Jamaicano Hansle Parchment desbanca Grant Holloway e vence 110m com barreiras em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Jamaicano Hansle Parchment desbanca Grant Holloway e vence 110m com barreiras em Tóquio

Compartilhe

Teve dobradinha jamaicana nos 110m com barreiras na Olimpíada de Tóquio! Hansle Parchment conquistou o ouro, marcando 13.05, e Ronald Levy, com 13.10, ficou com o bronze. A final, disputada nesta quinta-feira (05), contou com o norte-americano Grant Holloway, que era favorito ao título, ficando com a medalha de prata, marcando 13.09. 


Sem o atual campeão olímpico presente na prova, Omar McLeod, que perdeu a seletiva nacional, coube a Parchment defender o título do compatriota e manter o ouro com a Jamaica. Parchment desbancou o grande favorito, Holloway, que foi campeão mundial em 2019 e fez a segunda melhor marca da história este ano. O estadunidense até largou bem e fez uma boa corrida, mas foi ultrapassado na última barreira. 


Parchment tem 31 anos e conquistou sua segunda medalha olímpica, tendo sido bronze em Londres-2012. Ele também já foi vice-campeão mundial nesta prova, em 2015, não tendo participado do Mundial de 2019. Holloway, de 23 anos, fez sua primeira aparição olímpica, assim como Levy, que tem 28 anos, e foi o medalhista de bronze.


Entre os outros finalistas, o norte-americano Devon Allen foi o quarto, com 13.14, seguido pelo francês Pascal Martinot-Lagarde, com 13.16. O espanhol Asier Martinez terminou na sexta colocação, batendo seu recorde pessoal de 13.22. Andre Pozzi, da Grã-Bretanha, e Aurel Manga, da França, completaram a prova, a 13.30 e 13.38, respectivamente. 


Esta foi a terceira medalha de ouro da Jamaica na Olimpíada de Tóquio. O país ainda tem uma prata e três bronzes, incluindo o de Levy. Mantendo sua tradição, todas as medalhas foram conquistadas em provas de velocidade do atletismo. A Jamaica fez tripladinha nos 100m feminino, com Elaine Thompson-Herah vencendo - ela também faturou o ouro nos 200m.


Foto de capa: Andrew Boyers/REUTERS

Nenhum comentário:

Postar um comentário