Mesatenistas paralímpicos do Brasil terminam torneios individuais com 20 medalhas na Copa Tango


A participação brasileira nas disputas individuais da Copa Tango – que acontece em Buenos Aires, na Argentina – foi nada menos do que espetacular. Além do ouro conquistado por Bruna Alexandre e da prata por Danielle Rauen na sexta-feira, os brasileiros faturaram outras 18 medalhas neste sábado (9), sendo cinco ouros, seis pratas e sete bronzes.

Dos pódios com presença brasileira no segundo dia de competição, cinco deles foram no lugar mais alto. O primeiro do dia foi conquistado por Paulo Henrique Fonseca na classe 7. Ele passou pelo argentino Aleksy Kaniuka por 3 a 0 (11/9, 11/6 e 11/7) na semifinal e, depois, fez final verde e amarela contra Paulo Salmin, que terminaria com a prata. Na decisão, Fonseca ficou com o ouro ao bater o compatriota por 3 a 1 (11/8, 6/11, 11/5 e 11/6).

O segundo título brasileiro do dia veio na classe 9. Lucas Carvalho passou sem dificuldades pelo chileno David Poblete na semifinal: 3 a 0, com parciais de 11/5, 11/5 e 11/7. Depois, encarou outro atleta do Chile na grande decisão e também não teve trabalho, 3 a 0 (11/3, 11/8 e 11/9) para o brasileiro.

Na classe 3 masculina, o país teve mais um campeão. Fabio Silva eliminou o argentino na partida anterior à decisão (3 a 0, parciais de 11/7, 11/2 e 11/6) e, depois, encarou um compatriota para ficar com o ouro. Diante de Jean Carlo Padilha, Silva terminou com o triunfo por 3 a 0 (11/3, 13/11 e 11/5), sagrando-se detentor do lugar número um do pódio. Padilha ficou com a prata.

Thais Severo foi outra brasileira a alcançar o ouro no dia. Na classe 2-5 feminina, ela derrotou a argentina Nayla Kuell por 3 a 0 (11/8, 11/7 e 11/6) para garantir vaga na final. O embate decisivo foi contra a cubana Yanelis Zamora, em que Thais venceu por 3 a 1 (11/6, 4/11, 11/6 e 11/3) para ficar com o primeiro lugar.

Na classe 7-8, a jovem Sophia Kelmer repetiu as grandes atuações recentes para ir ao lugar mais alto do pódio. A glória foi conquistada depois dela ter passado por Giselle Muñoz, da Argentina (por 3 a 0, parciais de 11/7, 11/7 e 11/8), na semifinal e por triunfar diante da chilena Florencia Perez pelo mesmo placar na final. Parciais de 11/4, 11/9 e 11/6.

Outros brasileiros também conseguiram chegar às suas respectivas finais, mas acabaram ficando com a prata. Claudio Massad, na classe 10, acabou batido pelo chileno Manuel Farias por 3 a 2 (5/11, 11/4, 5/11, 11/7 e 8/11), enquanto Eziquiel Babes, na classe 4, também caiu diante de um atleta do Chile: revés de 3 a 0, com parciais de 13/11, 11/6 e 12/10.

Luiz Filipe Manara também alcançou a final da sua classe. Na 8, o brasileiro teve de medir forças contra o argentino Alejandro Perez. O representante do Brasil acabou superado por 3 a 1, com parciais de 6/11, 12/10, 7/11 e 10/12.

A classe 2 foi decidida em grupo único. Iranildo Espíndola, que era o brasileiro na classe, terminou a sexta-feira na quarta posição e fora da zona de medalhas. Para ir ao pódio, ele precisaria vencer os jogos do sábado para tentar o Top 3. E ele conseguiu. O experiente atleta bateu os argentinos Luis Fernando Muñoz e Joel Libertino, ambos por 3 a 0. Com isso, Espíndola subiu à segunda colocação e ficou com a prata.

O Brasil ainda conquistou outras sete medalhas no dia, todas de bronze. Elem Silva, na classe 7-8 feminina; Carlos Carbinatti, na 10 masculina; Flávio Seixas, na 9; Alexandre Ank, na 4; João Nascimento Junior, na 8; Felipe Oliveira, na 6; e Lucas Arabian, na 5, foram os atletas que completaram o quadro de medalhas brasileiro nas disputas individuais.

Foto: FOTOJUMP/CBTM
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

Bem-vindos ao Surto Olímpico!
Bem-vindos ao Surto Olímpico!
To Top