Últimas Notícias

Campeã olímpica Fofão é anunciada como técnica da seleção feminina sub17

CBV/ Divulgação


A ex-levantadora Fofão será a treinadora da seleção sub-17 feminina de vôlei, que este ano disputa o Sul-Americano em busca de uma vaga no Mundial de 2023. É a primeira vez que uma mulher assume o comando de uma seleção brasileira de voleibol, seja na base ou no profissional. Aos 52 anos e com certificação de treinadora, Fofão tem a missão de desenvolver uma nova geração de atletas. 

A escolha da campeã olímpica dá continuidade à iniciativa da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) de ter mais mulheres em postos de comando nas seleções brasileiras. Em 2022, pela primeira vez mulheres integraram as comissões técnicas de seleções nacionais: Karina de Souza foi a auxiliar da seleção feminina sub-20, e Mirtes Benko, da sub-18 feminina. A seleção sub-17 masculina terá comando de Marcelo Zenni, com experiência em seleções de base e grandes equipes do vôlei brasileiro. 

 “A categoria sub-17 foi recriada pela Federação Internacional, e teremos dois treinadores de muita capacidade no comando dessa categoria tão importante para o desenvolvimento de uma nova geração. Fofão é uma referência no esporte e como primeira mulher à frente de uma seleção brasileira, será inspiração além das quadras, como a Karina e a Mirtes, que já trabalham em outras seleções de base. Temos muitas profissionais talentosas e esse é um caminho sem volta”, explica Jorge Bichara, diretor técnico da CBV. 

 Além do currículo recheado de conquista como jogadora - com cinco olimpíadas e três medalhas olímpicas na carreira, sendo uma delas de ouro em Pequim 2008 -, Fofão foi coordenadora das seleções de base do Brasil e tem formação de treinadora pela CBV: "Tive identificação imediata com o desafio apresentado pela CBV. Estou no momento certo da minha carreira para aceitar esse cargo. Essa categoria é a porta de entrada para o universo das seleções brasileiras, e posso ajudar no desenvolvimento e na formação das novas gerações. É importante termos cada vez mais mulheres nas comissões técnicas”, afirma Fofão. 

O trabalho das equipes de base é conectado com o da seleção adulta, comandada por José Roberto Guimarães. “Estamos totalmente integrados. Fico muito feliz com a escolha da Fofão para comandar a equipe feminina sub-17. É uma profissional preparada, além de ter sido uma das jogadoras mais técnicas e inteligentes com quem tive a oportunidade de trabalhar. Ela é uma referência e vai ajudar na formação de novos talentos. Que seu pioneirismo no cargo sirva de exemplo, que surjam cada vez mais treinadoras no voleibol”, garante José Roberto Guimarães. 

No masculino, o gaúcho Marcelo Zenni, foi o nome escolhido: “Represento o Brasil há 10 anos como assistente técnico e analista de desempenho das seleções de base. Estou feliz com essa oportunidade. Já começamos um trabalho de mapeamento de atletas, clubes e técnicos formadores. Estou muito motivado com essa oportunidade”, finaliza Marcelo Zenni.  

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar