Prata em Tóquio, Ahmed El-Gendy se manifesta a favor da exclusão da equitação no pentatlo moderno


Ahmed El-Gendy, medalhista olímpico de prata no pentatlo em Tóquio 2020, se posicionou em relação a saída da equitação do programa de provas da modalidade e disse que acredita que “é a única maneira de o esporte continuar fazendo parte dos Jogos Olímpicos”.

O atleta egípcio insistiu que o comentário no Instagram onde ele disse que “não estava feliz com a remoção da equitação” era “parte do meu comentário defendendo meu irmão e não era uma declaração de forma alguma”.

“É difícil admitir os fatos mas o esporte foi desafiado com muitas mudanças antes, e é hora de mais uma mudança”, escreveu o atleta no Facebook.

“A equitação depende principalmente da sorte que você e vimos muitos pentatletas perdendo medalhas olímpicas por causa de um cavalo ruim, embora sejam bons cavaleiros”.

“Para mim, a equitação é uma das disciplinas que mais gosto, mas sua eliminação, que era a última opção para mim, é a única maneira de o esporte continuar fazendo parte dos Jogos Olímpicos”, finaliza El-Gendy.

A modalidade tem passado por mudanças após Tóquio 2020, depois do escândalo envolvendo técnico alemão Kim Raisner, que foi mandado para casa após ser flagrado agredindo o cavalo de sua atleta Annika Schleu.

A União Internacional de Pentatlo Moderno tem buscado uma alternativa para substituir a equitação, inclusive com dois testes marcados para a corrida por obstáculos.

Elgendy que fez história ao ser o primeiro egípcio a conquistar medalha olímpico no pentatlo moderno, postou em seu Instagram uma foto de seu irmão lutando enquanto andava de cavalo e gerou polêmica por supostamente ser contra a exclusão da equitação como parte do programa de provas da modalidade.

Vale lembrar que em novembro, a Federação Egípcia de Pentatlo Moderno (EMPF), foi citada pela UIPM como uma das “mais de 50”, Federações Nacionais que apoiaram à decisão de buscar uma nova quinta disciplina.

Foto: UIPM/ Nuno Gonçalves

Postar um comentário

To Top