Guia Pequim 2022 - Luge


FICHA TÉCNICA

Local de disputa: Yanqing National Sliding Center
Período: 04/02 a 20/02
Delegações participantes: 13
Total de atletas:  106 atletas (35 mulheres e 71 homens)
Brasil: Não se classificou

O luge é um dos três esportes de trenó presente nos Jogos Olímpicos de Inverno. Os atletas descem a pista deitados de barriga para cima no trenó e o controlam através de movimentos dos ombros e das pernas. 

O esporte surgiu na Suíça por volta do século XVI usando trajetos naturais. Apenas 300 anos depois surgiram as primeiras pistas artificiais, construídas por proprietários de resorts na Suíça para turistas em busca de adrenalina.

O esporte fez sua estreia na Olimpíada de Inverno nos Jogos de Innsbruck, em 1964, sendo disputado em todas as edições seguintes.

COMO É A DISPUTA?

Em Pequim 2022 serão disputados quatro eventos: o individual masculino, o feminino, as duplas masculina e o revezamento por equipes. Nas provas individuais, os atletas fazem quatro descidas na pista com a soma dos tempos sendo utilizada para determinar os medalhistas. Já nas provas de duplas serão duas descidas para todos, enquanto no revezamento cada país tem apenas uma descida.

Nas provas individuais, todos atletas participam nas três primeiras descidas, com apenas os 20 mais rápidos participando da descida final que decide os medalhistas olímpicos.




O BRASIL NO LUGE

As atividades do Brasil no luge começaram no final da década de 1990, após a fundação da Associação Brasileira de Bobsled, Skeleton e Luge (ABBSL), que deu origem a atual Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG). 

As primeiras competições do país na modalidade foram em 1997, com Ricardo Raschini e Renato Mizoguchi. Os dois participaram dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002, em Salt Lake City (EUA), com Raschini ficando em 45º lugar e Mizoguchi em 46º. 

Mizoguchi nos Jogos de Salt Lake City-2002 - Foto: Reprodução/Facebook
Enquanto Raschini migrou para o bobsled, Mizoguchi segui no luge e conseguiu se classificar para Turim-2006. Porém ele não participou após um acidente grave durante o evento teste para homologação da pista de Turim. Os acidentes do brasileiro e de outros atletas levaram o comitê organizador dos Jogos de 2006 a fazer várias mudanças na pista para aumentar a segurança dos atletas.

Atualmente, o Brasil tem atletas competindo apenas no luge em pista natural, uma variação da modalidade que não está no programa olímpico. Nesta temporada, Leonardo Oliveira e Júlio Dante estão no top-20 da classificação geral da Copa do Mundo de luge em pista natural.

Leonardo Oliveira competindo na Romênia em etapa da Copa do Mundo - Foto: Miriam Jennewein

DESTAQUES


A Alemanha é o país dominante no luge olímpico. 37 medalhas conquistadas, sendo 18 de ouro. Somando as medalhas da Alemanha Oriental, Alemanha Ocidental e Estados Unidos Alemães, são 81 medalhas e 34 ouros. Itália (17 medalhas e 7 ouros) e Áustria (22 medalhas e 6 ouros) também são forças na modalidade. Letônia (4 medalhas) e Rússia (3 medalhas) brigam por fora. Veja abaixo os destaques em cada uma das provas:

MASCULINO

Felix Loch (Alemanha)

Loch comemora o ouro em Pyeongchang-2018 - Foto: Nathan Bilow/USA Today Sports
Três vezes campeão olímpico e cinco vezes campeão mundial, Loch foi campeão da temporada 2020/21 da Copa do Mundo, mas não vem com uma boa temporada 2021/22. Ainda assim, é um nome a ser temido na China.

Johannes Ludwig (Alemanha)

Ludwig beija o troféu de campeão da Copa do Mundo - Foto: Divulgação/FIL
Campeão geral da Copa do Mundo 2021/22, com vitórias em cinco etapas, o alemão vem para tentar desbancar o compatriota Loch nos Jogos. 

