio pra ver quanto faltava pra terminar”, disse Italo Ferreira, após derrotar o indonésio Rio Waida. “Quando você tá na liderança, parece que o tempo não passa. Mas foi legal, porque no início, eu comecei botando ritmo, pegando onda e sabia que tinha muita oportunidade lá dentro. Eu só queria surfar e aproveitar que tinha algumas rampas pra poder fazer manobras que iriam elevar um pouco as notas. Esse tipo de mar é muito parecido com o que eu surfo lá em Baía Formosa, mar de vento que tem esses picos que te dá muita velocidade pra voar. Foi o que aconteceu nessa bateria”.

Italo já começou a bateria voando num aéreo que valeu 7,83. Logo ele conseguiu uma nota 8,5 numa onda que fez duas manobras fortes e finalizou com outro aéreo rodando nas esquerdas da Praia de Itaúna. Não demorou e o “Brabo” arriscou outro voo muito alto, conseguiu aterrissar e recebeu nota 9,00 dos juízes. O indonésio Rio Waida também fez bonito numa onda, que tirou nota 7,87. Mas, Italo Ferreira conquistou a primeira vaga do Brasil para as quartas de final, com os recordes do Rio Pro em Saquarema esse ano, 17,50 pontos somando notas 9,00 e 8,50.

Ítalo Ferreira. Crédito da Foto: @WSL / Thiago Diz

VITÓRIA NO SUFOCO - O público que lotou a Praia de Itaúna na quinta-feira de céu nublado em Saquarema, festejou a melhor apresentação do dia do Italo Ferreira e a torcida logo vibrou de novo com a entrada do tricampeão mundial Gabriel Medina. Só que a bateria foi bem mais fraca de ondas. O californiano Cole Houshmand só tinha surfado uma de 5,50 pontos de um aéreo. Medina ficou mais ativo dentro d´água, indo em várias ondas, mas o máximo que conseguiu foi 5,20 numa onda finalizada também com um aéreo.

Seu adversário pegou outra onda no último minuto e só fez uma manobra, mas precisava de apenas 4,10 para vencer. Gabriel Medina e toda a torcida ficaram na expectativa pela nota. Cole Houshmand já tinha conseguido uma virada em cima do Medina esse ano, igualmente numa onda surfada no último minuto em Bells Beach, na Austrália. Mas agora, a nota saiu 3,77 e dessa vez o brasileiro saiu vitorioso do sufoco, por uma pequena vantagem de 9,60 a 9,27 pontos. 

“Fico feliz de ali no final, a bateria ter vindo pro meu lado. Esse ano tive várias baterias próximas no final e sempre foi pro outro lado, mas dessa vez foi pra gente”, disse Gabriel Medina. “Foi tenso, porque eu já tive baterias assim e são as que mais cansam assim, mentalmente. Mas faz parte e acho que isso é a beleza da competição, saber lidar com os momentos bons e os difíceis. Amanhã acho que vai dar altas ondas e estou feliz de estar nas quartas de final”.

Gabriel Medina também falou sobre enfrentar Griffin Colapinto, que recuperou a vice-liderança no ranking com a eliminação do australiano Jack Robinson. Os dois já disputaram 11 baterias no CT e o placar está 7 a 4 para o brasileiro. Griffin foi o adversário da última vitória do Medina em Margaret River, no ano passado, na Austrália, mas o californiano venceu o último duelo entre eles, na semifinal da etapa de Portugal esse ano: “O Griffin surfa muito e fico feliz de estar nessas quartas com ele. É uma bateria decisiva pro top-5, então vou dar meu melhor. Amanhã quero surfar de verdade, porque hoje foi difícil”.

Foto: Crédito da Foto: @WSL / Thiago Diz

DEFENSOR DO TÍTULO - Só faltava Yago Dora para confirmar 100% de vitórias brasileiras nas oitavas de final na quinta-feira. Ele já começou sua bateria voando num aéreo, para largar na frente com nota 7,83. Seu adversário era o irmão mais jovem do Griffin Colapinto, o Crosby, que começou com 5,83 e somou essa nota com o 5,00 da outra única onda que completou na bateria. Yago ainda conseguiu um 6,07 para vencer por 13,90 a 10,83 pontos e seguir na busca pelo bicampeonato no Rio Pro em Saquarema.

