Guia da Laver Cup 2021: Time Europa vs Time Mundo - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Guia da Laver Cup 2021: Time Europa vs Time Mundo

Compartilhe
Rod Laver posa ao lado do troféu da Laver Cup

A Laver Cup é um curioso evento de tênis disputado anualmente e que reúne algumas das maiores estrelas da modalidade, numa disputa peculiar. Esqueça Espanha, Suíça, Sérvia, Estados Unidos, Argentina, França, Austrália, entre outras nações. Aqui, o torneio conta com dois times: Europa versus Mundo.

Criada em 2016 e tirada do papel em 2017, ano de sua primeira edição, a Laver Cup tem diversas intenções, fatos curiosos e inspirações. A primeira delas vem logo em seu nome, uma homenagem a Rod Laver, que foi por muito tempo considerado o melhor tenista da história. O australiano ganhou 11 títulos de Major em sua carreira, marcando época ao completar duas vezes o “Calendar Grand Slam”, uma em 1962, ainda na era amadora, e outra em 1969, já na era aberta.

Rod Laver segura troféu conquistado em Wimbledon
O maior sucesso de Laver nos Majors foi em Wimbledon: quatro títulos conquistados. (Foto: Reprodução/YouTube)
Uma das inspirações da Laver Cup é a Ryder Cup, torneio de golfe realizado a cada biênio, e que coloca frente a frente o time Europa contra o time Estados Unidos, contando sempre com os melhores golfistas do mundo. Curiosamente, neste ano a Laver Cup será disputada de forma simultânea à Ryder Cup, com ambos eventos começando na próxima sexta-feira (24), e terminando no domingo (26).

Outra curiosidade envolvendo este torneio que vem ganhando o coração dos fãs de tênis nos últimos anos, fica por conta de seus criadores. A Laver Cup é promovida pela Team8, agência de marketing esportivo comandada em parceria pelo empresário Tony Godsick e Roger Federer.

Roger Federer executa batida de backhand durante treino da Laver Cup
Federer em treino para a 1ª edição da Laver Cup. (Foto: Ben Solomon/Laver Cup)
O tenista suíço, inclusive, é o embaixador do evento e durante as três primeiras edições foi o grande rosto da competição, sempre contando também com outro grande tenista ao seu lado, como foi o caso de Rafael Nadal em 2017 e 2019, e Novak Djokovic em 2018.

Apesar de nunca ter um tenista convocado, há um pouco de Brasil na Laver Cup. Bom, Brasil e Suíça na verdade. Isso porque o empresário suíço-brasileiro Jorge Paulo Lemann (que entre tantos empreendimentos, é o fundador da cervejaria Ambev), é um dos parceiros da organização do torneio.

É sempre interessante ressaltar que Lemann foi tenista, disputou a Copa Davis tanto pelo Brasil, como pela Suíça e jogou a chave de Wimbledon em 1962, ano em que Rod Laver conquistou seu bicampeonato na grama britânica.

Jorge Paulo Lemann jogando tênis
Lemann em ação durante seu período como tenista. (Foto: Retirada do site XPI Conteúdos)
De torneio que poderia atrapalhar o circuito, ao “roubar” uma data de eventos ATP, a Laver Cup passou a ser reconhecida pela própria entidade, como um evento sancionado. Três edições foram disputadas, sendo a primeira em Praga, na República Tcheca, a segunda em Chicago, nos Estados Unidos e a terceira em Genebra, Suíça.

Uma das características marcantes do evento disputado em piso duro e ginásio coberto, é a quadra, pintada na cor preta, algo incomum no circuito mundial de tênis.

Vale lembrar também, que a Laver Cup terá transmissão no Brasil, por conta dos canais ESPN. O evento não foi realizado em 2020, devido à pandemia de coronavírus. 

Mas qual é o formato de disputa da Laver Cup?

A Laver Cup, como já foi dito, conta com dois times, Europa e Mundo. Cada equipe tem sete atletas, sendo seis titulares e um reserva, além de um capitão e um vice-capitão. Desses seis titulares de cada grupo, três garantem a convocação mediante ranking mundial publicado na segunda-feira após Roland Garros. As outras três escolhas são feitas por cada capitão, que anunciam a decisão na abertura do US Open.

