Atletas do Brasil simulam revezamento da Tocha Olímpica de Pequim 2022

Brasileiros com a tocha olímpica

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) recebeu nesta semana, mais precisamente no domingo, 06, um dos maiores símbolos dos Jogos, a Tocha Olímpica de Pequim 2022. E quando se fala em Tocha, logo se pensa em revezamento. E foi isso que os atletas do Time Brasil que competem nos Jogos Olímpicos de Inverno fizeram nos últimos dois dias: passaram o artefato de mão em mão, tiraram fotos e, claro, higienizaram as mãos depois.

“Experiência única. Estou aproveitando para viver todas as oportunidades que estou tendo nos Jogos Olímpicos e essa foi mais uma delas. Foi muito legal poder segurar e simular um revezamento aqui entre os atletas do Brasil. Achei que ela era mais pesada", disse Duda Ribera, a caçula da delegação brasileira com 17 anos.

Chamada de ‘Em Voo’, ela é leve porque é feita de fibra de carbono. É também resistente a altas temperaturas e é primariamente abastecida de hidrogênio (por isso é livre de emissão de carbono), em um compromisso com o esforço do Comitê Organizador Beijing 2022 de os Jogos serem ‘verdes e de alta tecnologia’. O revezamento que começou no domingo em Zhangjiakou, com os atletas do esqui cross-country e esqui estilo livre, e terminou nesta segunda em Yanqing, com os do bobsled e skeleton.

“Sempre via as pessoas segurando a Tocha na televisão antes de eu ir para os meus primeiros Jogos e pensava: caramba, é um símbolo do espírito dos Jogos. Mas hoje, quando segurei, foi diferente. Percebi que a Tocha representa muita coisa, sim, mas que ela sem os atletas, não tem muito sentido. Os atletas que são o centro de tudo. Então, pensei que a Tocha que tem sorte de eu estar segurando ela", disse, rindo, Rafael Souza, do bobsled.

Ter a Tocha Olímpica em mãos e fazer uma foto não foi novidade pra uma atleta do Brasil. Sabrina Cass guardou com orgulho o registro que fez com a tocha dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e, agora, vai eternizar o momento com a de Pequim 2022.

“A Tocha é um símbolo bem importante dos Jogos e foi muito legal ter a oportunidade de carregar. Em 2016, a Vanessa Riche, amiga da minha mãe, trouxe a do Rio para nós vermos. Quando eu a segurei em 2016, lembro de ter pensado que eu queria carregar a Tocha de Inverno um dia. Agora que segurei a dessas Olimpíadas, parece surreal!”, contou Sabrina, que ainda destacou. “Minha cor favorita é vermelho. Então, achei a Tocha linda”.

Apresentada no evento que marcou um ano para o início da competição, a tocha destaca-se pelas cores vermelho e prateado que remetem para o fogo e para o gelo e que simbolizam “a luz e o calor dos desportos de inverno”. Como Pequim é a primeira cidade a sediar os Jogos Olímpicos de Verão e Inverno, o desenho da Tocha de 2022 faz referências à 2008. O formato em espiral é semelhante a um pergaminho, que remete à Pira Olímpica de 14 anos atrás.

“Não tem como não associar 2008 com 2022. É uma sensação ótima poder segurar a Tocha porque ela carrega a Chama Olímpica, o Espírito Olímpico. Um símbolo da paz, dos Jogos que foram capazes de parar guerras. Muito bacana mesmo”, comentou Jefferson Sabino, que esteve em Pequim 2008, no salto triplo.

O logo de Beijing 2022 está localizado na altura do meio da tocha, enquanto a linha vermelha que envolve a sua forma representa a Grande Muralha, os circuitos de esqui nos Jogos, e a incansável busca da humanidade por luz, paz e excelência.

O símbolo foi um presente do Comitê Olímpico Internacional e, depois que deixar a China, será entrega para a área de Cultural e Valores Olímpicos, que cuida de todo o acervo do COB.

Foto: Alexandre Castello Branco/COB

Postar um comentário

To Top