Seleção Brasileira de hipismo paralímpico confirma quatro vagas para o Mundial


O Brasil confirmou a equipe completa com quatro integrantes rumo ao Mundial de adestramento Paraquestre 2022 em Herning, na Dinamarca, em agosto. Entre os dias 30 de junho e 1º de julho, a equipe brasileira participou do CPEDI Grote-Brogel, na Bélgica, e garantiu as vagas.

O primeiro brasileiro a conquistar o índice foi Thiago Fonseca dos Santos, com Johnny Walker Plus, computou 63,062% de aproveitamento na prova por equipes Grau V na quinta-feira, 30, e novamente 63,062% na prova individual no Grau V, na sexta, 1º de julho. A pontuação mínima exigida era 62%.

Flamarion Pereira da Silva apresentando Francis no Grau II, também garantiu sua qualificação, com 65,147%. O resultado lhe garantiu o 5º lugar.

Já estavam tecnicamente qualificados para o Mundial desde os Jogos Paralímpicos de Tóquio: Rodolpho Riskalla com Don Henrico, dupla que arrematou prata em Tóquio no Grau IV, e Sergio Oliva com Millenium, top 10 no grau I na capital japonesa.

Sergio que a exemplo de Flamarion mora no Brasil, também competiu em Grote-Brogel e na sexta-feira, 1º de julho, e em reencontro com sua montaria Millenium, adquirida pouco antes dos Jogos Tóquio, emplacou em 5º lugar, totalizando 65,476% de aproveitamento. Vera Lucia Mazzili também está na Bélgica, mas dessa vez não se habilitou para o Mundial. Dos quatro integrantes da equipe rumo ao Mundial, somente Rodolpho, atual terceiro do ranking, mora na Europa.


Rumo ao Mundial


O Mundial da modalidade acontece entre 6 e 14 de agosto, em Herning, Dinamarca. A prova técnica será realizada dia 10 para atletas dos graus IV, V e II e no dia 11 para atletas dos graus III e I. O pódio por equipe dos graus IV, V e III é dia 12 e dos graus III e I no dia 13. No domingo 14, a prova Freestyle define os campeões individuais dos graus I a V.

O adestramento paraequestre foi a última modalidade a integrar o Mundial (World Equestrian Games), em Kentucky 2010, nos Estados Unidos. O Brasil participou de todas as edições com times formados por atletas de diferentes graus. A melhor campanha brasileira foi em Tryon, nos EUA, em 2018, com a conquista de duas medalhas de pratas por Rodolpho Riskalla montando Don Henrico – dono também das melhores notas do Brasil em WEGs - e o 7º lugar por equipe.

Foto: Rodrigo Capela/CPB
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

Bem-vindos ao Surto Olímpico!
Bem-vindos ao Surto Olímpico!
To Top