O evento conta com três dias de competição: sexta (24) e sábado (25) terão duas sessões (diurna e noturna), enquanto o domingo (26) fechará a competição com uma sessão única.

Cilic, Berdych e Zverev aplaudem Federer, que beija o troféu da Laver Cup
Federer comemora título da Laver Cup 2017. (Foto: Organização/Laver Cup)
Cada dia da Laver Cup conta com quatro partidas, sendo sempre três de simples e uma nas duplas. Na sexta-feira, cada vitória valerá um ponto na competição geral. No sábado, o patamar será elevado e cada triunfo renderá dois pontos à equipe vitoriosa. Por fim, no domingo, os jogos ganham ainda mais importância, uma vez que cada duelo vencido dará três pontos.

Todas as partidas são disputadas em melhor de três sets, sendo dois sets padrões e um terceiro set de desempate, jogado em formato de match-tiebreak (até 10 pontos ou vantagem de dois após o 9 a 9).

É importante ficar de olho na quantidade de partidas de cada tenista. Cada atleta deve competir em ao menos um jogo de simples nos dois primeiros dias. Porém, um jogador não pode ter mais que dois duelos individuais durante toda a competição.

John Isner efetua saque em partida da Laver Cup
Em três edições, a Laver Cup conseguiu se consolidar no calendário do tênis mundial. (Foto: Organização/Laver Cup)
Nas duplas, cada equipe deverá ter pelo menos quatro representantes, sendo que uma parceria só poderá ser repetida em caso de um eventual empate de 12 a 12 ao término das 12 partidas do torneio, fazendo-se necessária a realização de um novo jogo de duplas no domingo, que definirá a equipe campeã.

Ou seja, vence a Laver Cup, a equipe que atingir a marca dos 13 pontos primeiro. O fato curioso deste regulamento é que, devido à forma de distribuição dos pontos por dias, é impossível que o torneio tenha um campeão antes do domingo, já que é possível marcar no máximo 12 pontos nos dois primeiros dias.

Elencos do Time Europa vs Time Mundo

Pela primeira vez a Laver Cup não contará com um integrante do famoso Big Three (Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic), donos de 20 títulos de Grand Slam cada. Federer, um dos idealizadores do evento, passou recentemente por uma nova cirurgia em seu joelho direito e voltará às quadras apenas em 2022.

Nadal também está passando um período fora dos torneios, para aprimorar a parte física e se recuperar de lesões. Djokovic por sua vez, vem de desgastante temporada, com quatro finais de Majors e três títulos, e optou por descansar.

Desta forma, cabe à Next Gen do tênis masculino carregar a Laver Cup e quem sabe, dar a primeira demonstração de que o evento já tem força suficiente para não precisar contar com o Big Three.

O Time Europa ganhou todas as edições da Laver Cup, sempre sendo comandada por Federer. Mas em 2021, a grande estrela da equipe é o russo Daniil Medvedev, que há pouco menos de duas semanas, faturou seu primeiro título de Major no US Open, ao aplicar um triplo 6-4 em Djokovic.

O capitão europeu será novamente o sueco Bjorn Borg, vencedor de 11 Majors, seis deles em Roland Garros e cinco em Wimbledon. Além de contar com Medvedev (2º), ele terá ainda em seu plantel, o grego Stefanos Tsitsipas (3º), o alemão Alexander Zverev (4º), o russo Andrey Rublev (5º), o italiano Matteo Berrettini (7º), o norueguês Casper Ruud (10ª), além do suplente espanhol Feliciano Lopez. Borg terá ainda como vice-capitão, seu compatriota Thomas Enqvist, finalista do Australian Open de 1999.

