Brasil conquista sete medalhas no primeiro dia do mundial de natação paralímpica



O Brasil teve boa atuação no primeiro dia do mundial de natação paralímpica, que está sendo disputado na Ilha da Madeira em Portugal e e reúne aproximadamente 600 atletas de 59 países até o sábado (18). foram sete medalhas, duas medalhas de ouro - Maria Carolina Santiago e Gabriel Bandeira, quatro de prata - Carol novamente, Phelipe Rodrigues, Joana Neves e Samuel Oliveira - e um bronze, Patricia Santos

 

Pela manhã, o Brasil esteve presente na  única disputa de medalha da sessão.  Maria Carolina Santiago conquistou a medalha de ouro nos 100m borboleta da classe S12, para atletas com deficiência visual,  nesta manhã no Campeonato Mundial de natação paralímpica. Carol cravou 1m07s00, apenas 17 centésimos à frente da italiana Alessia Berra, que ficou com a prata. A espanhola Maria Delgado Nadal terminou com o bronze (1m09s00). A brasileira Lucilene Sousa foi a quarta colocada com 1m10s93.


Já na sessão da tarde, veio a chuva de medalhas: Gabriel Bandeira (foto), da classe S14, para atletas com deficiência intelectual foi ouro  Ele nadou para 1min52s42 nos 200m livre, novo recorde da competição e apenas dois centésimos da melhor marca do mundo nesta classe. A prata nesta prova foi do canadense Nicholas Bennett (1min54s51) e o bronze ficou com o australiano Benjamin Hance (1min56s14).


Um dos caçulas da Seleção faturou a primeira prata do Brasil: Samuel Oliveira, de 16 anos, Nos 50m livre da classe S5, Samuka dominou a prova até o último metro, quando foi superado na batida de mão pelo italiano Francesco Bocciardo. O paulistano bateu em 33s38, enquanto Bocciardo fez a marca de 33s11. O bronze Muhammad Zulkaflu (33s81). Joana Neves, também da S5, conquistou prata na mesma prova no feminino.



O veterano multimedalhista Phelipe Rodrigues também deu uma prata ao Brasil, nos 50m livre da classe S10 e Carol voltou na sessão da tarde para mais uma final, nos 100m costas S12, e ficou com a prata. Patrícia Santos fechou o dia de medalhas do Brasil nos 50m peito (SB3).


Após este primeiro dia, o Brasil ocupa a quarta posição no quadro de medalhas, com dois ouros, quatro pratas e um bronze. A liderança é da Itália, uma potência na natação paralímpica mundial, com 13 medalhas (seis ouros). A Grã-Bretanha está em segundo, com sete medalhas (cinco ouros), seguida dos Estados Unidos, com seis medalhas (três ouros). A China resolveu não disputar a competição.


Foto: Ale Cabral/CPB

Postar um comentário

To Top