Arthur Nory e Caio Souza buscam vagas para o Mundial durante o Pan de ginástica artística do Rio de Janeiro


De olho nas vagas para o próximo Campeonato Mundial, os ginastas Arthur Nory e Caio Souza, integrantes do Time Ajinomoto, estarão em ação a partir desta quinta-feira (14), pelo Campeonato Pan-Americano de ginástica artística. A competição está marcada para acontecer na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro, e vai até o próximo domingo (17).

O Pan-Americano do Rio é um dos eventos classificatórios organizados pela FIG (Federação Internacional de Ginástica) para definir os participantes do Campeonato Mundial de Liverpool (ING), que começará no final de outubro. Estarão em jogo quatro vagas por equipe e seis vagas pelo individual geral, com limite para dois atletas por país.

Tanto Nory quanto Caio estão na reta final de uma forte preparação, com objetivo de assegurar estas vagas logo no Pan. O outro ginasta que integra o Time Ajinomoto, Francisco Barretto Junior, não participará do Pan-Americano por estar contundido.

“Estamos fazendo uma preparação muito forte. Ainda restam alguns dias, mas estamos cuidando de todos os detalhes para chegarmos na melhor forma possível nesta competição”, diz Arthur Nory, campeão mundial da barra fixa em 2019 e medalha de bronze no solo na Olimpíada do Rio, em 2016.

“Os treinamentos estão sendo bem intensos. O resultado que tive na Croácia me deu ainda mais motivação para chegar no Pan-Americano na melhor forma possível”, afirma Caio Souza. Em junho, durante a etapa da Copa do Mundo realizada na cidade de Osijek, Caio obteve um feito considerado histórico na ginástica artística do Brasil, conquistando quatro medalhas (duas de prata e duas de bronze), algo que nenhum ginasta brasileiro já alcançou.

Para os ginastas do Time Ajinomoto, o Pan-Americano do Rio será importante para uma autoavaliação da temporada até aqui. ”Só fiz uma competição até aqui, que foi o Troféu Brasil e o Pan será o primeiro evento com a seleção brasileira reunida, e ainda mais desafiador por ser na nossa casa, no Rio de Janeiro”, disse Arthur Nory. “Ainda estamos em processo de adaptação às mudanças no código de pontuação para este ciclo, mas já participei de duas competições, uma nacional e outra internacional, e os resultados estão sendo bons”, avalia Caio Souza.

Foto: Divulgação

Postar um comentário

To Top