Últimas Notícias

Felipe Bardi e Ana Carolina Azevedo são os campeões dos 100 metros no Troféu Brasil

 

Felipe Bardi é negro, está sorrindo e com a medalha tampando um de seus olhos
Foto: Wagner Carmo/CBAt

Felipe Bardi (Sesi-SP) e Ana Carolina Azevedo (Pinheiros-SP) são os campeões dos 100 metros do 43º Troféu Brasil Interclubes Loterias Caixa de Atletismo, disputado na tarde desta quinta-feira (27/6), na pista do Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo. Bardi, que já está qualificado para a Olimpíada de Paris, conquistou seu segundo título brasileiro na distância. Já Ana, que com o resultado confia na classificação via ranking, celebrou a vitória no Troféu Brasil pela primeira vez.

Além do título nos 100 m, Felipe Bardi comemorou a marca: 10.05 (-0.7), a segunda melhor da sua carreira – perde apenas para o 9.96 (+1.0) conquistado em setembro de 2023, índice olímpico.

"Fazer um tempo desse na final de um Troféu Brasil é muito gratificante. Eu cheguei para esse Troféu muito tranquilo, diferente de todos os outros Troféus. Estava fazendo a contagem, é meu 10º Troféu Brasil, comecei em 2014. É sempre uma honra estar entre os melhores do Brasil. Agora é agradecer, e que venha Paris."

Bardi celebrou o pódio formado por Hygor Gabriel Soares (Projeto Atletismo Campeão-PE), que conquistou a prata com 10.13, e por seu companheiro de clube, Erik Cardoso, bronze com 10.19. E lamentou a lesão de Paulo André Camilo (CAES-ES), que não completou a prova.

"É uma grande honra correr com o Hygor, menino novo que conseguiu a prata, e o Eric, meu parceiraço, meu irmão, que conseguiu o bronze. Infelizmente teve a lesão do PA, mas eu espero que ele se recupere até os Jogos Olímpicos, porque a gente precisa dele". 

Hygor Gabriel Soares, de 21 anos, estava eufórico com a medalha de prata nos 100 m. O resultado de 10.13 é agora seu recorde pessoal (tinha 10.21, +1.0, de setembro de 2023). Natural de Natal, onde treina em uma pista de seis raias, com a ajuda de vídeos do YouTube, disputou sua primeira final de Troféu Brasil – e já estreou no pódio.

"Estou sem palavras. Nem vim preparado para correr os 100 m. Meu foco era os 200 m. Mas eu corri muito bem, fiz meu PB". Hygor começou no futsal, mas uma professora que percebeu sua velocidade, encaminhou-o ao atletismo. Até pouco tempo atrás, sua prova principal era o salto em distância. "Acho que estou nos 100 metros tem só uns dois anos."

No feminino, vitória inédita e pódio completo do Pinheiros 

Ana Carolina passou pela linha de chegada e soltou um grito de desabafo de campeã. "Eu sempre bati na trave – ficava em quarto lugar, em terceiro, segundo já era difícil, o terceiro sempre estava beliscando. Por isso que quando eu passei na linha soltei um palavrão, porque estava engasgado", disse a velocista, que, com o resultado, aumenta a expectativa de classificação nos 100m pelo ranking de pontos da World Athletics.

O pódio foi todo de atletas do Esporte Clube Pinheiros: Gabriela Silva Mourão ficou com a prata (11.32) e Lorraine Barbosa Martins conquistou o bronze (11.51).

Nos 200 metros, sua prova favorita, Ana espera correr para o índice, que é de 22.57 – sua melhor marca é 22.91, conquistada em abril. "Quero fazer o índice nos 200m, eu estou com pernas para isso, venho fazendo bons treinos. Eu amo os 200 m, é uma prova que dá para você correr com a cabeça, né? Os 100m é muito explosivo, nos 200m você ainda consegue ir pensando a prova toda. Agora estou leve."

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar