Seleção brasileira cai para Itália e é vice-campeã da Liga das Nações

Gabi e Carol bloqueiam ataque italiano. Foto: FIVB/Divulgação


Brasil levou a medalha de prata pela terceira vez consecutiva na Liga das Nações de vôlei feminino 2022, em partida realiza neste sábado, em Ankara, Turquia. Com uma partida abaixo e dificuldades para definição, a seleção brasileira sofreu contra uma Itália que, mesmo sem jogar o fino de todo o seu potencial, teve mais poder de definição e tranquilidade para fechar a partida em 3 sets a 0 com parciais de 25-23, 25-22 e 25-22 e se consagrar campeã. O terceiro lugar ficou com a Sérvia após derrotar a Turquia, também por 3 a 0 com parciais de 25-27, 17-25 e 24-26.

As atuais campeãs europeias confirmaram seu favoritismo e levaram a melhor nas viradas de bola, com ataque, bloqueio e defesa mais consistentes. Brasil conseguiu defender as ofensivas azurras, mas não teve a mesma potência para definir. Do lado brasileiro, Kisy anotou 14 pontos e Gabi 11. Egonu foi a  maior pontuadora da partida com 21 pontos, Bosetti, peça fundamental para a vitória italiana, fez 11. 

O jogo

1º Set

Brasil começou mais nervoso e taticamente mais falho nas viradas de bola. Mesmo com o passe na mão e boas defesas, as bolas brasileiras não caiam. Egonu após rally, fez 9 a 3 após contra-ataque. Brasil tentou respirar com bola de segunda da Gabi mas ainda desperdiçando ataques não conseguiu seguir o ritmo. Gabi, afastada da rede, contra-ataca para a seleção e diminui a vantagem em quatro pontos em 14 a 10. Brasil cresceu na partida com sequência no bloqueio de Kisy e ace de Gabi, indo para 23 a 21 para a azurra. Carol bloqueia ataque de Egonu e a seleção empata em 23 a 23. Mas em erro de saque da central brasileira, a seleção italiana leva a melhor e fecha o primeiro set em 25 a 23. 

2º Set

Com um início mais equilibrado, as duas seleções disputaram ponto a ponto a primeira metade da parcial. O passe até chegava na mão da levantadora Macris. Mas Itália com mais poder de definição, abriu pontos importantes de vantagem e desgarrou no placar. Brasil errou viradas de bola no side out e viu a azurra abrir cinco pontos de vantagem em 15 a 10. Em busca de recuperação, Brasil não se entregou e Carola fez o 17º contra 21 da seleção italiana. Carol colocou fôlego e fez o 19º da seleção. Mas a Itália manteve a vantagem e Malinov, encerrou a segunda parcial em 25 a 22.

Carol e Kisy celebram ponto brasileiro. Foto: FIVB/Divulgação

3º Set

A seleção brasileira tentou ir para o “tudo ou nada”. Zé Roberto colocou em quadra Lorena e Pri Daroit no lugar de Julia Kudiess e Julia Bergmann, o que surtiu efeito. Pela primeira vez no jogo, o Brasil passou à frente do placar em 3 a 2. Kisy aumentou em 5 a 3 e o Brasil foi pra parada técnica com 12 a 11. Mas Itália colocou em quadra o seu domínio dos sets anteriores e e marcou 16 a 13 com Egonu. 

Ana Cristina colocou uma injeção de ânimo e marcou o 14º e o 15º brasileiros, com 18 a 15 adversos. Egonu colocou as italianas a frente com 22 a 21, que se aproveitaram de erros seguidos das brasileiras para fechar o último set em 25 a 22.

O segundo lugar na Liga das Nações de vôlei feminino consagra um trabalho de renovação realizado pelo técnico Zé Roberto. Um dos objetivos foi cumprido. Preparar terreno para um novo ciclo olímpico com várias caras novas que disputaram, pela primeira vez, jogos na seleção adulta, como a ponteira Julia Bergmann. O foco agora é o Campeonato Mundial de vôlei feminino, que acontecerá entre 23 de setembro a 15 de outubro, na Polônia e Holanda.

A seleção do campeonato segundo a Federação Internacional de Voleibol (FIVB):

  • Melhor Ponteira: Caterina Bosetti (Itália)
  • Melhor Ponteira: Gabi Guimarães (Brasil)
  • Melhor Central: Jovana Stevanovic (Sérvia)
  • Melhor Central: Ana Carolina Silva, a Carolana ( Brasil)
  • Melhor Líbero: Monica De Gennaro (Itália)
  • Melhor Levantadora: Alessia Orro (Itália)
  • Melhor Oposta: Paola Egonu (Itália)
  • MVP: Paola Egonu (Itália)


Escalação
:

Brasil: Macris, Kisy, Gabi, Júlia Bergmann, Carol, Júlia Kudiess e Nyeme (líbero). Entraram: Ana Cristina, Rosamaria, Roberta, Lorena e Lorenne. Técnico: José Roberto Guimarães.

Itália: Alessia Orro, Paola Egonu, C. Bosetti, E. Pietrini, C. Chirichella,  A. Danesi, Monica De Gennaro. Entraram: Malinov. Técnico: Davide Mazzanti.

Postar um comentário

To Top