Caio Bonfim volta ao top-8 nos 35km da marcha atlética do Mundial de Atletismo


Numa prova completamente inesperada, em que o japonês Daisuke Matsunaga largou num ritmo insano e liderou até metade da distância, o brasileiro Caio Bonfim teve de manter a paciência e, mais do que isso, o ritmo para terminar em sétimo lugar nos 35 km marcha atlética do Campeonato Mundial de Atletismo do Oregon, nos Estados Unidos, neste domingo (24/7), na cidade de Eugene.

Sexto colocado nos 20 km marcha (1:19:51), no dia 15 de julho, no primeiro dia de competição, Caio completou as 35 voltas no circuito de 1 km, começando e terminando no Martin Luther King Jr. Boulevard, em frente ao Estádio Autzen, da Universidade do Oregon, em 2:25:14, quebrando o recorde brasileiro da prova, que era dele mesmo, com 2:33:57 desde janeiro deste ano, marca obtida na Copa Brasil Loterias Caixa, em Bragança Paulista.

A prova deste domingo teve largada às 6:15 da manhã no horário local (10:15 de Brasília), com temperatura de 12 graus. No verão norte-americano, porém, o calor aumentou e numa prova tão desgastante os atletas tiveram de tomar muito cuidado com a hidratação e usar bonés para se proteger do sol.

“Precisa ter muita coragem para viver da marcha. Vim para dar o meu melhor e consegui. A prova começou com um ritmo insano, sabia que muita gente ia quebrar. Senti um pouco a perna esquerda na parte final da prova, mas é uma competição que exige inteligência. Prova inédita no Campeonato Mundial”, disse, referindo à mudança dos 50 km para os 35 km. “Obrigado por todos que torceram por mim, Estamos numa competição que não reúne apenas os melhores atletas do mundo, mas os melhores atletas de todos os tempos em seus países.”

Na quinta volta, Gianetti Bonfim, mãe e treinadora de Caio, deixou a hidratação para ficar na torcida e gritar. “Estou feliz por conseguir esse resultado, mais de um mês longe de minha família, de meus filhos. Vão falar que não ganhei uma medalha, mas dei tudo o que podia na prova, melhorei meu recorde brasileiro e vou com tudo para o Mundial do ano que vem e para a Olimpíada de Paris-2024”, comentou Caio, de 31 anos, medalha de bronze nos 20 km no Mundial de Londres-2017.

Antes do Mundial. Caio passou por um camping de altitude e no Arizona, onde teve a companhia de sua mãe nos treinamentos.

O italiano Massimo Stano, campeão Olímpico em Tóquio-2020, conquistou o ouro, com 2:23:14, novo recorde do Campeonato Mundial. O japonês Masatora Kawano ficou com a prata, com 2:23:15, novo recorde asiático, e o sueco Perseus Karlstrom levou a bronze, com 2:23:44, recorde pessoal.

Postar um comentário

To Top