Seleção júnior brilha no Pan de Judô, fechando disputa com 16 medalhas individuais e título por equipes



O trabalho de renovação constante do judô brasileiro segue rendendo bons resultados na equipe principal. Mas, uma nova safra de talentos está sendo preparada de olho no ciclo Paris 2024 e Los Angeles 2028. Depois das 14 medalhas conquistadas no sábado, 09, pela equipe Sub-18, a seleção brasileira Sub-21 foi ao tatame de Videna e brilhou no Campeonato Pan-Americano e da Oceania realizado em Lima, Peru, conquistando 16 medalhas (todas as categorias) nas disputas individuais, além do título da competição por equipes mistas de forma invicta.

Com 17 atletas inscritos, o judô brasileiro chegou à final de 11 das 14 categorias em disputa. Com 100% de aproveitamento nas finais, a seleção fechou o individual em primeiro lugar geral, com 11 ouros, duas pratas e três bronzes. Destaque para as categorias 60kg e 78kg, que tiveram dobradinha para o Brasil. Ryan Conceição conquistou seu primeiro título pan-americano ao vencer Henrique Silva, assim como Beatriz Furtado venceu Eliza Ramos, em revanche da final de 2021.

Os outros títulos vieram com Aléxia Nascimento (48kg), Bianca Reis (57kg), Maria Eduarda Diniz (63kg), Luana Carvalho (70kg), Luana Oliveira (+78kg), Gabriel Falcão (73kg), Kauan Jorge dos Santos (81kg), Guilherme Morais (90kg) e Kayo Santos (100kg). Aléxia, Luana, Falcão e Kayo sagraram-se bicampeões pan-americanos Sub-21.

Fernanda Santos (52kg), João Jardim (66kg) e Vitor Fagundes (+100kg) perderam apenas uma luta cada, mas recuperaram-se e foram buscar as medalhas de bronze. Giovana Galkowski (70kg) ficou em quinto lugar depois de cair para Shavon Gonzalez, dos Estados Unidos.

Triplete para novata


Uma das atletas mais jovens da equipe, a peso Leve Bianca Reis, de 17 anos, voltará de Lima com ótimas lembranças. Ela foi destaque nas duas classes de idade, conquistando o título tanto no Sub-18, quanto no Sub-21. Ela também contribuiu com duas vitórias importantes na competição por equipes mistas e faturou sua terceira medalha em Lima.

“Eu tinha vindo aqui em Lima em 2017, eu era Sub-13 ainda, é muito bom lembrar, foi nesse mesmo ginásio. Mas, eu me senti muito bem, as meninas eram muito fortes, tanto no Sub-18, quanto no Sub-21, mas eu estava confiante, sabia que eu tinha treinado, dei meu máximo e deu certo. Vou voltar para casa felizona”, comemorou a judoca da Academia Corpo Arte de Cultura Física, de Brasília, Distrito Federal.


Equipe bate Peru e México por 4 a 0 para manter-se no topo


Nesta segunda-feira, 11, cinco países participaram da competição por equipes mistas. Brasil e Peru saíram na chave direto na semifinal, enquanto México, Chile e Austrália se enfrentaram em triangular para definir o outro semifinalista.

Com vitórias de Gabriel Falcão (73kg), Maria Eduarda Diniz (70kg), Bianca Reis (57kg) e Kauan Jorge Santos (90kg), a seleção brasileira despachou o Peru por quatro a zero e se classificou para a final. O México levou a melhor no rodízio, mas não foi páreo para o Brasil, que conquistou o título com outro quatro a zero. Pontos marcados por Beatriz Furtado (+70kg), Bianca Reis (57kg), Gabriel Falcão (73kg) e Kayo Santos (+90kg).

Foto: CBJ/Divulgação

Postar um comentário

To Top