Time Europa posa para foto. Todos usam traje de gala.
Time Europa 2021. (Foto: Organização/Laver Cup)
Após levar os europeus ao extremo em 2019, o capitão do Time Mundo, John McEnroe, sete vezes vencedor de Majors em simples, comandará os canadenses Felix Auger-Aliassime (11º) e Denis Shapovalov (12º), o argentino Diego Schwartzman (15º), os estadunidenses Reilly Opelka (19º) e John Isner (22º), o australiano (e figurinha carimbada no evento) Nick Kyrgios (95º), além do também estadunidense Jack Sock (164º), como reserva. Patrick McEnroe é o vice-capitão do time.

Time Mundo posa para foto. Todos usam traje de gala.
Time Mundo 2021. (Foto: Organização/Laver Cup)

Momentos marcantes de edições passadas da Laver Cup

Como a Laver Cup conta com o diferencial de reunir grandes tenistas em times que não são de suas nações, o evento recebe muita notoriedade por proporcionar algo diferenciado. E foi isso que aconteceu logo em sua primeira edição, quando Roger Federer entrou em quadra ao lado de seu maior rival ao longo de toda carreira, Rafael Nadal.

Roger Federer e Rafael Nadal comemoram ponto em partida de duplas na Laver Cup
Adversários em simples, Federer e Nadal reforçaram amizade nas duplas durante a Laver Cup 2017. (Foto: Organização/Laver Cup)
Em 2017, os dois tenistas demonstraram grande forma e dominaram o circuito, com dois títulos de Grand Slam cada (Australian Open e Wimbledon para o suíço e Roland Garros e US Open para o espanhol). No jogo que fechou a rodada de sábado da Laver Cup, esses dois dos maiores tenistas da história formaram uma dupla. Federer e Nadal venceram os estadunidenses Sam Querrey e Jack Sock no match-tiebreak, selando um dos maiores momentos daquela temporada.

Já em 2018, outra dupla inusitada e improvável por muitos anos foi formada: Federer e Djokovic. Mas a parceria saiu de quadra com a derrota no match tiebreak diante o sul-africano Kevin Anderson e o estadunidense Jack Sock.

Outros momentos marcantes da Laver Cup foram os duelos de Federer contra Nick Kyrgios. Na 12ª partida da edição de 2017, em Praga, o suíço venceu um jogo memorável, de virada contra o australiano, que dependia da vitória para forçar um 13º jogo. Mas após pontos incríveis, Federer levou a melhor, batendo Kyrgios por 11 a 9 no match-tiebreak.

Nick Kyrgios efetua batida entre as pernas em jogo contra Roger Federer
Federer e Kyrgios protagonizaram dois dos melhores jogos da curta história da Laver Cup. (Foto: Organização/Laver Cup)
Durante a edição de 2019, em Genebra, eles voltaram a chegar ao extremo em novo duelo. E mais uma vez Federer levou a melhor no match-tiebreak, garantindo a vitória num sábado, para o Time Europa, após perder o primeiro set contra Kyrgios.

Coisas para ficar de olho durante a Laver Cup

- Poderá a Next Gen do tênis masculino ofuscar a ausência de Federer, Nadal e Djokovic? Como será a recepção do público ao torneio em Boston, sem as principais estrelas da modalidade?

- Será que vem aí o primeiro título do Time Mundo? Nick Kyrgios novamente aparece na competição, que este ano terá um gosto especial. Isso porque o australiano é fã de basquete e o evento será realizado no TD Garden, casa do Boston Celtics, uma franquia da NBA.

Vestindo uma camiseta do Boston Celtics, da NBA, Nick Kyrgios treina para o US Open
Kyrgios treina frequentemente com camisetas da NBA. (Foto: Michael Klein/ News Corp Australia)

- Fãs de tênis estão criticando a presença de Alexander Zverev na Laver Cup. O alemão, atual campeão olímpico de simples, é acusado de violência doméstica por sua ex-namorada, Olga Sharypova. Qual será a recepção do público em Boston? Como vão reagir os membros do Time Europa e os organizadores do evento? (Importante ressaltar que Zverev foi por muitos anos agenciado pela Team8).

Foto: Organização/Laver Cup 

Nenhum comentário:

Postar um comentário