Guia Pequim 2022 - Salto com esqui


FICHA TÉCNICA

Local de disputa: Kuyangshu Nordic Centre and Biathlon Center
Período: 05/02 a 14/02
Delegações participantes: 22
Total de atletas: 105 (65 homens e 40 mulheres)
Brasil: sem representantes

O salto com esqui é um dos esportes nórdicos presente nos Jogos Olímpicos de Inverno, ao lado do combinado nórdico e do esqui cross country. Os atletas descem uma rampa sobre um par de esquis e saltam o mais distante possível e buscam aterrissar em pé, para conseguir uma maior pontuação. Na modalidade há três disputas individuais e duas em equipe.

O esporte surgiu na Noruega no século XIX. A primeira grande competição da modalidade foi realizada em Husebayrennet, na capital Oslo (NOR), em 1872. Prova transferida 20 anos depois para Holmenkollen, que recebe até hoje provas da modalidade.

O esporte está presente desde a primeira edição da Olimpíada de Inverno, nos Jogos de Chamonix, em 1924.

Narve Bonna da Noruega, vice-campeão olímpico em Chamonix-1924 - Foto: Domínio Público/Biblioteca Nacional da França

COMO É A DISPUTA?

Pistas de salto com esqui em Kuyangshu - Foto: Reprodução/CGTN
Em Pequim 2022 serão disputados cinco eventos: o individual masculino em pista longa, o individual masculino em pista normal, o feminino em pista normal, a competição por equipes masculina e mista. 

Nas provas individuais masculinas, os atletas disputam uma qualificação onde 50 avançam para a disputa final. Após a primeira rodada final, os 30 melhores vão para o segundo salto. A soma dos dois define o campeão olímpico. Na prova feminina, as 30 melhores do primeiro salto retornam para definir a medalha no segundo salto. 

Já na competição por equipes, os times, compostos por quatro saltadores, disputam a primeira rodada e os oito melhores times participam da segunda rodada para disputar as medalhas na soma da pontuação dos saltos. Na prova mista, também são quatro atletas por equipe, mas dois de cada gênero.


O BRASIL NO SALTO COM ESQUI

Sem histórico de atletas brasileiros na modalidade.

DESTAQUES


Noruega é a maior potência olímpica do salto com esqui, com 35 medalhas, sendo 11 de ouro. A Finlândia, com 10 de ouro, perdeu importância nos últimos anos e ficou para trás. Áustria (6 ouros), Polônia  (4 ouros), Alemanha (4 ouros) e Japão (3 ouros) serão os principais adversários da Noruega na China. Confira abaixo alguns destaques da modalidade que estarão em Pequim.

MASCULINO

Kobayashi Ryoyu (Japão)

Kobayashi com o troféu de campeão do 4 Montanhas - Foto:Georg Hochmuth/AFP
Líder da Copa do Mundo 2021/22, com seis vitórias, e vencedor do Troféu 4 Montanhas, Kobayashi vem no melhor momento da temporada e é o maior favorito para sair de Pequim com uma medalha dourada no peito.

Karl Geiger (Alemanha)

Karl Geiger após vencer etapa da Copa do Mundo - Foto: Divulgação/FIS
Maior adversário de Kobayashi na temporada, segue na cola do japonês na Copa do Mundo, onde teve uma vitória este ano.

Halvor Granerud (Noruega)

Granerud em prova da Copa do Mundo em fevereiro de 2021 - Foto: Andrew Bamas
Campeão da Copa do Mundo em 2020/21, Granerud teve um começo difícil de temporada, onde não conseguia superar a qualificação. Já retornou quase ao mesmo nível e está já em terceiro lugar na classificação da temporada 2021/22

Stefan Kraft (Áustria)

Kraft em competição na Eslovênia - Foto: Jumpandreach
Campeão da Copa do Mundo em 2019/20, ao austríaco segue uma temporada brigando no top 10 da temporada, mas corre por fora na disputa por medalhas


FEMININO

Marita Kramer (Áustria)

Marita Kramer no Mundial de 2021 - Foto: Jan Schaefer
Vivendo uma temporada avassaladora, com cinco vitórias na atual temporada da Copa do Mundo. Kramer vem tentar o primeiro ouro feminino para a Áustria.

Katharina Althaus (Alemanha)

Althaus em Pyeongchang-2018 - Foto: D.Karmann/DPA/Picture-Alliance
Prata em Pyeongchang-2018, Althaus é a vice-líder da Copa do Mundo atrás de Kramer. A meta é subir um posto no pódio e conseguir o inédito ouro.

Ursa Bogataj (Eslovênia)

Bagotaj comemorando vitória em competição na Polônia - Foto: Divulgação/FIS
Terceira colocada na classificação geral da Copa do Mundo, Bogataj tem sido constante, com cinco pódios na temporada 2021/22  e pode surpreender.

Takahashi Sara (Japão)

Takahashi em Pyeongchang-2018 - Foto: Reuters
Bronze em 2018 e dona de quatro títulos de Copa do Mundo, a japonesa, que tem uma vitória na temporada, é um dos fortes nomes para brigar por medalha.


EQUIPE MASCULINA


Noruega

Equipe norueguesa ouro em Pyeongchang-2018 - Foto: Kristy Wigglesworth/AP
Campeã em 2018, a Noruega tem uma lista enorme de atletas para manter o ouro olímpico. Granerud, Marius Lindvik e Daniel Andre Tande são exemplos.

Áustria

Com nomes como os de Kraft, Daniel Huber e Jan Hoerl a Áustria venceu as duas provas realizadas até agora na Copa do Mundo e tenta voltar ao pódio na China

Alemanha

Prata em Pyeongchang, a Alemanha vem atrás do título olímpico. Geiger e Markus Eisenbichles são os melhores nomes do país.

Japão

Kobyashi vai tentar usar o bom momento para levar a equipe oriental ao pódio na China. Um exemplo é a presença do irmão mais velho de Ryoyu, Kobayashi Junishiro.

EQUIPE MISTA

Alemanha

Equipe alemã campeã mundial em 2021 - Foto: Divulgação/FIS
A estreia por equipes mistas no salto com esqui tem como principal nome a Alemanha, campeã nos últimos três campeonatos mundiais..

Áustria

Kramer, Kraft e Huber são nomes que podem levar a Áustria ao pódio na China

Noruega

Prata no mundial de 2019, Granerud, Lindvik e Sije Opseth são bons nomes do país para este ano.

Eslovênia

A equipe é uma que pode surpreender. Bogataj, Anze Lanisek e Ema Klinec podem dar a Eslovênia uma medalha histórica na China.

CALENDÁRIO

05/02 às 7h45 – Individual feminino
06/02 às 11h -  Individual masculino pista normal
07/02 às 8h45 – Equipe mista
12/02 às 8h - Individual masculino pista longa
14/02 às 8h – Equipe masculina 

*Todas as competições estão no horário de Brasília

Postar um comentário

To Top