Presa na Rússia, Brittney Griner faz apelo em carta ao presidente dos Estados Unidos



A pivô Brittney Griner, bicampeã olímpica com a seleção de basquete feminino dos  Estados Unidos e oito vezes all-star da WNBA, enviou carta aberta ao presidente do país, Joe Biden, e apelou por ajuda para retornar para casa. Ela está detida há cinco meses em Moscou, na Rússia, acusada de tráfico internacional de drogas.

Brittney está sendo julgada na Rússia desde o dia 1º de julho e se for condenada, pode pegar 10 anos de prisão.  Em viagem a Moscou, em fevereiro, a jogadora foi presa ao desembarcar por levar óleo de haxixe em cartuchos de cigarros eletrônicos.

"Enquanto estou sentada aqui, numa prisão da Rússia, sozinha com meus pensamentos e sem a proteção da minha esposa, família, amigos, o uniforme olímpico ou qualquer conquista, estou aterrorizada porque posso ficar aqui para sempre. No 4 de julho a minha família costuma honrar o serviço dos que lutaram pela nossa liberdade, incluindo o meu pai que esteve na guerra do Vietnã. Dói pensar que, este ano, um dia em que se celebra a liberdade significa algo completamente diferente para mim" Disse Brittney em trecho da carta divulgada por seus agentes

Griner, estrela da equipe Phoenix Mercury, estava na Rússia  durante o período da época em que não há WNBA, uma prática comum na modalidade por conta do calendário e dos baixos salários que as atletas recebem em relação aos atletas da NBA. A liga estadunidense tem feito vários protestos de apoio à atleta antes de seus partidas. Em outro trecho da carta, a atleta pede que o Joe Biden não se esqueça dela:

"Sei que você [Joe Biden] está passando por muita coisa, mas por favor não se esqueça de mim e dos outros detentos americanos. Por favor, faça o que puder para nos trazer para casa. Eu votei pela primeira vez em 2020 e votei em você. Eu acredito em você. Eu ainda tenho tanto de bom por fazer com a minha liberdade, que você pode ajudar a restabelecer." 


foto: Reuters


Postar um comentário

To Top