Segundo dia do Ballito Pro é favorável para as mulheres e ruim para os homens

Matheus Navarro é único a se classificar no masculino (foto: Divulgação / WSL)
Matheus Navarro é único a se classificar no masculino (foto: Divulgação / WSL)

O segundo dia no Ballito Pro não foi bom para os brasileiros. O campeonato é a terceira etapa do Challenge Series 2022 e acontece na África do Sul.

As ondas de hoje (05/07) foram maiores e melhores, com as direitas e esquerdas alcançando 1 metro de altura.

Você pode re-assistir as baterias pelo site da WSL.

Feminino

Laura Raupp se prepara para cair no mar (foto: Reprodução Instagram / WSL)
Laura Raupp se prepara para cair no mar (foto: Reprodução Instagram / WSL Brasil)

Quatro surfistas brasileiras caíram para a água e duas delas garantiram vagas no segundo round.

Na primeira bateria, a novata de 15 anos, Laura Raupp, ficou em segundo lugar. A catarinense surfou em nove ondas e conquistou as notas de 5.67 e 4.10.

Logo depois, Anne dos Santos entrou no mar. Após surfar 10 ondas, a brasileira não se saiu bem e ficou em último lugar com as pontuações 2.50 e 2.43.

A irmã de Gabriel Medina também não teve muita sorte. Na quarta bateria, Sophia Medina surfou 10 ondas e acabou em quarto lugar com pontuações de 4.80 e 3.60. No somatório, ficou a apenas 2.35 da vaga.

Mas, Summer Macedo trouxe mais uma vaga para o Brasil na décima disputa do dia. Com 11 ondas surfadas, a havaiana de pai brasileiro atingiu as notas de 3.87 e 3.00.

Resumo

1 Bronte Macaulay (AUS) 14.33, Laura Raupp (BRA) 9.77, Leilani McGonagle (CRI) 8.67, Izzi Gomez (COL) 1.80

2 Keala Tomoda-Bannert (HAV) 12.67, Zoe McDougall (HAV) 9.96, Ariane Ochoa (ESP) 7.00, Anne dos Santos (BRA) 4.93

4 Keely Andrew (AUS) 14.03, Daniella Rosas (PER) 10.74, Carolina Mendes (POR) 9.10, Sophia Medina (BRA) 8.40

10 Brianna Cope (HAV) 8.70, Summer Macedo (BRA) 6.87, Mafalda Lopes (POR) 6.83, Garazi Sanchez-Ortun (ESP) 4.67

Masculino

Ainda na primeira fase, apenas Matheus Navarro dos sete homens avançou. Matheus competiu na 22ª bateria e ficou atrás apenas de Liam O’Brien, que foi o melhor surfista do dia. Enquanto o australiano somou 14.50 em menos de cinco minutos, o brasileiro começou com 4.67, vindo de um aéreo reverse de frontside. Depois disso, o brasileiro e o uruguaio Marco Giorgi passaram a brigar pelo segundo lugar. Matheus conquistou a posição com uma batida em uma direita que valeu 2.07.

Já o primeiro brasileiro a entrar na água, pela 17ª bateria, não se deu muito bem. Ryan Kainalo começou bem e passou boa parte da disputa em 1º lugar. Logo no primeiro minuto, o brasileiro fez um aéreo reverse de frontside que garantiu uma nota de 4.50. Depois, ele surfou outra direita e conseguiu realizar uma rasgada bem definida, bateu e fez mais um cutback, acumulando um 5.53. Mas, nos minutos finais, entrou uma série em que os quatro comppetidores se deram bem. Na última série, ele levou uma virada e acabou em terceiro lugar.

A bateria que se iniciou em sequência afastou mais um brasileiro do título. Robson Santos surfou somente duas ondas, conseguindo as notas de 3.93 e 1.83 e terminando em último lugar.

Também com notas baixas, Edgard Groggia também se despediu da competição. Nas 14 ondas em que surfou, a sua maior nota foi de apenas 3.80.

Na 21ª bateria, Rafael Teixeira foi eliminado por muito pouco. No minuto final, ele precisava surfar uma onda de nota 6.14 para ficar com um segundo lugar. Mas, infelizmente, seu ataque de três manobras de backside e anotou 6.13. Assim, ele empatou com Frederico Morais, o português ficou com a vaga por ter uma maior nota.

Mais dois brasileiros foram eliminados na 23ª disputa. William Cardoso começou bem, pegou uma direita e bateu duas vezes e rasgou forte para conquistar um 7.17. Também nas direitas, Peterson Crisanto abriu com 4.17 pontos e, cinco minutos depois, executou 3 manobras para garantir um 4.33. Depois, os brasileiros passaram a disputar o segundo lugar. Após um bom tempo sem entrar nas ondas, William ele fez uma rasgada, mas caiu em seguida, conseguindo 2.20 pontos e ficando na segunda colocação. Peterson foi rápido e voltou à segunda colocação com 5.17 conquistados com uma rasgada e uma pancada. Mas o estadunidense, Tyler Gunter, que até então estava em último ultrapassou os dois atacando uma direita até o inside.

Resumo

17 Ryan Callinan (AUS) 10.50, Cam Richards (EUA) 10.07, Ryan Kainalo (BRA) 10.03, Jett Schilling (EUA) 8.33

18 Michael Dunphy (EUA) 10.84, Cody Young (HAV) 9.30, Sheldon Simkus (AUS) 7.13, Robson Santos (BRA) 5.76

19 Joan Duru (FRA) 11.60, Eli Hanneman (HAV) 11.33, Edgard Groggia (BRA) 7.27, Ketut Agus (IDN) 7.26

21 Dylan Moffat (AUS) 11.40, Frederico Morais (POR) 10.86, Rafael Teixeira (BRA) 10.86, Chris Zaffis (AUS) 10.73

22 Liam O’Brien (AUS) 14.50, Matheus Navarro (BRA) 8.70, Marco Giorgi (URU) 6.26, Adur Amartriain (ESP) 3.80

23 Adin Masencamp (AFR) 14.00, Tyler Gunter (EUA) 9.70, Peterson Crisanto (BRA) 9.50, Willian Cardoso (BRA) 9.37

Próximos passos

A primeira fase feminina e a segunda fase masculina continua amanhã à partir das 1h30 (horário de Brasília) e você acompanha ao vivo pelo Youtube da WSL.

Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

Bem-vindos ao Surto Olímpico!
Bem-vindos ao Surto Olímpico!
To Top