Últimas Notícias

Depois de ano especial, Diana quer se firmar na seleção feminina que se prepara para a fase final da Liga das Nações de Vôlei

Diana está em sua segunda temporada na seleção feminina
Foto: Divulgação/FIVB


No ano passado, a central Diana, de 24 anos, fez sua estreia na seleção adulta e participou da campanha de prata da Liga das Nações. Porém, não estava na fase final da competição. O motivo? Uma cirurgia ortognática, procedimento para alterar formações ósseas da mandíbula e do maxilar para melhorar a mordida e a respiração. 

Recuperada, entrou novamente na lista de José Roberto Guimarães. Hoje, está no grupo de 16 atletas que se preparam para a fase final da competição – o Brasil encara a China na quinta-feira (13/7), pelas quartas de final.

“O ano de 2022 foi muito especial. Joguei pela primeira vez pela seleção adulta, fiz a minha cirurgia ortognática, me recuperei e voltei às quadras. Como eu fiz um bom primeiro ano na seleção, coloquei na minha cabeça que queria fazer uma temporada ainda melhor em 2023. A cirurgia me ajudou esteticamente e funcionalmente. Voltei mais motivada e feliz. Isso foi fundamental para o meu desempenho. Nesta temporada, com certeza estava mais completa como jogadora”, diz Diana.

O técnico José Roberto Guimarães vai inscrever 14 jogadoras na fase final. Diana quer um lugar nesse grupo e se empenha no dever de casa. “Temos estudado bastante a China. É um time com ótimas centrais, então vamos precisar sacar com eficiência para tirar o passe da mão delas e facilitar a formação do nosso bloqueio”.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar