Tetracampeão mundial de golfe infantil, Bento Assis sonha em ajudar na evolução da modalidade no Brasil - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Tetracampeão mundial de golfe infantil, Bento Assis sonha em ajudar na evolução da modalidade no Brasil

Compartilhe
Golfista Bento Assis se diverte em treinos nos Estados Unidos

O golfe não é uma das modalidades mais populares no Brasil. Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, por exemplo, não tivemos representantes no torneio masculino e nem no feminino. No entanto, um golfista brasileiro de apenas 10 anos está dando esperanças aos fãs da modalidade, de que no futuro, o golfe possa se desenvolver com maior facilidade nas nossas terras. O nome desse ‘pequeno’ atleta é Bento Assis.

Enquanto todos os holofotes estavam voltados para a disputa dos Jogos Olímpicos, no Japão, Bento estava no outro lado do planeta (Estados Unidos), faturando seu quarto título mundial de golfe infantil (2017, 2018, 2019 e 2021). Com uma atuação memorável nas duas últimas rodadas, o jovem paulistano efetuou duas tacadas a menos que o estadunidense Matthew Margliano (202 a 204), para conquistar mais um troféu (vídeo abaixo).


Bento joga golfe desde os três anos. Em 2017, sua família mudou-se para os Estados Unidos e lá ele se desenvolveu ainda mais no golfe e nos estudos. Apesar da pouquíssima idade, Bento já sonha em ajudar o Brasil na evolução da modalidade.


Em poucas palavras, com seu português ‘enrolado’ por causa do costume de comunicar-se em inglês na maior parte do tempo, o jovem atleta disse que quer até mesmo jogar um torneio do PGA Tour, aqui no Brasil.

Acho que posso ajudar na evolução do golfe. Quando ganhei o mundial da US Kids, levaram o projeto de golfe infantil para o Brasil. Isso ajudou as crianças a começarem a jogar campeonatos. Se um dia eu ganhar um Major, o golfe terá mais visibilidade no Brasil e aí tentarei jogar um PGA no Brasil. E tentarei ganhar.

Apesar do pensamento competitivo, não se engane, Bento parece ainda viver como uma criança de 10 anos deveria viver. Quer um exemplo? Neste ano ele fará parte da equipe de patrulha de segurança de sua escola, nos Estados Unidos. Essa é uma equipe em que alunos mais velhos (os patrulheiros) ajudam os mais novos ou os que entraram há pouco tempo na escola em diversas atividades, seja para atravessar a rua ou manter a organização nos corredores.




O garoto desde muito novinho já mostrava sua ambição dentro do esporte. Mas agora ele parece ainda mais focado. Ao ser perguntado sobre o que faria da vida fora do golfe e se gostaria de ingressar em uma universidade, Bento até revelou uma preferência, mas não saiu do assunto sobre o esporte.

Acho que não quero ir para o College (faculdade), porque quero ser o cara mais novo a jogar no PGA Tour. Mas se eu mudar de ideia, quero ir para Duke ou Stanford.

Bento Assis comemora título mundial de golfe infantil com seu troféu
Bento e seu troféu de campeão mundial infantil. Foto: Arquivo cedido pela família

Este dado, aliás, é bastante curioso e difícil de ser batido. Isso porque o golfista mais jovem a disputar um torneio do PGA Tour foi Don Dunkelberger, aos 11 anos, 11 meses e 2 dias. Mas o fato ocorreu no longínquo ano de 1937. Em tempos mais modernos, o recorde de mais jovem no PGA Tour é de uma mulher. A golfista do Havaí, Michelle Wie, foi convidada para jogar no torneio masculino Sony Open de 2004, disputado exatamente na famosa ilha estadunidense. Ela não passou o corte, mas entrou para a história ao competir com apenas 14 anos, dois meses e 29 dias.

Mas nem tudo são vitórias para Bento

Apesar da conquista de seu quarto título mundial, Bento não teve tantos bons desempenhos ao disputar eventos em que a idade dos seus adversários em campo eram maiores do que a dele. Porém, de acordo com palavras do próprio garoto, isso foi usado como motivação para treinar mais e melhorar suas técnicas.

“Esse ano eu peguei muitas derrotas porque estava jogando campeonatos de 11, até 12 anos. Mas isso me motivou a treinar mais e mais. E é por isso que acho que ganhei o mundial”, falou Bento.

E o jovem golfista parece lidar bem com revezes. Para ele, “isso é uma coisa normal”, pois adora competir e já faz isso há muito tempo.

O sucesso de Bento no golfe infantil é um caso curioso de atleta que mesmo extremamente jovem, já tem reconhecimento internacional, numa modalidade que não é famosa em seu país de nascimento. Todos os questionamentos sobre como crianças lidam com pressão ao entrar no esporte são importantes, assim como também são imprescindíveis os exemplos de que os esportes (em qualquer nível de competitividade) são fundamentais na formação de um jovem cidadão.

Confira abaixo, um recado de Bento para a torcida brasileira.


Foto: Reprodução/Sun Sentinel

Nenhum comentário:

Postar um comentário