Defesa de Novak Djokovic diz que tenista testou positivo para Covid-19 em dezembro

O tenista Novak Djokovic, de camisa polo branca, está com a mão esquerda levantada


Faltando um dia para a audiência que vai definir se Novak Djokovic fica ou não na Austrália para a disputa do Australian Open, a defesa do tenista sérvio disse neste sábado (8) que ele testou positivo para a Covid-19 no dia 16 de dezembro. 


Essa informação pode ajudar o atleta a disputar o Grand Slam, com base na autorização para os tenistas que foram infectados nos últimos seis meses. O problema, é que o pedido de autorização para disputar o torneio neste caso era até dia 10 de dezembro


Ele e sua equipe jurídica precisam provar a sua infecção, porém, nas redes sociais, há uma foto de Djokovic acompanhado de crianças - todos sem máscara- tirada no dia 17 do último mês.


Sua defesa também argumenta que ele não apresentava sintomas nas 72 horas antes do exame. Em resposta, a Força de Fronteira da Austrália disse que não foi apresentada uma evidência adequada e que uma infecção prévia, não é motivo válido para entrar no país sem estar imunizado. 


O futuro do tenista será decidido na madrugada de domingo para segunda, quando uma audiência determinará se ele disputa ou não, o primeiro Grand Slam do ano. Em compensação, ele já está garantido em Roland Garros, que não cobrará a sua imunização para sua participação.


Foto: William West/ AFP

Postar um comentário

To Top