Wolfgang Kindl (Áustria)

Kindl competindo em etapa da Copa do Mundo na Suíça - Foto: Divulgação/FIL
Kindl vem em ascensão na atual temporada, com duas vitória na Copa do Mundo e o segundo lugar na classificação geral.

FEMININO

Julia Taubitz (Alemanha)

Taubitz no Mundial de 2021 - Foto: Divulgação/FIL
Atual campeã mundial e da Copa do Mundo, Taubitz venceu três etapas nesta temporada e é a grande favorita para impedir o terceiro ouro seguido de Natalie Geisenberger nos Jogos Olímpicos

Madeleine Egle (Áustria)

Egle em etapa da Copa do Mundo na Alemanha - Foto: Divulgação/FIL
Vice-campeã Copa do Mundo 2021/22, onde venceu quatro vezes, incluindo a etapa na pista de Yanqing, onde serão as provas dos Jogos Olímpicos. A austríaca é uma das favoritas para tentar quebrar a sequência de Geisenberger.

Natalie Geisenberger (Alemanha)

Natalie Geissenberger comemora o ouro em Pyeongchang-2018 - Foto: Edgar Su/Reuters
Bicampeã olímpica e tetracampeã mundial, Geinseberger tem tido um ano difícil, com desempenhos abaixo do esperado, incluindo problemas no evento teste na China. Corre por fora em Pequim na tentativa do tri.

DUPLAS

Toni Eggert/Sascha Benecken (Alemanha)

Eggert e Benecken no Mundial de 2021 - Foto: Divulgação/FIL
Atuais campeões mundiais e bronze em PyeongChang, Eggert e Benecken, ficaram com o título geral da Copa do Mundo nesta temporada. Destaque para a vitória no evento teste da pista de Yanqing no final de 2021.


Andris Sics/Juris Sics (Letônia)

Irmãos Sics durante competição na Alemaha - Foto: Sandro Halank/WikimediaCommons
Vice-campeões mundiais e da Copa do Mundo, a dupla composta pelos irmãos Sics está na briga para buscar o inédito ouro para a Letônia no esporte. Foram prata em Vancuver-2010 e bronze em Sochi-2014.

Tobias Wendl/Tobias Arlt (Alemanha)

Wendl e Arlt comemoram o ouro em Sochi-2014 - Foto: Reuters
Atuais bicampeões olímpicos, os Tobias tentarão o tri olímpico em Pequim. Na última temporada da Copa do Mundo, ficaram em terceiro lugar na classificação geral, com vitória em apenas uma etapa.


REVEZAMENTO

Alemanha

Alemães no pódio do revezamento em Pyeongchang-2018 - Foto: Arnd Wiegman/Reuters
Bicampeões olímpicos e atuais vice-campeões mundiais, os alemães venceram a Copa do Mundo nas últimas duas temporada. Julia Taubitz e Johannes Ludwig são nomes fortes na equipe.

Áustria

Equipe da Áustria no Mundial de 2021 - Foto: Divulgação/FIL
Campeã mundial em 2021 e bronze em PyeongChang, a Áustria conta com nomes como Madeleine Egle e Wolfgang Kindl para tentar o ouro.

Letônia

Equipe letã ganhou a última prova de revezamento da Copa do Mundo 2021/22 - Foto: Divulgação/FIL
Bronze em Sochi-2014 e no mundial de 2021, os letões tem na dupla dos irmãos Sics um trunfo para lutar por uma medalha no revezamento. Eles ganharam duas provas de revezamento na temporada 2021/22 da Copa do Mundo.

CALENDÁRIO

05/02 às 08h10 - descidas 1 e 2 do masculino
06/02 às 08h30 -  descidas 3 e 4 do masculino
07/02 às 08h50 - descidas 1 e 2 do feminino
08/02 às 08h50 - descidas 3 e 4 do feminino
09/02 às 09h20 - descidas 1 e 2 das duplas
10/02 às 10h30 -  revezamento por equipes

*Todas as competições estão no horário de Brasília

Postar um comentário

To Top