04/10 na História do Esporte: Simone Biles é campeã mundial aos 16 anos e Avancini leva maior título da carreira - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

04/10 na História do Esporte: Simone Biles é campeã mundial aos 16 anos e Avancini leva maior título da carreira

Compartilhe
Medalhistas no pódio do individual geral 2013

Simone Biles
começou sua coleção recordista de medalhas em Mundiais há exatos oito anos atrás, durante o Mundial de Ginástica Artística de Antuérpia 2013. Em 04 de outubro de 2013, ela disputou sua primeira final e já foi campeã aos 16 anos, no individual geral feminino, vencendo uma disputa apertada contra a compatriota Kyla Ross e a russa Aliya Mustafina.

Rodrigo Huk escreveu assim em 2013 para o Surto Olímpico:


Quem se deu bem foram os Estados Unidos, que conquistaram uma dobradinha na prova. Simone Biles e Kyla Ross duelaram pela primeira colocação durante as quatro rotações, que culminaram no ouro de Biles, com 60.216 pontos, e prata para Ross, com 59.332. A russa Aliya Mustafina, campeã Mundial no individual geral em 2010, ficou com o bronze, somando 58.856.

Era a primeira participação de Biles em uma competição importante pela equipe dos EUA. Biles ainda levaria um ouro no solo, prata no salto e bronze na trave no seu Mundial de estreia. Entre 2013 e 2019, Simone Biles conquistou 19 títulos mundiais e alcançou 25 pódios no total, um recorde na competição.


Surte+ 04/10 Antes do Surto: Congresso Olímpico de Varna chega ao fim

Foto: Olympic Games


Em 04 de outubro de 1973, chegava ao fim o 10º Congresso Olímpico, em Varna, Bulgária, o primeiro realizado desde 1930. A partir de Varna, começou a maior revolução contemporânea dos Jogos Olímpicos, a liberação do profissionalismo para os atletas. Mas a mudança começou de pouquinho em pouquinho.

Ao fim dos trabalhos na cidade búlgara, o Comitê de Elegibilidade do COI foi criado com o intuito de revisar as regras, que proibiam que qualquer atleta que ganhasse dinheiro por sua prática esportiva disputasse os jogos.

O intuito dessa regra era evitar que os Jogos Olímpicos fossem manchados por corrupção ou dinheiro, mas o que de fato promovia era que apenas atletas da elite financeira conseguiam ter tempo e meios de treinar. Os países socialistas e comunistas conseguiam burlar essa regra dando empregos estatais para os atletas, pagando seus salários, mas liberando das funções laborais - algo similar ao salário pago aos atletas militares do Brasil. Os EUA se baseavam sistema universitário para tentar formar atletas, que em geral estudavam com bolsas.

O trabalho do Comitê de Elegibilidade apresentado na 75ª Sessão do COI em 1974 autorizou apoio financeiro aos atletas, mas seguiu proibindo premiações ou que atletas ganhassem dinheiro por suas apresentações, algo que foi pouco a pouco sendo revertido.

Surte+ 04/10 Depois do Surto: Henrique Avancini conquista o maior título da carreira

Henrique Avancini e ciclistas comemoram pódio
Foto: Reprodução / Bikers Rio Pardo

Henrique Avancini conquistou seu maior título da carreira até então, ao vencer o cross-country olímpico na Copa do Mundo de Nové Mesto, na República Tcheca. Ele estava em terceiro lugar na reta final quando ultrapassou seus rivais Nino Schurter, da Suíça, e Milan Vader, dos Países Baixos.

Para o Surto Olímpico naquele dia, Wesley Felix chamou de “épica vitória”, já que “Pela primeira vez, o Brasil colocou um atleta no lugar mais alto do pódio na prova do cross-country olímpico de uma Copa do Mundo de Ciclismo Mountain Bike”.

Foto de capa: USA Gymnastics

Nenhum comentário:

Postar um comentário