Brasil leva virada contra os russos e está fora da final olímpica do vôlei masculino pela 1ª vez desde Sydney 2000 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Brasil leva virada contra os russos e está fora da final olímpica do vôlei masculino pela 1ª vez desde Sydney 2000

Compartilhe

Não deu para o Brasil no vôlei masculino. Nossa seleção foi eliminada na semifinal dos Jogos Olímpicos de Tóquio, com derrota de virada, nesta quinta-feira (5), diante da equipe do Comitê Olímpico Russo por 3 sets a 1 (18-25, 25-21, 26-24 e 25-23). Assim os brasileiros deram adeus à chance de defender a medalha de ouro conquistada no Rio de Janeiro 2016.

Essa é a primeira vez que o Brasil fica fora da final olímpica do vôlei masculino desde Sydney 2000, quando a seleção caiu ainda nas quartas de final, contra o time da Argentina naquela ocasião. Agora, a seleção brasileira disputará a medalha de bronze em Tóquio 2020, contra o perdedor do jogo entre França e Argentina.

O grande destaque da vitória do Comitê Olímpico Russo foi Maxim Mikhaylov, que anotou 22 pontos, com 20 tentos em 33 ataques e dois bloqueios. No lado brasileiro, o maior pontuador foi Leal, com 18 pontos e 50% de aproveitamento nos ataques. Além disso, é importante ressaltar o comando do técnico Toumas Sammelvuo no lado dos russos, que ajustou o time nas duas vezes em que esteve atrás com larga vantagem contra.

Times iniciais

Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli, Leal e Thales (L). Técnico: Renan Dal Zotto. Entraram: Alan, Mauricio Borges, Isac, Douglas Souza e Fernando Cachopa

Comitê Olímpico Russo: Artem Volvich, Dmitry Volkov, Ivan Iakovlev, Maxim Mikhaylov, Egor Kliuka, Igor Kobzar e Valentin Golubev (L). Técnico: Toumas Sammelvuo. Entraram: Pavel Pankov e Ilyas Kurkaev

Resumão do jogo

1º set

O jogo começou com ponto de Wallace, após levantamento desajeitado de Bruninho. Mas com um ‘buraco’ no meio da quadra brasileira, os russos tiraram proveito e marcaram o ponto de empate, dando o tom do que seria a partida.

O time brasileiro não conseguiu chegar aos três pontos de vantagem no início de jogo. Apesar de explorarem bem o bloqueio adversário, nossos adversários russos fizeram ataques potentes para impedir que o Brasil disparasse na liderança.

Mas após um bloqueio de Maurício Souza garantiu o 13-10, abrindo pela primeira vez três pontos de vantagem. O Brasil passou a mostrar melhorias na virada de bola em relação ao último jogo, com excelente aproveitamento dos ataques, aliadas às boas defesas do time.

Ao ver a seleção brasileira abrir quatro pontos de margem, o técnico da equipe russa pediu tempo técnico, para tentar parar a sequência do Brasil. Mas os ajustes testados por Sammelvuo não surtiram efeito e nossa equipe chegou a 20-14, com direito a dois bloqueios importantes de Lucão. Na sequência, Lucarelli acertou belo ace, quebrando o ritmo, para aumentar ainda mais a vantagem.

Após saque para fora de Volkov, o Brasil fechou o primeiro set em 25-18, em 28 minutos. Difícil falar de apenas um destaque individual, uma vez que o time atuou muito bem na parcial. Os maiores pontuadores do lado brasileiro foram Leal (6), Lucarelli (5) e Lucão (5), sendo que o time teve 16 acertos em 30 ataques.

Lucarelli fez ótimo 1º set. Foto: Reprodução/FIVB

2º set

O segundo set começou com um ponto de Mikhaylov. Leal empatou no placar, mas os russos voltaram a nos passar, chegando rapidamente ao 4-1, obrigando o técnico brasileiro Renan Dal Zotto a pedir tempo técnico para fazer ajustes na equipe.

Com melhorias no sistema defensivo e desenvolvendo as jogadas com mais tranquilidade, o time do Comitê Olímpico Russo chegou ao placar de 10-5. Insegura, a seleção brasileira parou de virar bolas e perdeu força na base do jogo. Desta forma, o técnico Renan precisou pedir um novo timeout. Ele ainda substituiu Wallace e colocou Alan em quadra.

Os russos dobraram o número de pontos dos brasileiros (14-7), após belo bloqueio, confirmando o bom volume de jogo ao longo da parcial. Após um saque indefensável de Leal, o Brasil cortou a vantagem para apenas três pontos, voltando ao jogo.

Apesar de melhorar o nível do jogo, o bloqueio brasileiro parou de funcionar. Os russos superaram facilmente a defesa do Brasil, com muitas bolas levantadas nas pontas. Desta forma, nossa equipe encerrou o segundo set com apenas um ponto de bloqueio, para salvar um dos set points.

Ainda assim, os russos fecharam a parcial em 25-21, com a defesa salvando um ótimo saque de Leal. Mesmo com 11 erros, a equipe do Comitê Olímpico Russo teve como destaques Mikhaylov e Kliuka (7 e 6 pontos respectivamente).

Kliuka teve destaque principalmente durante o segundo set. Foto Reprodução/FIVB

3º set

Os russos começaram a nova parcial com a mesma intensidade, com um potente ataque de Iakovlev. Ainda assim, o Brasil se aproveitou de erros para manter o início equilibrado, com direito a ponto do levantador Bruninho, que conseguiu enganar o bloqueio e colocou a bola no chão.

O Brasil passou a comandar as ações no set ao melhorar sua eficiência no ataque, superando com mais facilidade a defesa russa, que também estava mal nos bloqueios Nossa seleção abriu oito pontos de vantagem perto do fim da parcial (20x12), elevando o nível também no saque.

Buscando uma virada, os russos reduziram a margem, o que exigiu um tempo técnico solicitado por Renan. A conversa com os atletas não funcionou e nossos adversários passaram no placar, após ataques desperdiçados pelos brasileiros. Assim como no segundo set, o Brasil salvou um set point, mas não impediu a vitória russa por 26-24, virando o jogo para 2 sets a 1.

Iakovlev foi o grande destaque russo no set, marcando oito pontos, sendo seis de ataque (com 100% de aproveitamento) e dois de bloqueio.

O Brasil parecia ter controle do 3º set, mas levou a virada. Foto: Reprodução/FIVB

4º set

Mais uma vez a parcial começou de forma equilibrada, com alterações constantes na liderança do placar. Insatisfeito com o rendimento do time, Renan fez uma de suas poucas substituições no jogo e colocou Douglas Souza em quadra para tentar modificar a forma de jogar da seleção.

Com bons saques e se aproveitando de erros do Brasil, os russos abriram margem, com 18-15 no placar. Mas a seleção brasileira buscou o empate, após a inversão do cenário, com os russos passando a cometer mais erros.

Após um erro no desafio pedido pela seleção, o time russo ficou muito perto da vitória. O Brasil salvou um match point com ataque de Douglas Souza, mas quem venceu foi a equipe do Comitê Olímpico Russo, que fechou o set em 25-23.

Foto: Reprodução/FIVB

Nenhum comentário:

Postar um comentário