Gabriel Araújo bate recorde mundial novamente na 1ª etapa Nacional do Circuito de Natação Paralímpica


Um dia após fazer a melhor marca do planeta nos 150 m medley, o campeão paralímpico Gabriel Araújo bateu o recorde mundial na prova final dos 50 m borboleta durante a 1ª etapa Nacional do Circuito Paralímpico, na tarde desta sexta-feira, 1º de abril, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

O nadador da classe S2 (para atletas com limitações físico-motoras mais severas) fez o tempo de 56s13 nas finais da prova e superou a própria marca antiga que era de 1min01s65, que foi cravado nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019.

A prova faz parte do programa do Campeonato Mundial da natação, que acontecerá em junho, em Portugal, no formato multiclasse S2-S5. Gabrielzinho já está classificado para a competição por ter conquistado a medalha de ouro em Tóquio no ano passado, um dos critérios do Comitê Paralímpico Brasileiro para o Mundial.

"O estilo 50 m borboleta é a minha prova, sempre foi e sempre vai ser. Pela característica da minha deficiência e do nado, toda vez que participo desse tipo de prova, fico muito confortável. Estou muito feliz em bater o meu próprio recorde novamente. Vamos trabalhar para chegar ainda mais forte no Mundial", afirmou o atleta que tem focomelia, doença congênita que impede a formação normal de braços e pernas.

Neste sábado, 2, último dia da 1ª etapa Nacional do Circuito Paralímpico Loterias Caixa, Gabriel Araújo ainda vai nadar as provas dos 50 m peito e dos 200 m livre, disputa em que foi medalhista de ouro nos Jogos de Tóquio no ano passado. No Japão, ainda foi campeão nos 50m costas e prata nos 100m costas.

"Essa é a intenção de participar dessa competição. Participar de todas as provas e ver o quanto eu consigo resistir e suportar todo o cansaço físico e mental deste período", completou.

Nesta quinta, 31, o mineiro de Santa Luzia havia batido o recorde na prova eliminatória dos 150 m medley ao cravar o tempo de 3min37s64 e ter melhorado os 3min47s04 feitos por ele mesmo no último dia 3 de março, na etapa da Itália do World Series, circuito internacional da natação organizado pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês).

Ainda nesta sexta, os nadadores paulistas José Ronaldo e Samuel Oliveira registraram novos recordes das Américas em suas respectivas classes. O primeiro, nadador da S1 (para atletas com as mais severas limitações físico-motoras dentre todas da modalidade), fez a nova marca continental ao nadar a prova dos 100 m costas em 3min00s13 – o antigo recorde era de 3min28s03.

Já o jovem Samuel Oliveira, de 16 anos, finalizou a prova eliminatória dos 50 m borboleta pela classe S5 (também com limitações físico-motoras) em 33s57 e superou a marca de 33s98, registrada por Daniel Dias em 2014. Ele também assegurou vaga na competição em Portugal ao finalizar a prova dos 50 m borboleta pela classe S5 em 33s57, tempo menor do que o índice de 35s27.

Mais índices


O segundo dia da 1ª etapa Nacional do Circuito Paralímpico Loterias Caixa, que acontece até sábado, 2, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, registrou mais oito índices para o Mundial da modalidade, em junho, em Portugal.

A primeira atleta a bater a marca requisitada para compor a Seleção Brasileira foi a potiguar Joana Neves, que cravou 37s67 na prova dos 50 m livre e foi mais rápida do que o índice de 38s78 da sua classe S5. Joana é experiente em Mundiais e já medalhou em Eindhoven 2010, Montreal 2013, Glasgow 2015, México 2017 e Londres 2019.

Na disputa seguinte, a fluminense Mariana Gesteira, da classe S9, e a potiguar Cecília Araújo, da S8, atingiram o índice na mesma prova dos 50 m livre. Mariana nadou em 28s69 e foi melhor do que o tempo que era necessário de 29s42, o que determinará a sua estreia em Mundiais na carreira. Na prova final, à tarde, conseguiu ainda ser mais rápida e fez 28s54.

Já Cecília, que já conquistou ouro nos 50 m livre e prata nos 100 m livre no Mundial do México 2017, completou a prova em 31s08, abaixo dos 31s47 estabelecidos como critério.

Outro estreante em Mundiais será o mineiro João Brutos, da classe S14 (para atletas com deficiência intelectual). Na disputa dos 100 m peito masculino, nadou em 1min05s45 e bateu a marca de 1min06s73.

Nas provas finais, disputadas no período da tarde, o paulista Gabriel Cristiano, da classe S8, conseguiu chegar na borda da piscina no exato índice necessário – fez 27s06 e também confirmou a sua vaga para o Mundial.

Ainda na parte da tarde, Patrícia dos Santos cravou 40s80 nas finais dos 50m livre feminino da classe S4 e também foi mais uma atleta do dia a conquistar o índice. A atleta mineira já tem, entre suas conquistas na carreira, uma medalha de prata no Mundial do México 2017 nos 100m livre.

Já na penúltima prova do dia, foi a vez da também mineira Ana Karolina Soares, da classe S14 (deficiência intelectual) sair comemorando das piscinas o índice batido. Na prova dos 100m costas, ela nadou em 1min10s12 e superou por pouco os 1min10s64 estabelecidos como critérios.

Foto: CPB/Alê Cabral

Postar um comentário

To Top