MITOLÓGICO! Ítalo Ferreira supera prancha quebrada e conquista o primeiro ouro do Brasil em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

MITOLÓGICO! Ítalo Ferreira supera prancha quebrada e conquista o primeiro ouro do Brasil em Tóquio

Compartilhe


Ítalo Ferreira é o primeiro campeão olímpico da história do surfe! O brasileiro conquistou nesta terça (27) a primeira medalha de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 em cima do japonês Igarashi Kanoa, vencendo a bateria final por 15.14 (7.77 + 7.37) a 6.60 (3.83 + 2.77), fazendo a festa na praia de Tsurigasaki


Agora atual campeão mundial e olímpico, o potiguar venceu a final sem nenhuma manobra aérea entre as notas, uma das suas principais características, que foi muito utilizada por ele durante o torneio. O brasileiro dominou a bateria e superou uma prancha quebrada para botar seu nome na história do surfe. Poucos dias antes do início dos Jogos, ele e Silvana Lima chegaram a ficar sem treinar, porque a prancha demorou para chegar.


A prancha quebrada de Ítalo (Foto: Reuters/ Lisi Niesner)

Assim que soou a sirene, Ítalo partiu para sua primeira onda e acabou quebrando a prancha devido a força da água. Com cinco minutos, Igarashi fez sua primeira onda, atacando lip e recebeu 3.83. De prancha nova, o potiguar fez sua primeira boa série com dois ataques no lip e uma boa finalização no junção, marcando 7.00 pontos.


O brasileiro pouco tempo depois achou mais uma onda e fez um layback, seguido da manobra na junção e tirou 5.50, somando 12.50 pontos contra 5.56 de Igarashi, a 20 minutos do fim. Para aumentar sua vantagem, Ítalo buscou uma esquerda, chutando a rabeta da prancha no lip e finalizou com um floater na crista da onda, mas a manobra foi avaliada em 4.90.


No momento que o relógio passava para a segunda metade da série, o brasileiro pegou uma excelente onda feita de costas pra onda (backside), com um forte ataque no lip e um chute com a rabeta da prancha na finalização, manobra considerada muito difícil e Ítalo fez 7.77. Faltando dez minutos para terminar a final, o japonês precisava de combinação para virar. 


Igarashi não conseguiu encaixar nenhuma onda nos minutos finais e ainda viu Ítalo ampliar a vantagem ao trocar seu 7.00 por um 7.37. Antes mesmo do cronômetro zerar, o atual campeão mundial começou a vibrar e se emocionar. Ao fim da bateria, a equipe brasileira invadiu a areia e o mar para comemorar, carregando Ítalo nos ombros. 


(Foto: Jonne Roriz/COB)

O Brasil assume momentaneamente a 11ª colocação do quadro de medalhas, com um ouro, duas pratas e dois bronzes. Ítalo volta a competir dia 10 de agosto pela etapa do México da WSL (Liga Mundial de Surfe).


Foto em destaque: Jonne Roriz/ COB


Nenhum comentário:

Postar um comentário