“O mar está difícil e começar forte é muito importante. Ainda mais nesse tipo de condição, é muito bom já colocar uma pressão no adversário desde o começo”, disse Yago Dora, recordista com 24 baterias disputadas em Saquarema. “Eu acho que conhecer o pico ajuda muito nesses dias, porque é um mar difícil, mas que têm certos pontinhos que você sabe que tem mais chance de vir uma onda boa. E eu adoro competir no Brasil, Saquarema é um lugar especial pra mim e eu me sinto bem demais em competir em casa”.

Yago Dora agora vai voltar a enfrentar o bicampeão mundial John John Florence. A terceira quarta de final na sexta-feira, será a quinta vez que os dois se encontram em baterias, desde que a etapa brasileira do CT voltou para Saquarema em 2017. O havaiano só venceu a primeira e o catarinense ganhou as outras três. A última foi nas semifinais do Rio Pro no ano passado, quando Yago Dora conquistou a primeira vitória da sua carreira na divisão de elite. E os dois acabam de decidir o título da etapa de El Salvador, vencida pelo líder do ranking, John John Florence.

“Eu adoro surfar contra o John John”, afirmou Yago Dora. “Para mim, ele e o Gabriel (Medina) são os dois surfistas que eu mais admiro no circuito. Eles são os caras que eu mais gosto de surfar contra também, porque são meus ídolos né. Então eu sei que tenho que dar o meu melhor pra bater eles e eu gosto disso, gosto de ir pra bateria já sabendo que vou ter que soltar meu surfe e ir pro tudo ou nada mesmo”.


QUARTAS DE FINAL DO VIVO RIO PRO EM SAQUAREMA: 

CATEGORIA FEMININA - 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:

1.a: Caroline Marks (EUA) x Sawyer Lindblad (EUA)

2.a: Brisa Hennessy (CRC) x Tatiana Weston-Webb (BRA)

3.a: Caitlin Simmers (EUA) x Luana Silva (BRA)

4.a: Molly Picklum (AUS) x Gabriela Bryan (HAV)


CATEGORIA MASCULINA - 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:

1.a: Italo Ferreira (BRA) x Connor O´Leary (JPN)

2.a: Griffin Colapinto (EUA) x Gabriel Medina (BRA)

3.a: John John Florence (HAV) x Yago Dora (BRA)

4.a: Ethan Ewing (AUS) x Jordy Smith (AFR)


RESULTADOS DA QUINTA-FEIRA NA PRAIA DE ITAÚNA:

OITAVAS DE FINAL - 9.o lugar com US$ 13.500 e 3.320 pontos:

1.a: Connor O´Leary (JPN) 10,27 x 8,40 Jack Robinson (AUS)

2.a: Italo Ferreira (BRA) 17,50 x 11,70 Rio Waida (IDN)

3.a: Griffin Colapinto (EUA) 12,40 x 11,34 Liam O´Brien (AUS)

4.a: Gabriel Medina (BRA) 9,60 x 9,27 Cole Houshmand (EUA)

5.a: John John Florence (HAV) 14,44 x 8,00 Seth Moniz (HAV)

6.a: Yago Dora (BRA) 13,90 x 10,83 Crosby Colapinto (EUA)

7.a: Ethan Ewing (AUS) 13,67 x 8,50 Ramzi Boukhiam (MAR)

8.a: Jordy Smith (AFR) 12,10 x 7,30 Ryan Callinan (AUS)


SEGUNDA FASE - Repescagem - 17.o lugar com US$ 12.000 e 1.330 pontos:

------as 4 primeiras baterias fecharam a quarta-feira

5.a: Connor O´Leary (JPN) 11,83 x 9,23 Jake Marshall (EUA)

6.a: Cole Houshmand (EUA) 14,66 x 10,50 Matthew McGillivray (AFR)

7.a: Crosby Colapinto (EUA) 11,33 x 5,00 Imaikalani deVault (HAV)

8.a: Ryan Callinan (AUS) 13,54 x 12,80 Kanoa Igarashi (JPN)

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar