Ouro em Seul 1988, judoca Aurélio Miguel é o segundo homenageado com minidocumentário do Hall da Fama


Chegou a hora de conhecermos mais detalhes da carreira de um dos maiores judocas da história do Brasil. Nesta quarta, 1º de junho, Aurélio Miguel, ouro em Seul 1988 e bronze em Atlanta 1996, se torna o mais novo homenageado na série de minidocumentários com os integrantes do Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Entre diversos “causos” contados no vídeo, Aurélio lembra que os brasileiros comemoraram a classificação para a final na Coreia do Sul, mas que para ele o foco era outro.

“Chegou um monte de gente, dirigentes, repórteres, dizendo: ‘Parabéns, Aurélio, já garantiu a prata. Eu virei e falei para o técnico Geraldo Bernardes: bota todo mundo pra fora que aqui, para mim, só vale o ouro. Mas quando a gente sobe no pódio, passam todas as dificuldades que você enfrentou, parece que você está andando nas nuvens. É difícil até de descrever. É uma sensação muito gostosa, ainda mais na hora que toca hino. Até hoje, quando ouço, eu fico emocionado”, contou Aurélio.

A atual série de minidocumentários no Canal Olímpico do Brasil e no Youtube do Time Brasil foi lançada na última quarta, 25, com o vídeo de Fofão, levantadora que foi ouro nos Jogos Olímpicos Pequim 2008. Na próxima quarta, 08, aniversário de 108 anos do COB, será lançado o último vídeo dessa série, com Servílio de Oliveira, boxeador bronze nos Jogos México 1968.Os vídeos com cerca de 10 minutos de duração trazem, além de entrevistas com os medalhistas olímpicos que fazem revelações inéditas, imagens raras conseguidas pelo COB com diversas fontes

Foto: Divulgação

Postar um comentário

To Top