Alana Maldonado vai à final no judô em Tóquio 2020; Outros três brasileiros disputam o bronze - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Alana Maldonado vai à final no judô em Tóquio 2020; Outros três brasileiros disputam o bronze

Compartilhe
Alana Maldonado, de quimono branco, em luta de solo com adversária

Um dia depois do bronze de Lúcia Araújo, o judô brasileiro teve um bom desempenho neste domingo (29) e vai lutar por mais quatro medalhas na Paralimpíada de Tóquio. Alana Maldonado (70kg) se garantiu na final de sua categoria, enquanto Arthur Cavalcante (90kg), Antônio Tenório (100kg) e Meg Emmerich (+70kg) vão disputar o bronze. A sessão das finais começa às 04h30, no horário de Brasília.

Atual campeã mundial, Alana (B2) precisou vencer apenas duas lutas para chegar na decisão da categoria até 70kg. Ela conseguiu um ippon com apenas sete segundos logo em sua estreia, contra a italiana Matilde Lauria (B1), e teve uma luta um pouco mais difícil na semifinal, contra a turca Raziye Ulucam (B3). Ainda assim, venceu por ippon e se garantiu na final.

Alana pode se tornar a primeira judoca brasileira a conquistar um ouro paralímpico. Ela chegou perto do feito na Rio-2016, quando faturou a prata após perder para a mexicana Lenia Fabiola Alvarez. Agora, em Tóquio, a brasileira enfrentará na decisão a georgiana Ina Kaldani (B2). A luta será a sexta da sessão das finais, devendo ocorrer por volta das 05h15.

Meg Emmerich também poderia ser a primeira brasileira na briga por um ouro paralímpico, mas foi derrotada na semifinal da categoria acima de 70kg pela azeri Dusadaf Karimova, por ippon, e vai disputar o bronze. Antes da derrota, Meg havia derrotado a japonesa Minako Tsuchiya, por ippon. Na disputa pela medalha, ela enfrentará a mongol Altantsetseg Nyamma

Já Antônio Tenório, participando de sua sétima Paralimpíada aos 50 anos, venceu a estreia contra o moldavo Ion Basoc, com um ippon, e foi derrotado na semifinal, pelo norte-americano Ben Goodrich. A luta teve quase quatro minutos de golden score e, com dois shidôs para cada, só foi decidida quando Goodrich imobilizou Tenório, que, visivelmente cansado, desistiu.

Buscando sua sétima medalha em Jogos Paralímpicos - ele foi ao pódio em todas as seis vezes que disputou o megaevento, tendo quatro ouros, uma prata e um bronze -, Tenório enfrentará o uzbeque Sherif Khalivov na disputa do terceiro lugar. Esta luta ocorrerá logo após a final de Alana Maldonado.

Arthur Cavalcante teve que passar pela repescagem para se garantir na disputa do bronze. Ele venceu por W.O na primeira rodada, já que o venezuelano Hector Espinoza Rodriguez não compareceu à luta. Na sequência, ele foi derrotado pelo iraniano Vahid Nouri por estrangulamento. Na repescagem, bateu Hirose Haruka por imobilização após waza-ari. Agora, ele terá o ucraniano Aleksandr Nazarenko na busca pela medalha.

Wilians Araujo (+100kg) foi o único brasileiro a não vencer nenhuma luta. Ele foi eliminado logo em sua estreia, pelo cubano Yordani Fernandez Sastre, por ippon. Prata na Rio-2016, o brasileiro não consegue ir ao pódio em mais uma Paralimpíada.

Fotos: Alexandre Schneider/Exemplus/CPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário