Últimas Notícias

Com apenas uma medalha, Brasil se despede do Mundial de Atletismo

Foto: Wagner Carmo

O Brasil se despediu das competições do Mundial de Atletismo, que está realizado em Budapeste (HUN), neste domingo (27/8), na prova masculina da maratona. E, assim como ocorreu no sábado (26/8) na categoria feminina, a competição foi muito difícil por causa do calor e da alta umidade relativa do ar.


Os três brasileiros – Johnatas de Oliveira Cruz, Paulo Roberto de Almeida Paula e Justino Pedro da Silva – “sobreviveram” e completaram os 42,195 km. O mineiro Johnatas terminou em 29º lugar, com 2:15:13, o melhor sul-americano. O paulista Paulo Roberto, de 44 anos, ficou em 39º, com 2:17:18, enquanto o pernambucano Justino obteve a 58ª colocação, com 2:25:53.


“Foi uma prova muito dura e teve uma quebradeira geral”, comentou o treinador Luís Fernando de Almeida Paula, irmão gêmeo de Paulo Roberto, que acompanhou os maratonistas em Budapeste. “Foi uma corrida que maltratou todos os participantes.”


Luís Fernando afirmou que o Mundial de Budapeste foi o último da carreira de Paulo Roberto. "Ele vai continuar correndo em alto nível até os Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. Depois disso, ele ainda vai correr, mas sem compromisso", disse. Paulo Roberto é um dos atletas mais consistentes da maratona. Entre seus grandes resultados estão o oitavo lugar nos Jogos de Londres-2012 e o sétimo no Mundial de Moscou-2013.


Dos 85 atletas que largaram na Praça dos Heróis apenas 60 completaram a prova e muitos precisaram de atendimento médico na chegada. O tiro de partida foi dado às 7 horas (2 horas de Brasília), com 22 graus e 77% de umidade. No final, a temperatura era de 28 graus, com 61% de umidade.


Apesar da situação adversa, quatro atletas conseguiram correr a distância – dividida num circuito de 10 km – abaixo de 2:10. A vitória ficou com Victor Kiplangat, de Uganda, com 2:08:53. O israelense Maru Teferi terminou em segundo lugar, com 2:09:12, seguido do etíope Leul Gebresilase, com 2:09:19.


Brasil fica com medalha de Caio Bonfim na marcha de 20km


O país teve um desempenho abaixo do esperado, conquistando apenas uma medalha de bronze, que foi logo na primeira prova com Caio Bonfim na marcha atlética de 20km.


O segundo melhor resultado foi o de Viviane Lyra, com o 4º lugar na marcha atlética de 35km.


Outros nomes com possibilidades de medalha não conseguiram resultados. Campeão mundial em 2022 e retornando de uma operação no joelho, Alison dos Santos terminou apenas em 5º lugar. Já Darlan Romani foi o melhor na qualificação do arremesso de peso, mas foi apenas 8º lugar na final.


O 4x100m masculino, que teve o revezamento trocado e posições mudadas, ficou em 7º lugar na final antes de ser desclassificado por falhar na passagem de bastão.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar