Quartas de final do handebol feminino marca queda de campeã mundial em dia de recordes - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Quartas de final do handebol feminino marca queda de campeã mundial em dia de recordes

Compartilhe


 As quartas de final do handebol feminino das Olimpíadas de Tóquio tiveram seu término na manhã desta quarta-feira (4). O mata-mata marcou a derrota de Países Baixos - campeões mundiais de 2019 -, para a França. O que chamou a atenção foi tamanho domínio francês, que foram para o intervalo vencendo por 19 a 11. As francesas não diminuíram o ritmo e mesmo com a reação das neerlandesas, venceram por 32 a 22. Esta foi a sétima vez que a França marcou pelo menos 30 gols nos Jogos Olímpicos.


A França irá enfrentar a Suécia na semifinal, que venceram a Coreia do Sul de maneira tranquila. Após um início forte das suecas que chegaram a abrir 8 a 2 ainda no primeiro tempo. Não deixando as sul-coreanas se aproximarem do placar, a vitória por 39 a 30 mostrou um time muito bem coletivamente com todas jogadoras de linha marcando ao menos um gol. 


Foi também o jogo com o maior número de gols marcados pela Suécia nos Jogos Olímpicos, e a segunda maior vitória do país nas Olimpíadas. Pelo torneio feminino, essa é a quinta maior vitória nas quartas de final da competição, com o recorde ainda mantido pela Noruega, que venceu a própria Suécia por 33 a 20 no Rio-2016 há cinco anos.

Foto: Susana Vera/REUTERS

Uma das candidatas ao ouro sofreu, mas também conseguiu vaga à semifinal. Em partida cheia de reviravoltas, a Noruega bateu a Hungria por 26 a 22 no jogo mais equilibrado do mata-mata até então. O primeiro tempo terminou com o time de Thorir Hergeirsson vencendo por 12 a 10. No entanto, a etapa final reservou tensão e emoção.


A Hungria virou a partida logo no começo do segundo tempo e a cada gol feito pelas norueguesas, a seleção húngara devolvia na mesma moeda, chegando até abrir dois gols de vantagem. Perto do fim do jogo, a Noruega finalmente se desgarrou do placar para ter vantagem no placar de quatro tentos e garantir a vaga. Foi a oitava vez que chegam a semifinal olímpica e graças a goleira Katine Lunde, que fez cinco defesas e salvou 63% das bolas que foram ao gol nos últimos 11 minutos, levando só um gol.

Foto: Susana Vera/REUTERS

Quem enfrenta a Noruega é o Comitê Olímpico Russo que venceu de forma tranquila a seleção de Montenegro pelo placar de 32 a 26, em mais uma grande partida da armadora Anna Vyakhireva que marcou oito gols e deu quatro assistências, sendo a quarta vitória consecutiva do ROC e a 21ª em 28 jogos na história. Também é a terceira vez em quatro jogos que a seleção de handebol da Rússia marcou pelo menos 30 gols.


Mesmo com a derrota, a ponteira direita Jovanka Radicevic entrou para a história ao terminar a competição com o melhor desempenho nos Jogos Olímpicos de todos os tempos ao marcar 46 gols em Tóquio 2020. Com seus 31 gols feitos em Londres-2012 e os 16 marcados no Rio-2016, ela ainda não chegou aos 100 gols, que pode chegar daqui há três anos em Paris. Radicevic se despede com a artilharia momentânea do torneio e tem 911 gols feitos por Montenegro.

Foto: Siphiwe Sibeko/REUTERS


Foto: Susana Vera

Nenhum comentário:

Postar um comentário