Judocas franceses expressam apoio a Margaux Pinot, vitima de violência doméstica


O judô francês mostrou apoio a campeã olímpica Margaux Pinot, que denunciou seu parceiro, o ex-judoca e ex-treinador da seleção francesa feminina Alain Schmitt, de agressão.

A agressão ocorreu na noite de sábado e Schmitt foi absolvido pelo Tribunal de Bobigny, que alegou não ter evidências suficientes para prova a culpa do acusado.

Essa decisão, fez com que Pinot publicasse nas redes sociais uma foto com o rosto machucado.

A judoca, de 27 anos, reclamou que a “defesa caluniosa” de seu parceiro estava acima dos ferimentos e “do sangue no chão do apartamento”.

“O que está faltando, talvez a morte? O judô provavelmente é o que me salvou. Penso em quem não pode dizer o mesmo”, disse ela no Twitter.

Judocas franceses se pronunciaram nas redes sociais manifestando apoio a Pino. Entre eles Teddy Riner: “O que deve ser feito para que as vítimas sejam ouvidas? Todos os dias mulheres, crianças, ou os mais vulneráveis enfrentam violência, seja ela física ou moral. É intolerável”.

Essa mensagem foi compartilhada por atletas da equipe francesa como Alexandre Iddir e Axel Clerget realçando que atitudes devem ser tomadas no combate a violência de gênero.

Ao mesmo tempo Schmitt, disse em entrevista ao jornal L’Équipe que a decisão do tribunal seja respeitada. “Estou farto da calúnia. Pensei que assim que fosse feita a justiça me deixariam em paz(...)Recebo mensagens de intimidação, ameaças de morte”, disse o atleta que neste mês anunciou que integraria a equipe de técnicos do judô feminino de Israel.

Foto: Instagram 

0 Comentários