Defesa de Valieva alega que contaminação se deu através de produto usado por seu avô

Aparentando tristeza, Kamila Valieva se posiciona no canto do rink de patinação

O oficial do Comitê Olímpico Internacional (COI), Denis Oswald, disse nesta terça (15), que a defesa de Kamila Valieva afirmou que a contaminação por trimetazidina se deu através de um medicamento usado pelo seu avô. 


O argumento foi usado pela atleta no julgamento feito pelo CAS (Corte Arbitral do Esporte) que definira se ela seria suspensa e se perderia a medalha de ouro conquistada na disputa por equipes. A trimetazidina é usada para tratar angina e outros problemas cardiovasculares, como é caso do avô da patinadora.


Na segunda, o COI falou que a amostra "B" da patinadora ainda será analisada. Ela voltará a competir nesta terça às 07h30 pelo programa curto da disputa individual feminina. Valieva disse em entrevista à imprensa russa que está feliz de ser liberada, porém está exausta mentalmente. 


Também nesta segunda, o presidente da WADA pediu para que as autoridades russas façam uma investigação minuciosa e séria em cima do staff da atleta e defendeu o banimento de pessoas da equipe, caso se confirme o envolvimento de algum deles.


As equipes do Japão e dos Estados Unidos ainda não sabem quando vão poder participar da cerimônia de entrega das medalhas, após ela ser suspensa pelo teste positivo de Valieva no doping. Por conseguinte, o COI avisou que se a patinadora russa for ao pódio na disputa individual, não irá fazer a cerimônia por ter uma atleta com histórico de doping. 


Foto: Evgenia Novozhenina/ Reuters

Postar um comentário

To Top