Pela primeira vez no nordeste, Prêmio Brasil Olímpico 2021 será em Aracajú

Em uma mesa, Paulo Wanderley, Belivaldo Chagas, Mariana Dantas


2021 foi um ano muito especial para o esporte brasileiro, e o Prêmio Brasil Olímpico resolveu fazer história também, tendo sua vigésima segunda edição sendo realizada em Aracajú, capital do Sergipe, no dia 7 de dezembro. É a primeira vez na história que será realizado na região Nordeste, em uma tentativa de descentralizar o esporte no Brasil. A decisão foi anunciada pelo presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley Teixeira, e o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas. 


"Nossa gestão busca descentralizar projetos para estar presente em todas as regiões do país. O Nordeste foi protagonista nos Jogos Olímpicos de Tóquio, tendo conquistado quatro das sete medalhas de ouro. Então, nada mais justo do que reconhecer o sucesso e o desempenho dos atletas trazendo para Aracaju a principal festa do esporte olímpico brasileiro", afirmou Paulo Wanderley, referindo-se aos campeões olímpicos Italo Ferreira (surfe), Hebert Conceição (boxe), Isaquias Queiroz (canoagem velocidade) e Ana Marcela Cunha (maratonas aquáticas).


Além dos quatro campeões olímpicos nordestinos em provas individuais, a seleção masculina de futebol tinha quatro jogadores da região em seu elenco: Daniel Alves, Matheus Cunha, Nino e Santos. Já a maranhense Rayssa Leal, no skate, e a baiana Beatriz Ferreira, do boxe, conquistaram a medalha de prata.


Neste ano seriam realizados os Jogos da Juventude no estado de Sergipe, mas o evento foi adiado devido ao covid-19. O COB ressalta que a parceria entre a organização e o estado vem de longa data, citando que "diversas ações do Programa Transforma, que busca promover os Valores Olímpicos, já haviam sido executadas no local". A superintendente especial de Esportes do estado, Mariana Dantas afirmou que "estamos preparados para receber o COB e todos os atletas para que possamos fazer uma belíssima festa do esporte". O governador do Estado ainda ressaltou que


É motivo de grande orgulho para Sergipe sediar o Prêmio Brasil Olímpico. Tenho certeza que os atletas se encantarão com Aracaju, e o evento será realizado seguindo os protocolos sanitários para garantirmos a segurança dos participantes. Acredito no esporte como ferramenta de transformação social e, no momento que homenageamos os nossos atletas olímpicos, treinadores e personalidades esportivas, incentivamos outros jovens a seguirem acreditando no esporte


O que é o Prêmio Brasil Olímpico?

Organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) desde 1999, o Prêmio Brasil Olímpico não foi realizado em 2020 por conta da pandemia da covid-19, que além de afetar toda a sociedade também provocou o cancelamento de vários eventos esportivos.


O nadador Cesar Cielo, campeão olímpico em Pequim 2008, e o canoísta Isaquias Queiroz, três vezes medalhista no Rio 2016 e ouro em Tóquio 2020, são os maiores vencedores do troféu “Atleta do Ano”, com três conquistas cada. Entre as mulheres, as maiores vencedoras são: a campeã olímpica Maurren Maggi (atletismo); Daniele Hypolito (ginástica artística); Daiane dos Santos (ginástica artística); Fabiana Murer (atletismo); e a também campeã olímpica Ana Marcela Cunha (maratonas aquáticas), todas com dois troféus cada.


Entre as modalidades, a pentatleta Yane Marques, bronze em Londres 2012, lidera absoluta. Foram 12 prêmios consecutivos, sendo o último em 2016.


Foto: Camila Dantas / COB

0 Comentários