Brasil despacha Coreia do Sul e chega à terceira final olímpica no vôlei feminino - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Brasil despacha Coreia do Sul e chega à terceira final olímpica no vôlei feminino

Compartilhe

Estamos na final! Pela terceira vez em sua história, o Brasil se garantiu na final do torneio olímpico de vôlei feminino e vai enfrentar, mais uma, os Estados Unidos. A seleção se classificou ao derrotar nesta sexta-feira (06) a Coreia do Sul por tranquilos 3 sets a 0, em parciais de 25-16, 25-16 e 25-16, que duraram apenas 1h22min, na Ariake Arena.

Agora, na final, a equipe brasileira vai enfrentar os Estados Unidos, que também não teve dificuldades para superar a Sérvia pelo outro lado da chave. A decisão está marcada para o próximo domingo (08), às 01h30, no horário de Brasília. Vale lembrar que o Brasil conquistou dois ouros olímpicos, em Pequim-2008 e Londres-2012, em ambos vencendo os EUA na final.

Em relação ao duelo de semifinal, a seleção brasileira pareceu não sentir a ausência da oposta titular Tandara, que precisou voltar para o Brasil após violar as regras antidoping e foi suspensa provisoriamente. Assim como no duelo das quartas de final, Rosamaria supriu muito bem a posição e anotou dez pontos. A maior pontuadora do duelo foi Fê Garay, com 17.

O Brasil não encontrou dificuldades para superar a Coreia do Sul e conseguiu controlar bem o fim das parciais após deslanchar no início de cada uma. Tamanha foi a facilidade que se desenrolou que Zé Roberto Guimarães conseguiu rodar bem o elenco e deu tempo de jogo para Natália, Roberta Ana Cristina. Natália foi muito bem, marcou sete pontos e encerrou a partida em quadra.


Com a ida à final, o Brasil já tem, ao menos, uma prata garantida no vôlei feminino e, assim, chega a 20 medalhas asseguradas, superando o recorde histórico de pódios do país, que é de 19 da Rio-2016. O Brasil soma, até o momento, quatro ouros, quatro pratas e oito bronzes, mas tem quatro finais garantidas: vôlei feminino, Bia Ferreira e Hebert Conceição, no boxe, e futebol masculino.

O jogo

O primeiro set foi, talvez, o mais equilibrado. A Coreia do Sul abriu o placar, mas o Brasil logo conseguiu puxar 5-2 de frente, com uma ótima passagem de Carol, que chegou a fazer um ace. Os times trocaram pontos até que a equipe verde e amarela voltou a abrir vantagem até chegar em 10-5, com direito a uma bola de segunda de Macris.

 
Mais uma vez, na metade do set, os pontos foram alternados, até que o Brasil sofreu um pequeno primeiro momento de instabilidade. A seleção não conseguiu virar três bolas e deu o contra-ataque para as sul-coreanas. A vantagem caiu para três pontos, em 13-10, mas Rosamaria surgiu como o desafogo do time brasileiro e colocou a equipe de volta nos trilhos.

Passado o pequeno susto, o Brasil voltou a apresentar eficiência no ataque e abriu 17-12, o que obrigou o técnico Lavarini a pedir seu tempo. Pouco adiantou, já que o Brasil seguiu crescendo e a Coreia continuou errando. Com 21-14, o treinador italiano queimou sua segunda parada, mas o time de Zé Roberto Guimarães respondeu com mais viradas rápidas e fechou a primeira parcial em 25-16.

Buscando reverter o resultado, a Coreia do Sul acertou sua defesa para o segundo set e apresentou maior volume ofensivo para conseguir se igualar ao Brasil no início da parcial. As asiáticas não deixaram as brasileiras desgarrar do placar nos primeiros instantes. O Brasil só conseguiu construir uma vantagem de dois pontos em 9-7, com um bloqueio de Rosamaria sobre a craque sul-coreana Kim.

 
Com um erro de recepção de Gabi, a Coreia até empatou em 10-10, mas Rosamaria voltou a fazer a diferença e o Brasil fez quatro pontos seguidos, indo para 14-10. Lavarini pediu tempo e a Coreia apresentou uma leve melhora, chegando a cortar a diferença para dois pontos, em 16-14. Mas isso durou pouco e o Brasil logo anotou quatro pontos seguidos para chegar em 20-14.

Sem reação de seu time, o técnico italiano mais uma vez parou o jogo, mas de nada adiantou. Natália entrou muito bem no jogo e o Brasil marcou três pontos seguidos, abriu 23-14 e conseguiu fechar a parcial em 25-16, repetindo o placar do set anterior.

Mantendo a postura do final da última parcial, o Brasil começou o terceiro set com tudo e não deixou as sul-coreanas respirarem desde os primeiros momentos. A equipe verde e amarela abriu 3-0 e administrou a vantagem. A Coreia do Sul chegou a ter um momento de brilho e encostou em 7-5, mas as brasileiras rapidamente responderam com 10-5.


Lavarini pediu tempo e, assim como das outras vezes, pouca diferença foi vista. A seleção brasileira estava vibrante e seguiu defendendo e atacando bem, abrindo 15-8 de vantagem. A Coreia do Sul até tentava esboçar uma reação, mas a força não era suficiente para superar o ímpeto brasileiro. O Brasil fez pontos seguidos, cometeu alguns erros no final por desatenção, mas ainda fechou em 25-16.

Ficha técnica
BRASIL
Titulares: Carol Gattaz, Rosamaria, Macris, Gabi, Carol, Fê Garay e Camilla Brait
Entraram: Natália, Ana Cristina e Roberta


COREIA DO SUL
Titulares: Yeum Hye Seon, Kim Heejin, Oh Jiyoung, Kim Yeon Koung, Kim Su Ki, Park Jeongah, Yang Hyojin
Entraram: Jeong Jiyun, An Hyejin, Park Eunjin, Lee Soyoung e Pyo Seungju

Fotos: Gaspar Nobrega/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário