Últimas Notícias

COI cobra comitê iraniano sobre execução de atletas que são contra o regime no país

Medida se deu por causa da morte de Mohammad Mehdi Karami, campeão nacional de caratê




Atleta foi executado por participar dos protestos contra o regime iraniano - Foto: Divulgação

É de conhecimento de todos que o Irã tem uma política tradicional e ligada ao islamismo, o que faz da nação uma das mais fechadas do mundo. Porém, o país foi assunto neste começo de ano devido a execução do campeão nacional de caratê, Mohammad Mehdi Karami. O atleta estaria participando dos protestos no país em decorrência da morte da menina Mahsa Amini, que morreu por não usar o véu corretamente.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) cobrou o Comitê Olímpico Nacional da República Islâmica do Irã (NOCIRI) a dar explicações sobre esse fato e o que a entidade está fazendo em defesa dos atletas. Em reunião realizada em Laussane, Suíça, o órgão máximo olímpico foi firme com os iranianos, chegando até em "discussões intensas" entre ambos. 

A NOCIRI foi representada pelo seu presidente Mahmoud Khosravi, que teve que explicar sobre a morte de Mohammad Karami e do técnico das categorias de base de caratê, Seyed Mohammad Hosseini. Vale ressaltar que o Irã já ficou na mira do esporte mundial por causa da condenação de enforcamento do jogador de futebol Nasr Azadani, pelos mesmos motivos, porém sua pena foi revertida na condenação a 26 anos de prisão.

Após a conversa, os iranianos assumiram os compromissos claros de buscar e expandir seus esforços para defender os direitos dos atletas, tanto do ponto de vista humanitário, quanto esportivo, e continuar a agir de acordo com a Carta Olímpica e respeitar plenamente o princípio da não discriminação.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar