Filipe Toledo voa e garante o título da etapa de Bells Beach da WSL



Um dia depois de comemorar seu aniversário, Filipe Toledo se deu neste domingo (17), o seu próprio presente. Ele venceu o australiano Callum Robson na final da etapa de Bells Beach, na Austrália por 14.74 a 12.94 e deu ao Brasil sua primeira vitória na categoria masculina em 2022.


O brasileiro já havia sido vice-campeão na etapa de Portugal e queria essa vitória para despontar na briga pela liderança, lugar que ele passou a ocupar ao se classificar para as quartas de final na praia do sino mais famoso e tradicional do surfe. Ele deu ao Brasil o quarto título nesta etapa, sendo Silvana Lima campeã em 2009, Adriano "Mineirinho" em 2013 e Ítalo Ferreira em 2018


O adversário de Filipe está estreando na elite do surfe nesta temporada e foi para sua primeira final, após quatro etapas. O brasileiro tentava o seu primeiro título em Bells.


Filipe antes de entrar na água neste domingo (Foto: Beatriz Ryder/WSL)

E para isso começou com uma onda boa, com rasgadas que levantaram muita água e recebeu 6.00 dos juízes, enquanto Robson fez 5.17 na sua primeira onda. 


Tentando ficar com uma boa vantagem na frente, Filipinho pegou uma onda baixa e rasgou atacando bastante o lip e ainda conseguiu dois aéreos, sendo o último deles, um reverso completo e assumiu a liderança com um 8.17.


Callum respondeu pegando uma onda de paredes grandes, com um floater e rasgadas fortes, pontuadas em 7.77, insuficiente para a virada, mas deixou ele precisando de 6.41 para passar a frente. Pouco depois, Filipe trocou seu 6.00 por um 6.57 como nota de backup, aumentando para 7.00, a pontuação necessária para o australiano virar.


Durante os minutos finais, Callum tentou a virada, mas caiu nas suas duas melhores chances. Ao final, Filipinho comemorou bastante e demonstrou estar emocionado.  "Isto é incrível!", disse Filipe ainda no mar.


Na semifinal, Filipe só foi fazer a sua primeira onda depois de 15 minutos de bateria e foi logo com dois aéreos de rotação completa. A manobra agradou os juízes e ele recebeu 6.00. Cinco minutos depois, ele recebeu 4.73 em uma onda de manobra, enquanto seu adversário, Ethan Ewing (AUS), não achava ondas para surfar.


O australiano ficou em uma situação complicada, precisando da combinação de 10.73 e só surfou sua primeira onda a seis minutos do fim, pontuada em apenas 3.43.


Tyler Wright vence no feminino

No feminino, a final foi entre a australiana Tyler Wright e a havaiana, atual campeã mundial e olímpica, Carissa Moore, do Havaí. 


A australiana ignorou o retrospecto favorável da adversária, com 7 a 2 para Carissa em confrontos diretos e de cara fez um 8.93 e depois ainda somou um 8.00, deixando a adversária precisando de combinação para virar.


A atual campeã mundial e olímpica não conseguiu reagir e viu Tyler ser carregada pela praia, com o placar final de 16.93 a 10.57


A próxima etapa é na própria Austrália, em Margaret River, onde em 2021, Tatiana Weston-Webb e Filipe Toledo fizeram dobradinha para o Brasil. A janela de competição começa dia 24 de abril e termina em 4 de maio.  


A etapa será a última antes do corte dos 12 atletas no masculino e das seis no feminino para a segunda metade do campeonato. Os atletas cortados irão para o QS para tentar o retorno a elite, enquanto os que ficam, disputarão a vaga no top 5, que disputará o título na Califórnia, em setembro.


Foto: Ed Sloane/WSL

 

Postar um comentário

To Top