Últimas Notícias

A lançadora Raíssa Machado demonstra confiança na conquista do ouro nas paralimpíadas de Paris em entrevista para o Surto

 

Foto: Alê Cabral/CPB
A lançadora paralímpica Raíssa Machado, atual campeã mundial da modalidade, esteve presente no encontro do Time Petrobras com a imprensa e conversou com o Surto Olímpico. A atleta comentou sobre sua preparação, analisou o ciclo e falou do seu mental à menos de 80 dias dos Jogos Paralímpicos, em Paris, na França, confira:

Durante o encontro do Time Petrobras com a imprensa, onde foram anunciados os nomes apoiados pela marca petrolífera em direção a Paris 2024, a atleta Raíssa Machado, do lançamento de dardo paralímpico, falou com o Surto Olímpico sobre a sua temporada até o momento, "Então, eu passei por um processo bem complicado em 2022, bati o recorde mundial, mas também me lesionei e tive que fazer uma cirurgia."

"Logo após, também veio a Petrobras me incentivando. Tendo uma ajuda, principalmente financeira, é muito bom. E agora estamos aí, acabei de voltar do mundial, fui campeã, garanti a minha vaga para as paralimpíada, agora o foco é treino, treino, treino e, se Deus quiser, trazer uma medalha para o Brasil", continuou a atleta.

A 73 dias dos Jogos Paralímpicos, Raíssa destacou sua preparação final antes de viajar para a França, "agora nesse momento a gente tem competições, a gente vai usar essas competições no Brasil pra entrar em ritmo de competição, pra chegar bem preparada nasparalimpíadas. É focar mesmo no treino, porque o nosso objetivo é ir lá, fazer o nosso melhor, melhorar a marca também, porque a minha melhor marca esse ano foi 24.22m (melhor marca do ano por 1.48m), e se Deus quiser trazer uma medalha pro Brasil, espero que seja dourada."

O mental é uma ferramenta muito importante para os atletas, tanto na hora da disputa de uma medalha, quanto na antecipação de uma competição, relacionar isso com treinos e contratempos é um desafio a ser enfrentado por esportistas de todas as modalidade, Machado comentou ao Surto como ela trabalha a ansiedade antes dos Jogos de Paris:

"Eu falo que o nosso mental é 100% e o físico é 50%, quando a gente está 100% mentalmente, o físico vai, sabe? Mas é fundamental a gente trabalhar, ter uma psicóloga ali para estar ajudando, porque são processos diferentes, né? Cada paralimpíada é uma paralimpíada, a do Rio (2016) eu fiquei em sexto, aí eu tive que trabalhar muito no psicológico para chegar nas paralimpíadas de Tóquio, sem público, com outra energia também, mas garanti a prata nas paralimpíadas. E agora é focada com o mental 100%, graças a Deus, para representar bem o nosso Brasil", finalizou Raíssa.

Já classificada, Raíssa buscará se tornar campeão olímpica em Paris, unificando o título com o troféu mundial, que está nas mãos da brasileira. Machado é líder do ranking mundial com sobras e vai como favorita para a França. Acompanhe os Jogos Paralímpicos e o paraatletismo no Surto!

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar