Brasil sai da etapa de abertura da WSL em Pipeline com dois terceiros lugares

Miguel Pupo de mãos levantadas surfando em Pipeline

Os brasileiros Miguel Pupo e Caio Ibelli terminaram neste sábado (5), a participação deles na etapa de Pipeline, Havaí do Circuito Mundial de surfe (WSL) e ficaram na terceira colocação, levando 6.085 pontos no ranking. Irmão mais novo de Miguel, Samuel Pupo perdeu para Caio nas quartas de final e ficou em quinto, estreando no circuito com 4.745 pontos.


Eles foram derrotados por Kelly Slater (USA) e Seth Moniz (HAW), respectivamente, e conseguiram os seus melhores resultados em Pipe. Para Pupo, é uma excelente estreia e a oportunidade de brigar na parte de cima do campeonato. Para Caio, que entrou como convidado, foi uma chance de mostrar seu surfe e mostrar que pode voltar ainda este ano para elite.


Logo no começo da semifinal, Miguel e Kelly tentaram pegar a mesma onda e os juízes interpretaram como interferência do brasileiro, o punindo tirando metade da nota de sua segunda onda. A punição desfavoreceu Pupo, que com 100 % da nota passaria para a final.


O 11 vezes campeão do mundo conseguiu achar um ótimo tubo e marcou 8.33, passando com 9.76 na somatória. Miguel ficou com 6.33 e 2.25, totalizando 8.58.


Para enfrentar Slater, Miguel passou por Lucca Messinas (PER), pelo placar de 8.10 (6.50 + 1.60) x 6.00 (5.00 + 1.00). O 6.50 veio com um tubo simples, mas bem surfado.

 

Caio não teve tanta sorte para achar os tubos encontrados por Seth e ficou em desvantagem durante toda a bateria. Além de achar melhores tubos, o havaiano conseguia ficar mais tempo nos tubos, mesmo nos não tão profundos e com isso somou 7.83 e 5.67, totalizando 13.50 contra 6.06 do brasileiro.


Antes da semifinal, Caio eliminou Samuel Pupo, somando 11.67 (6.67 + 5.00), com dois tubos com pouca profundidade. Samuel fez apenas 1.73, não conseguindo completar as ondas que pegou.


Já Seth eliminou o grande favorito da etapa, John John Florence, com uma incrível onda para 9.60, a segunda melhor onda do dia.


A melhor foi de Kelly Slater na final. O quase cinquentão fez 9.77 em um tubo espetacular e 9.00 (vídeo abaixo) em outro, somando 18.77 contra 12.53 (9.43 + 3.10) de Seth e levou Pipeline pela oitava vez. 


A próxima etapa é em Sunset, também no Havaí, com a janela começando no dia 11.

Foto: Brent Bielmann/World Surf League

Postar um comentário

To Top