Delegação brasileira de natação paralímpica embarca para disputa de Mundial em Portugal


A delegação brasileira de natação paralímpica que vai participar do Mundial da modalidade na Ilha da Madeira, em Portugal, entre os dias 12 e 18 de junho, embarcou nesta quarta-feira, 1, para o país europeu para dar início ao período de aclimatação antes da competição. Ao todo, 29 atletas foram convocados para representar o país nas provas individuais e de revezamento.

O plano de voo dos atletas e comissão técnica contou com duas rotas distintas até o local das disputas na Europa.

Um primeiro grupo, com 32 pessoas, incluindo nadadores e staff, embarcou pelo aeroporto de Guarulhos  em voo direto para Portugal. Já um segundo grupo, com 17 pessoas, incluindo atletas e staff, embarcou  também pelo aeroporto de Guarulhos, mas com escala no Recife (PE). Depois, serão quatro horas de espera na capital pernambucana antes da nova viagem para Portugal.

Tanto o primeiro quanto o segundo grupo da equipe brasileira de natação precisarão ainda enfrentar mais um voo por cerca de 1h40 de Lisboa a Funchal, região onde será realizado o Mundial. A chegada na Ilha da Madeira está prevista para quinta-feira, 2.

"Vamos manter os treinamentos dos atletas até o dia do embarque, no período da manhã. Além disso, temos uma série de orientações que fizemos para os atletas durante os voos, como fazer as ‘pausas ativas’ para evitar que o corpo entre em um estado de sonolência excessiva. Então, ideal é que, periodicamente, se levantem das poltronas durante os voos, façam alogamentos, não fiquem parados o tempo todo. Tudo isso para manter um pouco da ativação no período entre o sono e a alimentação", explica Leonardo Scarpato, preparador físico da Seleção Brasileira de natação paralímpica.

Neste trabalho integrado entre comissão técnica, preparação física, com o departamento de Ciências de Esportes do CPB, e nutrição, outras recomendações foram passadas aos atletas, como evitarem bebidas cafeinadas ou gaseificadas e dormirem o máximo possível nos últimos três quartos da viagem para que isso já contribua com o processo de adaptação ao novo fuso.

A questão da alimentação para manter o nível da concentração sempre alta dos atletas também foi outro ponto abordado no planejamento. Tanto o primeiro quanto o segundo grupo farão refeições nos aeroportos e durante o voo.

Foto: CPB/Alê Cabral

Postar um comentário

To Top