Jaime Oncins nega arrependimento de escolha de duplas na Davis: "Perdemos por detalhes"



O Brasil saiu derrotado no confronto com a Alemanha pela vaga no Grupo mundial da Copa Davis, mas o sentimento entre a equipe era de orgulho. Após o jogo que definiu o duelo, O Capitão Jaime Oncins e Thiago Monteiro falaram sobre o sentimento após o confronto:


"Sabíamos que seria um duelo muito difícil contra a Alemanha, mas sabíamos também que tínhamos uma chance se estivéssemos em nosso melhor. Foi um confronto muito difícil, mas o sentimento que fica é de orgulho de todos esses atletas. Todo mundo deu 100% dentro de quadra, tentaram muito. A única coisa que posso dizer sobre esse grupo é que é uma equipe muito especial" disse Oncins


Oncins foi questionado pela mudança nas duplas, quando sacou Marcelo Melo, ex-número 1 do mundo nas duplas e vencedor de dois grand slams - e pôs em seu lugar o jovem Felipe Meligeni, top 100 no ranking de duplas, que nunca tinha jogado com Bruno Soares. Apesar da falta de entrosamento, a dupla teve uma boa atuação, mas foram derrotados por 2 sets a 1: 


" Logo após a convocação, eu chamei os jogadores, conversei e disse que as vagas estavam em aberto . Se você for ver, nos meus quatro confrontos como capitão, usei duplas diferentes, a gente tem uma oportunidade de ter mais opções. Quem viu o jogo e quem entende de tênis viu o quanto eles jogaram bem e quando a semana de treinos fizeram para tomar a decisão. Não me arrependo em nenhum momento de ter tomado essa decisão, dessa escalação, tenho a convicção de que as condições estavam favoráveis para essa formação. Tivemos uma oportunidade de vencer a dupla e perdemos por detalhes, estão saio tranquilo. Realmente sei que como capitão do time poderia sofrer críticas, fico tranquilo com isso e junto com meu corpo técnico sei que tivemos a escolha certa"


Já Monteiro lamentou um primeiro set ruim e as chances perdidas no segundo set, que poderiam dar outro rumo ao duelo se ele conseguisse levar o seu jogo para o terceiro set: "No segundo set tive que aumentar a qualidade de bola, fazer melhor que vinha fazendo e até um pouco a mais da minha zona de conforto, pois no momento que queria jogar sólido, se saísse um pouco curto ele já dominava. No 4/5 tive um set-point, a bola desviou um pouco. Aí depois, ele jogou muito bem e venceu o jogo. Ele está em nível muito alto, é como um top 5 joga, foi bem superior na partida. Mas eu saio daqui orgulhoso também da minha atuação e confiante para o restante da temporada"


Agora o Brasil volta para o grupo mundial I da Davis, onde enfrentará outro país entre os dias 16 e 18 de setembro para voltar a repescagem do grupo mundial do campeonato em 2023.


Foto: Luiz Candido/CBT

Postar um comentário

To Top