Últimas Notícias

Brasil tem dia incrível e fatura dez medalhas no mundial de atletismo paralímpico

 

Alexandre Schneider/CPB


Choveu medalhas para o Brasil nesta quarta (12) no mundial de Atletismo paralímpico, que está sendo disputado em Paris, palco da próxima paralimpíada. foram 10 medalhas, sendo cinco de ouro, três de prata e duas de bronze. Com esse desempenho, o país assumiu a vice-liderança do quadro geral de medalhas da competição, com 20 pódios no total, sendo sete ouros, cinco pratas e oito bronzes. Os brasileiros estão somente atrás da China, com 20 no total – 10 ouros, seis pratas e quatro bronzes.

O show de medalhas do Brasil começou com Beth Gomes, que disputou no mesmo dia as provas do arremesso de peso e lançamento de disco F53 (cadeirantes) e ela venceu as duas provas e com direito a recorde mundial nas duas- 7,75m no peso e 17,12 no disco.

"É muita alegria, estou muito feliz com esse novo recorde, com o bicampeonato mundial. Cada recorde é uma emoção. A responsabilidade cresce cada vez, mas eu sou persistente e vou buscar cada centímetro que precisar. O trabalho está dando certo. Fazer o que eu gosto é muito gratificante", afirmou Beth, que ainda vai competir no lançamento de dardo na próxima segunda-feira, 17, último dia do Mundial.

Alexandre Schneider/CPB

Quem também levou ouro no lançamento de disco foi Claudiney Batista (foto), da classe F56 (cadeirantes). O brasileiro fez a marca de 46,07, batendo o recorde da competição e garantindo o bicampeonato: "A sensação é de alívio, de dever cumprido. Trabalhei muito nesse ano. Vim muito confiante, a preocupação era com o indiano que havia se aproximado das minhas últimas marcas. Mas sempre procuro evoluir para buscar me manter no alto do pódio", disse Claudiney ao site da CPB.

Alexandre Schneider/CPB

E as medalhas de ouro não pararam de sair para o Brasil. Ricardo Mendonça (foto) faturou seu segundo título mundial na competição ao vencer os 200m T37 (paralisados cerebrais)  com o tempo de 22s59. E Christian Gabriel chegou em segundo, fazendo a primeira dobradinha brasileira na competição.


Alessandra Cabral/CPB

Na última prova do dia, Felipe Gomes (foto) venceu os 400m T11 (cegos) e ganhou o quinto ouro do dia para o Brasil. Com uma chegada emocionante, o atleta que teve glaucoma congênito conseguiu finalizar a disputa em 51s00, 18 centésimos à frente do espanhol Gerard Descarrega, que ficou com a prata. O francês Timothee Adolphe levou o bronze, com 51s21.  

As outras medalhas do Brasil no dia foram com Fabrício Ferreira conseguiu a medalha de prata nos 100m T13 (com deficiência visual).O ouro ficou com o segundo paralímpico mais rápido do mundo, o norueguês Salum Kashafali, que fez o recorde da competição ao cruzar a linha de chegada em 10s45.

Outra prata do Brasil no dia foi em um prova de campo, Alessandro Rodrigo, que ficou em segundo lugar no arremesso de peso F11 (cegos) ao atingir a marca de 13,43m na sua terceira tentativa. Foi o seu melhor índice na temporada. O campeão da prova foi o iraniano Mahdi Olad, com 13,79m.

Para completar, tivemos os bronzes de Fábio Bordignon nos 200m da classe T35 (paralisados cerebrais) ao completar a distância com seu melhor tempo pessoal na prova: 25s40. O ucraniano Ihor Tsvietov, com 23s30, levou o ouro; E Matheus de Lima nos 100m T44 (com deficiência nos membros inferiores), que liderava, mas sentiu uma lesão nos últimos metros e acabou no terceiro lugar, com 12s05. O sul-africano Mpumelelo Mhlong venceu a prova em 11s46.

Nas outras finais do dia,  Rayane Soares encerrou a sua participação na quarta colocação na final dos 200m da classe T13, com 25s69, Samira Brito terminou os 100m T36 na oitava colocação, com 15s18 e no salto em distância da classe T36 (paralisados cerebrais), Aser Ramos (5m54m) e Rodrigo Parreira (5,57m) ficaram em sétimo e quinto lugares, respectivamente.  

Nas finais da Manhã, Jardênia Félix ficou em quinto nos 400m T20 (deficiência intelectual) e Suzana Nahirnei disputou no lançamento de dardo da classe F46 (amputados de braço) ficou na 15ª posição, com 22,41m.

Hoje também tivemos a classificação de Jerusa Geber, Thalita Simplício e Lorena Spoladore para a final dos 100m rasos T11 (cegos). e Na prova dos 1.500m T11, Júlio César Agripino e Yeltsin Jacques avançaram para a final da prova com os tempos de 4min12s10 e 4min12s83, respectivamente. As finais serão dia 13


Confira abaixo a programação dos brasileiros no mundial:


ELIMINATÓRIAS

400m T47

Fernanda Yara

Maria Clara Augusto

400m T47

José Alexandre

Lucas Lima 


SEMIFINAIS

400m T12 

Lorraine Aguiar 


FINAL

Lançamento de dardo F56 

Raissa Machado

Salto em distância T47 

Bruno Christian

Lançamento de dardo F64 

Edenílson Floriani

1.500m T11 

Yeltsin Jacques 

Júlio César Agripino 

Lançamento de disco F11

Izabela Campos

100m T11

Jerusa Geber 

Lorena Spoladore 

Thalita Simplício 

400m T12 

Lorraine Aguiar – se avançar

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar