Rotina de atleta, vida de criança: um papo com o golfista Bento Assis - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Rotina de atleta, vida de criança: um papo com o golfista Bento Assis

Compartilhe

 


Experimente pesquisar no Google o nome Bento Assis. Vai aparecer diversas manchetes como "Tiger Woods brasileiro"; "Bento é campeão"; "Atuação impecável". Trata-se de um golfista brasileiro de apenas 9 anos, considerado por muitos como o futuro do golfe nacional. Mas o melhor nisso tudo é que ele continua sendo e tendo uma vida de criança, mesmo com seu comprometimento com o esporte. 


Em entrevista exclusiva ao site Surto Olímpico, Bento, que mora desde 2017 nos Estados Unidos, mostrou que não é o Tiger Woods brasileiro. Ele é Bento Assis. Uma criança feliz, que ama o esporte que pratica, que pensa em ser profissional, mas que não abre mão da vida normal de uma criança, sendo sempre apoiado pelo pai, Rodrigo. 


E se engana quem pensa que Bento gosta só de golfe. A paixão surgiu muito cedo, aos 3 anos, mas o garoto gosta de muitos outros esportes. Além do treino em grupo com outras crianças e aulas particulares para aprimorar as tacadas, ele ainda joga tênis, anda de kart, skate, bicicleta, patinete. E claro, sempre que dá tempo, joga uma partida de Fortinite, mais um daqueles games de sobrevivência que as crianças adoram. 


Mas por que Bento é tão conhecido dentro do mundo do golfe? Bom, ele conquistou 21 dos mais importantes títulos de nível nacional e internacional. Foi tricampeão consecutivo do Campeonato Mundial da U.S. Kids Golf (entre 2017 e 2019), sendo vice-campeão em 2020. Ganhou duas vezes o Orange Bowl, três vezes o Torneio da Flórida para crianças, além de outros sete eventos regionais. É troféu para perder de vista. 


Até em torneios para jogadores de idades acima, Bento já fez bonito, vencendo um evento de um patrocinador que era voltado a jovens entre 10 e 13 anos. Mas apesar de tantos títulos, o que mais lhe orgulha são as amizades construídas pelo esporte. 


"Eu ganhei mais amigos quando comecei a jogar golfe. Viajava para os campeonatos e conhecia outras crianças. Elas queriam brincar comigo. Essa foi a maior mudança na minha vida", revelou Bento, tentando se expressar em português, mesmo estando mais acostumado com a língua inglesa, na qual conseguiu desenvolver mais no último ano. 


Nós podemos até imaginar que esse amor de Bento pelo golfe é coisa de família, influência de algum parente. Mas novamente estamos redondamente enganados. O menino é pioneiro entre os Assis, sendo o primeiro a jogar golfe na família. E o pai, Rodrigo, explicou com mais detalhes essa história. 


"O Bento nasceu em São Paulo, mas nos mudamos para Porto Alegre (RS) quando ele tinha uns dois anos e meio. E foi muita coincidência, porque nós fomos morar em um condomínio que tinha um campo de golfe. Ninguém na família jogou golfe antes, sequer eramos interessados pela modalidade. Mas a nossa casa ficava próximo à escola de golfe do condomínio. E aí o Bento começou a querer ir todos os dias ali, sempre acompanhado, ficava horas batendo bola e pegou gosto. Não havia pressão ou vontade nossa de colocar ele nesse esporte, foi tudo natural", contou Rodrigo. 



Foto: Arquivo pessoal de Bento Assis


Ao falar de seu maior sonho, Bento abriu um sorriso tão grande que é até difícil expressar com palavras. "Eu quero jogar no PGA Tour (principal circuito de golfe do mundo). Quero ficar famoso. Tentar ganhar a FedEx Cup ou o Masters de Augusta, um dos Majors de Golfe", disse o menino, que também revelou seu golfista favorito. 


"Sabe quem é o Rory McIlroy? (norte-irlandês, ex-número 1 do mundo). Então, esse ai é o meu favorito. Eu gosto do Jordan Spieth também, mas acho que hoje o Rory está jogando um pouco melhor", declarou. 


O garoto contou ainda que sonha em vencer torneios do PGA Tour para que os brasileiros possam se interessar mais pela modalidade, aumentando então o número de praticantes e espectadores do golfe. 


Bento estuda em uma escola pública e durante a pandemia de coronavírus precisou estudar pela internet para amenizar as dificuldades causadas. Ele falou sobre sua dificuldade inicial em algumas matérias na escola e sobre o que mais gosta de estudar. 


"No começo eu não estava indo bem no reading (leitura), porque eu sou do Brasil e ainda não estava acostumado. Mas nesse ano eu estou melhorando. Minha matéria favorita é matetmática. Eu amo matemática. E como é algo igual no Brasil e nos Estados Unidos, não tive dificuldade, porque já sabia como era. Mas quando cheguei aqui eu não sabia falar inglês. Eu falava oi só", ressaltou Bento. 


"Viemos para os Estados Unidos por causa dos negócios, mas também era uma oportunidade legal para o Bento. Mas no começo ele ficava das 8h às 14h na aula sem falar e entender nada. Mas foi aprendendo e desenvolvento o inglês, tanto que hoje em dia é a principal língua dele", reiterou Rodrigo. 


Em mais um momento de descontração, Bento falou do medo que sente de ficar no escuro. "Eu não vou para uma sala que está escura, não vou", disse o menino, dando risada. "Tem que acender a luz". 


"Por isso que ele gosta de jogar golfe, é só no sol, durante o dia", completou Rodrigo, que também estava rindo. 


O apoio que Bento recebe dos pais e outros familiares tem sido fundamental em seu desenvolvimento. Eles são a chave para dosar a quantidade de treinos e de esportes que ele pode praticar durante a semana e quanto tempo livre ele tem para fazer outras atividades, evitando os excessos.


"Eu fico feliz porque eles me ajudam muito. Eles pagam várias coisas com o dinheiro deles para mim, incluindo todas as aulas de esportes que eu faço. Eles me dão sempre um suporte, sempre estão preocupados e é bom receber esse carinho", concluiu Bento. 


No último domingo (11), Bento conquistou mais um título. Desta vez, um torneio regional da U.S. Kids, o PGA Golf Club Invitational. Com -8, ele foi o único que encerrou o torneio jogando abaixo do par do campo, abrindo oito tacadas de vantagem para o estadunidense Bryce Lloyd, vice-campeão. 


Foto: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário