A espera de sua última competição em Pequim 2022, Jaqueline Mourão vive dia de torcedora


Normalmente, Jaqueline Mourão, em suas outras sete participações em Jogos Olímpicos, chegava à cidade-sede, fazia o reconhecimento da pista, focava nos treinos, competia e um ou dois dias depois, voltava para casa. Mas em Pequim 2022, onde chegou ao recorde entre atletas brasileiros, com sua 8ª disputa olímpica, a rotina tem sido um pouco diferente. Depois de competir a prova de 10km nesta quinta, ela pode tirar um day off nesta sexta-feira, 11, e aproveitou para acompanhar e apoiar os colegas de Time Brasil. A primeira a receber a torcida de Jaqueline foi Nicole Silveira, que fez a estreia dela e do Brasil no skeleton,pela manhã em Pequim.

“Primeiro contato com a Nicole foi na coletiva do Time Brasil (no dia 25, antevéspera do embarque delas para Pequim). Depois, por coincidência, tivemos o mesmo voo para Pequim. Do pouco que a conheço, já admiro demais tanto pela trajetória esportiva, como pelo ser humano que ela é. Uma pessoa brilhante em vários campos. Adorei acompanhar as descidas dela, aprendi muito sobre a modalidade e senti aquele arrepio de vibrar com todos os brasileiros na torcida por ela. Foi emocionante! Nicole impressiona pela calma e foco. Entre a primeira e a segunda bateria dela, nos encontramos, conversamos um pouco e ela transmitia uma leveza de espírito muito legal. Está ali de corpo e alma representando o Brasil, uma energia muito bonita”, contou.

Depois uma viagem de cerca de 2h entre o Centro Nacional de Esportes de Pista, em Yaqing, para o Centro Nacional de Esqui Cross-country, em Zhangjiakou, para dar apoio ao único homem do cross-country. Manex Silva disputou e completou aprova de 15km e contou com a torcida das companheiras de modalidade, Jaqueline e Duda Ribeira das arquibancadas.

“Em seguida voltamos para o cross-country para animar a prova do Manex. Prova duríssima e ele deu tudo o que tinha. Ficamos lá na beira da pista e buscando palavras para lhe dar força. Foi muito bom ter brasileiros na minha prova, me deu muita força. Não estamos acostumados a ter tanta torcida e esta energia foi incrível de sentir”, comentou.

E para encerrar o dia, a atleta com mais de 20 anos atuando em alto rendimento não podia deixar ela mesma de participar de uma competição. Os adversários no jenga foram os colegas de cross-country Manex e Duda.

“Jogo com três atletas de alto rendimento... Imagine a competitividade”, disse, entre risadas, Jaqueline.

A próxima prova do esqui cross-country será inédita para o Brasil. Jaqueline Mourão e Eduarda Ribera disputam a prova de Sprint Por Equipes, na próxima quarta-feira, dia 16, a partir das 6h (horário de Brasília). E Manex encerra a participação do Brasil na modalidade com a disputa dos 50km Largada em Massa, no próximo dia 19, a partir das 3h da manhã (horário de Brasília).

Pequim 2022 é a nona participação brasileira em Jogos de Inverno, iniciada em Albertville 1992. Até esta edição, 35 atletas do Brasil, dez mulheres, em oito esportes (esqui alpino, bobsled, esqui cross-country, luge, snowboard, biatlo, esqui estilo livre e patinação artística), participaram da competição.

Foto: Joyce Ardies/COB

Postar um comentário

To Top